[ editar artigo]

A FELICIDADE É UMA CONQUISTA

A FELICIDADE É UMA CONQUISTA

 

 

                                 Olinda Guedes   Vídeo: Clube Real do Saber Sistêmico - Aula 007 

                                                                                                         Transcrição: Suzana Langner

Como não existem coincidências, eu estava lendo uma história de um juiz, de um colega do mundo adotivo ele chama Mario Sergio Romani e ele falava sobre cuidar de si.    Disse que tinha ido fazer uma massagem, que ele estava com muitos nós pelo corpo e ele é muito engraçado, ele escreve muito bem. Falava que ele estava fazendo algumas preces pra Nossa Senhora, desatadora de nós e aí ele  conta a história de Nossa Senhora Desatadora dos Nós.

Uma linda história!

E eu como, não posso dizer que sou católica, porque não sou dizimista, mas realmente sou uma devota de Nossa Senhora. Com todo o respeito de todos os credos, portanto ao meu também, eu devo muitos milagres a Nossa grande Mãe. Sem querer convencer ninguém disso, mas cada um deve escolher seus próprios caminhos espirituais e significativos de espiritualidade, devo alguns milagres a ela, porque ela é para mim,  minha intercessora.

Então Nossa Senhora Desatadora dos Nós é a padroeira dos consteladores. Porque na constelação sistêmica, nós estudamos que nós deveríamos desatar nós e que a gente pode desatar nós e transformar esses nós em laços.

Porque os saberes sistêmicos eles proporcionam isso para a vida. 

Eles nos reúnem, nos une numa mesma direção, na direção do amor, na direção da alegria, na direção do Cuidar do Ser.

O primeiro laço de amor, o primeiro grande  vínculo de amor que nós recuperamos por meio dos saberes sistêmicos é o interessar-se profundamente pela felicidade uns dos outros: é a disponibilidade de cuidar do outro. 

Porque todos aqui que me acompanham que me seguem, sabem que a felicidade ela  é uma questão de pertencimento e pertencimento é o primeiro saber sistêmico. 

É o primeiro princípio dos saberes sistêmicos. Todos temos fome de pertencimento. 

À medida que nós vamos nos curando, conseguimos cuidar da vida uns dos outros não no sentido de fofoca, porque isso é muito feio, mas é cuidar da vida uns dos outros no sentido de apoiar, no sentido de ser solução, no sentido de ajudar.

A decisão de cuidarmos uns dos outros. Nós sabemos que essas pessoas são muito mais felizes! Então meus amores, se a gente quer ser mais feliz, tem jeito. A felicidade tem fórmula, ela tem um compasso, ela tem ritmo e ela tem um caminho certo. Um caminho para seguirmos. Quando  seguirmos esse caminho, podemos ter certeza que seremos muito mais felizes.

 Você pode ensinar isso!

Você pode experienciar e perceber o resultado disso na sua vida e  depois pode me contar quanto a felicidade melhorou, aumentou na sua vida, dizem que quando nós servimos e se importamos uns com os outros e a gente serve de modo altruísta. 

Existe toda uma orquestração de hormônios, de cortisol, das endorfinas. O nosso corpo simplesmente aumenta o limiar de felicidade. Métricas para felicidade. A gente precisa se interessar a ajudar as outras pessoas a resolver, a melhorar as suas vidas. Todos seremos muito mais felizes quando abraçarmos causas voluntárias e realmente nos dedicarmos a isso. 

Não é só na teoria, não! Ah!  Eu sou voluntário, não sei de onde e comparece lá a cada três anos. Não é desse jeito não. Estamos falando de realmente proporcionar alegria, de realmente de proporcionar cuidado com os nossos irmãos. 

É a maravilhosa medicina da felicidade que o nosso mestre, Jean  Yves Leloup, nosso  maravilhoso autor, especialista no conhecimento  do Bem Amado, quando ele fala dos terapeutas do deserto, cuidar do ser, aqueles que cuidam, aqueles que zelam, que se interessam pelo bem de seus irmãos.  Esses são mais felizes.

