[ editar artigo]

A Era do Ser é o agora

A Era do Ser é o agora

Muitos de nós fomos educados na crença de que para ser, precisamos antes fazer e ter. O sistema que nos orienta, a educação que recebemos, nossos iguais, tudo ao nosso redor se baseia no ter como motivo para fazer e só então ser.

Desde muito cedo, somos orientados a acreditar que só existe aquilo que vemos. E que precisamos, com o suor do nosso rosto (ou do outro, muitas vezes), trabalhar duramente para conquistar aquilo que queremos ter, para só então podermos dizer que somos: médicos, advogados, professores e... a lista é imensa.

Também, desde muito cedo, fomos desestimulados de buscar nossa essência e de saber quem realmente somos, pois precisamos nos adaptar para sermos parte, para sentir que somos incluídos na família, no bairro, na comunidade, na religião e no Estado.

Mas, afinal o que é ser?

Eu não preciso lutar muito para conquistar um lugar na sociedade, para ser reconhecido(a) pelos meus pares, ser tratado(a) com dignidade, fazer parte do que todos aprovam? Não, você não precisa. Mas, foi levado(a) a acreditar que sim.

Fomos moldados para caber em caixas, onde a nossa criatividade, os nossos talentos e comprometimentos individuais foram pautados de acordo com as "necessidades" das grandes massas, como se todos fossem a mesma coisa. A mídia se tornou, nos últimos tempos, o meio mais eficaz para decidir os caminhos daqueles que perdem o controle sobre si mesmos como hipnotizados por cobras, porém vale observar que:

"A capacidade das cobras de hipnotizar as presas é crendice popular. O que acontece é que elas assumem uma postura de ataque e, as suas presas, para se defender, ficam paradas, estáticas, porque por causa da visão pouco aguçada, as cobras reagem apenas diante de movimentos".

Qualquer semelhança no caso da mídia é quase mera coincidência.

O fato é que ser nada tem a ver com ter ou fazer, porque o ser está na essência.

Porque ser é estar presente no momento em que se vive, sem passado e sem futuro, apenas sendo. Claro é que fazer será mais fácil que falar. Porque silenciar a mente é ir contra a vigência do poder externo, esse poder que lhe hipnotiza para que você perceba apenas o lado de fora, que aliás segundo a ciência vem provando, nem é real. Realidade mesmo é ser essência, estar em contato com a sua alma, centelha ou como queira chamar.

É entrar no silêncio e ouvir o som do Divino.

Você nada prova a alguém sendo um profissional competente, um pai ou mãe presente, um bom administrador quando a ideia é fazer isso para ter algo. Pois que o que realmente somos vive no agora, fazendo o caminho ao caminhar. Tudo bem, você vai dizer:

"- Mas, eu preciso comer, preciso me vestir, preciso estudar para conquistar uma boa condição".

Concordo, não estou negando isso. Manifestamos nossos corpos físicos em uma dimensão onde as coisas precisam de tempo linear e ação para serem compreendidas, não estou esquecendo disso.

Mas, a verdade é que sendo, temos a capacidade de realizar o fazer e o ter com muito mais facilidade, mais satisfação e autonomia. A mente racional, analítica, é estimulada pelos problemas que criamos diante da realidade física, que muitas vezes é limitadora, mas que em outras, apenas é cerceada pelas crenças limitantes e convenientes que nos incutiram desde sempre. E nas quais insistimos em apostar.

Acredite quando digo que o problema não está no fazer tridimensional, mas sim nas ideias e pensamentos que criamos quando fazemos as coisas ou quando acreditamos no que é sugerido pelo externo que façamos para conquistar o que queremos ter.

Nada disso é necessário quando simplesmente somos, apenas passando pela vida como observadores, sem nos sentir presos a ideais que não nos representam, poderes que não nos mantêm ou crenças que, simplesmente, nos fazem medrosos e cheios de preconceitos.

Não digo que será fácil voltar à essência e simplesmente ser.

É preciso buscar o silêncio e esvaziar a mente descontrolada, mas é possível. Esse é o convite que os novos tempos (ainda que difíceis) veem trazendo. Esse é o início da Nova Era, a Era do Ser.

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Simone Belkis
Simone Belkis Seguir

Simone Belkis se formou em Letras na UFPR. É uma estudiosa do esoterismo e cantante. Seu amor maior são os livros. Escrever é sua forma de criar o famoso mundo melhor, e sua praia é contar suas próprias descobertas para inspirar pessoas.

Ler conteúdo completo
Indicados para você