[ editar artigo]

A fábula do adulto

A fábula do adulto

Observe uma criança da primeira palavra à frases bem construídas.

Aposto que só de pensar nas cenas que já presenciou de crianças aprendendo a falar, você sorriu. Elas trocam as letras, usam palavras com significado errado, inventam algumas, usam outras fofinhas para as palavras muito ´sérias’... a gramática que constrói o discurso, mas impossibilita o diploma!

Não importa, nós gostamos de vê-las tentar. Encorajamos a prática, repetimos animadamente o correto quando erram, chamamos elas ao centro da aldeia num incansável "sawubona/shikoba. Tratamos as crianças no caminho do aprendizado, com benevolência, compaixão e empatia.

Mas basta crescer para que este tratamento vá mudando gradativamente, até desaparecer completamente. Muitas vezes acreditamos que crescer impõe que se tenha a certeza absoluta e imediata sobre qualquer coisa que se está aprendendo. Por que nos comportamos de maneira tão diferente frente ao processo de aprendizagem do adulto e da criança? Obviamente, existem diferenças, mas estou chamando atenção para o ponto convergente no processo de aprendizagem: ele acontece por camadas! É assim para as crianças e para os adultos.

Crescer se torna insuportável quando se exige o último degrau sem se ter posto o pé no primeiro.

Todas as pessoas estão fazendo o melhor que sabem e podem.

 

Sílvia Costa

 

 

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Silvia Costa
Silvia Costa Seguir

Ah, os livros que mamãe comprou para se entreter durante sua gestação arriscada! Neles, conheci o mundo, as línguas e a Psicologia. Tive sorte de encontrar as pessoas e os caminhos certos que me trouxeram aqui, no trabalho com desenvolvimento humano.

Ler conteúdo completo
Indicados para você