Você já faz um trabalho voluntário não remunerado? Vocês já fizeram? Vocês já perceberam como realmente os nossos problemas ficam desse tamanhinho quando a gente vê o sofrimento alheio. Vocês já observaram isso?

Fazer o bem, faz bem! Nos torna mais felizes, fazer o bem.

Faça um trabalho voluntário. Você vai ver quantas pessoas ficarão mais felizes!  Só de falar em fazer o bem, a gente fica mais feliz! Vocês viram que coisa impressionante? 

Eu quero que você escreva aqui uma coisa que você pode fazer para aumentar a sua felicidade. 

Uma coisinha. Eu estou lembrando por exemplo, da Arlete, ela é uma pessoa maravilhosa mesmo, gerente da Pousada Varshana, aqui em São Luiz do Purunã.  Arlete, ela coloca embaixo das xícaras do café da manhã uma pétala de flor. 

Então quando você levanta a xícara pra você se servir do leite ou do chá, você encontra aquela florzinha ali embaixo.  Uma forma de fazer o bem.

Que tal você passar a preparar o café da manhã da sua família de uma forma mais bonita, mais alegre, mais feliz? 

Cuidando da verdade de você e da sua família. Como eu posso fazer mais feliz a minha família hoje? Olha que coisa mais linda!

Certa vez, em Guarapuava, num módulo, vi um prato lindo de pão de queijo e no meio do pão de queijo uma plantinha, uma suculenta. Uma suculenta num prato saboroso de pão de queijo?!   Sim, não é lindo isso?!  Não é pra ter muito mais alegria e felicidade no mundo?

Cuidar do Ser com alegria! 

Cuidar do Ser com Amor! Eu sempre falo para pessoas que me ajudam a cuidar da minha casa. Você já pensou a alegria que as pessoas ficam quando a casa está mais limpa?  Mais cheirosa! Como é maravilhoso e cuidado.

Agora quem cuida do ser, fica mais feliz. Agora quem é cuidado, às vezes demora um tempo pra ser mais feliz. Sabe por que? 

Porque às vezes aquela pessoa que precisa ser cuidado ou que está recebendo um trabalho amoroso, voluntário, lindo, maravilhoso, cuidado está tão preso no seu corpo de dor, que não consegue ser mais feliz. 

Não consegue nem ver valor naquilo que está sendo feito e nem agradece aquilo que recebeu, que acham uma obrigação cuidarem dela. Pessoas que têm muitas histórias de órfão por várias gerações, não são nem bem agradecidas.

Como é que a gente sabe que uma pessoa é bem agradecida?

Lembra de agradecer. Boas maneiras e polidez é uma obrigação da vida da gente. Tem gente que é tão toupeira, que é tão desalinhada com a vida, que tem um corpo de dor tão grande.

Que não consegue nem ser educado, não consegue nem ser elegante. 

– Oh! Muito grato, você preparou o café da manhã - Oh! muito grato!  Você lavou a minha cueca. – Oh! Muito grato! Você consertou o chuveiro.

Tem gente que não sabe ser grato, nem quando recebe um filé mignon, lindo no prato. Ainda desqualificar. Como é que a gente cura as memórias de orfandade?

A gente tem que sacudir a pessoa, sacudir de uma forma inocente como a Poliana faz, você vai reclamar do que agora? você tem de tudo, tem até o prêmio da mega sena. Que você queria. A história da Poliana é linda. A Poliana joga o jogo do contente. O que é o jogo do contente? – é o jogo da gratidão!

Bom, pessoas que se comportam com essa memória de orfandade, elas dificilmente conseguem.  Se fazem trabalhos voluntários, elas são desagradáveis, elas reclamam muito e elas não conseguem ser felizes e raramente elas fazem trabalho voluntário e sempre que recebem o amor, o cuidado, o carinho. 

Elas não demonstram gratidão e não reconhecem o valor disso. Triste né?

E talvez você esteja se perguntando: 

Olinda! como uma pessoa vai demonstrar o valor do que recebe?

Sabe de que modo que  vai demonstrar o valor, sabe de que modo que a pessoa vai demonstrar que ela acolhe e ela recebe as coisas lindas que a vida lhe dá, sabe de que modo? O melhor modo da gente reconhecer o bem que a gente recebe é tendo sucesso!

Como é que a gente recebe que nós somos bem agradecidos, porque alguém preparou o café da manhã pra gente e colocou uma florzinha embaixo da xícara? 

Não é só  agradecendo, mas a melhor forma de agradecer é  fazer o mesmo bem, talvez eu não tenha toda a condição de colocar uma pétala de flores embaixo de cada xícara quando a minha família vai tomar o café da manhã, mas eu posso fazer o bem todo os dias.  Eu posso por exemplo, cuidar da minha casa para as pessoas se sentirem bem e felizes, eu posso cuidar de fazer um broa de fubá com sementinha de erva doce. 

Posso cuidar de ver a alegria e ter valor, a gente chega e aquele cheiro de alimento preparado no forno. Cheiro de casa feliz. A gente válida, valoriza e proporciona condições para que o bem aconteça na nossa vida.  A melhor forma agradecer um bem recebido é a gente ter sucesso, é passar esse bem adiante.

Não tem como a gente não curar um corpo de dor quando nos tornamos seres despertos.

Quando nos tornamos seres despertos, primeiro que a gente passa a cuidar muito bem dos outros. O trabalho passa a ser ínfimo, os problemas  passam a ser pequenos em função do bem que se está fazendo, do amor que estamos oferecendo. 

Em função do altruísmo, está certo que todo problema precisa ser resolvido. Problema não é pra ficar acariciado, é pra ser resolvido. 

Mas, porque que uma pessoa vai ficar com insônia, se ela não pode trocar o carro do jeito que ela queria? Sendo que tem tanta gente passando fome, ali! Não é nem na África, não. É ali no bairro. Alguns dos meus alunos sabem, a campanha que eu tenho feito para ajudar pessoas que passam fome. 

Ali em Pinhais, em Curitiba, cidade de primeiro mundo, tem gente que passa fome, lá em Moçambique, que é uma campanha linda da nossa Thais, que eu sou apaixonada por ela, uma campanha pra levar creme dental, para levar alimento, porque não tem, simplesmente lá tem lugares que não tem.

Então quando a gente se importa com a dor do nosso irmão a gente fica muito mais feliz. Por que a gente percebe qual é a nossa dor mesmo? Por que é que eu estou chorando de barriga cheia? Então, a gente acorda e desperta. Levanta-te e anda.

Eu preciso ficar ao lado daqueles que ajudam, que vão para frente, que tem sucesso, para ajudar as outras pessoas a terem sucesso. Que lindo! É desse lado que a gente precisa. Não é do lado das pessoas que estão criando problemas e sendo problemas no mundo. Tem gente que só sabe ser o problema, que só sabe puxar o problema para ele, que coisa mais triste! Quanto emaranhamento, quanta necessidade de terapia que tem nesse mundo. 

Mas não é terapia, marca “Pedrinho”. Essas coisas eu resolvo bem rápido, porque cliente meu que vem, nem tenho quase graças a Deus porque não atraio esse tipo de cliente, mas se vem. 

O cliente, meio brucutu, chorando, disse que não assistiu às minhas lives. Porque eu geralmente mando o link de uma live pra ele resolvem bem rápido. 

Mas se por acaso vem eu digo:

- Não precisa ficar chorando desse jeito. Vamos analisar aqui, um pouco de empatia no mundo. O seu problema é grande? – é.

Então vamos olhar o que acontece ali na Bolívia, ali na Ásia, vamos olhar também o que acontece aqui em Piraquara, aqui pertinho, vamos dar uma voltinha. Aí a gente coloca os óculos da empatia.

Gente, é impressionante saber como cura a pessoa. Parece que estou chorando de barriga cheia. Talvez, você esteja se perguntando: Olinda! mas e do ponto de vista sistêmico. Você acha que todas as vezes que a pessoa está assim, sofrendo é porque ela não está lembrando de fazer um trabalho voluntário e simplesmente, ela tá sofrendo por que ela quer?

Vou falar uma coisa pra vocês:

  • Antes da felicidade a lealdade.

Quando uma pessoa não tem autoconhecimento, quando  não conhece os princípios sistêmicos,não conhece a força que tem as memórias transgeracionais e fica na ignorância ela vai mesmo para o precipício e esse é o sofrimento, porque ela não consegue distinguir.

  • Essa infelicidade que eu estou, como eu posso curar?
  • O que essa infelicidade que está no meu coração, o que ela pressupõe que eu faça para que possa curar? 

Às vezes para curar essa infelicidade tão grande, apesar da pessoa fazer tanto bem, ela continua com esse vazio, com essa tristeza, com essa melancolia.

Ela vai precisar olhar para os seus antepassados, vai precisar lembrar desses antepassados e  fazer uma meditação. Feche os olhos:

  • Quem ainda está à espera de amor?
  • Quem ainda está à espera de cuidado cuja memória está sendo expressa por meio da sua vida. quem? 
  • É uma avó, é um trisavô? Qual antepassado é esse e simplesmente, mesmo que você não saiba que antepassado é, imagina e sente, porque agora você percebe quem é essa pessoa e que você olha pra ela e percebe que existe muito amor. 

E agora já passou! E você respira e você diz:

-Está bom! Esse sofrimento, essa infelicidade, ele já pode ir, porque agora eu sei. Agora eu sei, porque teve muita luta, muito sofrimento, agora eu sei. Agora eu olho com reverência, com cuidado e com carinho, agora eu sei já passou, já passou!

Gratidão por vocês terem superado, eu teria morrido quinhentas vezes, se tivesse tido que passar pelo que vocês passaram. Olha, vocês atravessaram no navio o oceano. 

Vocês atravessaram em condição de cativeiro, ou com muita fome ou abandonando os seus familiares. 

Se não tivessem passado pelo que passaram, a vida não chegaria até nós. Então reverência. Uma profunda reverência para estas pessoas. Sabia que cura? Cura!  A disposição do coração é o que cura.

Não é o terapeuta que cura. Você precisa ter o coração aberto e grato para cura.

Por exemplo, vai colocar a gratidão a esses antepassados que sofreram. 

Essa infelicidade que está no coração de uma pessoa agora, pode não ser pessoal, pode não ser dela. Pode ser de alguém que não foi visto, que não foi honrado, que não teve quantidade necessária de amor.

Muito importante que sejamos adultos funcionais, adultos éticos.

Se você já fez tudo que deveria fazer com os seus comportamentos, vivendo de forma integral, de forma compassiva e empática. Fazendo caridade, sendo uma pessoa ética. Sendo uma pessoa disponível e você ainda tem infelicidade no seu coração, aí você precisa então de uma terapia Floral de Bach.

Eu quero falar com você sobre os Florais de Bach e principalmente sobre os ensinos do Dr, Edward Bach.

Muitos de meus alunos, que fazem os cursos de terapeuta sistêmico comigo sabem que eu falo muito, que a coisa mais simples do mundo é aprender sobre as 38 essências de Florais de Bach.  Mas uma pessoa que faz um tratamento com terapeuta floral sistêmico consegue muito mais resultados. Por que?

Porque um terapeuta floral sistêmico, ele atua de forma sistêmica com uma intervenção sensorial poderosa que são as informações do florais de Bach.

O que tem em cada um das 38 essências Florais de Bach?

Imagine uma pessoa, ela carrega uma infelicidade e uma melancolia, que tem muito a ver com os seus antepassados e que tem muito a ver com a infância dos seus bisavós, com os seus avós porque eles passaram fome, porque eles sofreram e de repente esta pessoa está até engordando, até ficando obesa mesmo. não é porque ela quer, mas parece que ela está comendo por um antepassado, comendo por uma pessoa que está passando fome. 

O que é que ela vai fazer com essa informação? 

Vai descartar? Vai jogar o lixo pra debaixo do tapete? – não!

A menos que ela não queira emagrecer e não que ela não queira o peso ideal. O que é que ela vai precisar fazer? Ela pode, por exemplo, fazer exercícios sistêmicos.

Vai ter um dia, por exemplo, eu vou organizar agora, domingo ou sábado, eu vou fazer uma ceia e essa ceia eu vou preparar e convidar duas amigas e vou servir esses alimentos, como uma forma de servir aqueles que passaram fome dentro do meu sistema.

Vou preparar com amor, carinho, como se fosse a festa de Babeth.  A festa de Babeth, tira a pessoa do sofrimento, assistem e colocam um comentário, resumo dele no saber sistêmico.

Ela fala do alimento que nos tira da miséria, da miséria de afeto,de vínculos, que nos tiram da miséria, do sofrimento humano, das melancolias.

Você pode fazer um exercício sistêmico assim. Você faz uma mesa maravilhosa e convida alguns amigos. Você fala: olha, eu quero convidá-los porque eu vou fazer um exercício para curar a minha vida e eu preciso que vocês venham cear comigo, e aí você prepara uma mesa linda,  maravilhosa, talvez pratos esmaltados, talvez com pratos de barro. Pode ser tudo muito simples, mas com muito amor. Uma florzinha colocada ao lado. 

Quem sabe uma toalhinha de crochê colocada ao lado. Uma água aromatizada e aí você diz para essas pessoas, hoje eu estou curando a minha vida e aí você conta um pouquinho da sua história para eles e um pouquinho da nossa história.

O porquê, eu, você está fazendo este exercício sistêmico?

Você vai dizer: Olinda, mas é só isso que faz a gente emagrecer? 

– Não! Não é só de uma remada que a pessoa atravessa um rio. Precisa de uma jornada. Cura é jornada.

Aí a gente vai lembrar do Dr. Edward Bach. Que tem um floral que realmente é maravilhoso pra pessoa ter o seu peso normal, ser mais feliz e ter o seu peso normal. O peso normal de uma pessoa pode vir por meio do Chicory e do Impatiens. 

Estes dois são os florais essenciais de quando a gente está pensando em alguém para fazer um tratamento de sobrepeso.

O Chicory e também o Impatiens. Existe também um outro floral a ajudar a pessoa a ser mais feliz, porque às vezes a pessoa mistura sobrepeso com a infelicidade. 

Por fora a pessoa até ri!  Ah, eu estou em paz com o meu peso! Mas lá dentro a pessoa sabe que não está, que não é bem assim não!

O Agrimony é o floral pra trazer para o nosso coração, para cada célula do nosso corpo a alegria verdadeira, a verdadeira felicidade.

O Dr. Edward Bach não fala só das essências, ele fala acerca das atitudes. Porque nós quando queremos curar as nossas vidas, nós precisamos lembrar o nosso coração de ter atitudes alinhadas com a felicidade que a gente precisa ter.

Então meus amores, quero convidar vocês a ser muito, muito mais feliz!

O que será que você vai fazer de prático, de fotografável, pra vocês serem mais felizes, pra  você aumentar o seu limiar de felicidade nos próximos 12 ou 3 meses ou nos próximos 15 dias. O que você vai fazer?

Como você vai lembrar do seu propósito em ser mais feliz?

Por exemplo, colocar uma florzinha no lavabo. De você colocar uma florzinha no escritório, de colocar  mais livros nas prateleiras de sua casa, ou servir água aromatizada para si,para sua família.

De você tomar água em copos bonitos. De você quem sabe tirar aquelas louças da cristaleira e servir mais no dia –dia na sua casa.  É isso que  desejo pra você. Isso que eu desejo pra você, que as nossas aulas ajudem a elevar o seu limiar de felicidade é você transformar a teoria sistêmica em prática sistêmica. Pertencimento.  Se interessar pela felicidade do outro. Porque a felicidade do outro é a nossa felicidade.

A felicidade são as outras pessoas. 

Cuide de quem você ama antes que seja tarde.

É preciso amar como se não houvesse amanhã, porque na verdade não há, já disse o poeta.

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
OLINDA GUEDES
OLINDA GUEDES Seguir

Oilá, gente linda! É uma boa história a minha vida... ainda temos muito a viver. A parte mais linda é ser "Mamain" das duas princesas Nina Maria, Camila Maria e dos cinco príncipes cavalheiros...

Ler conteúdo completo
Indicados para você