[ editar artigo]

A pessoa com quem realmente devo me casar

A pessoa com quem realmente devo me casar

Depois de alguns fracassos em relacionamentos, decidi buscar ajuda terapêutica e Deus foi tão bom que me apresentou as Constelações Sistêmicas através de Olinda Guedes. Desde o início dessa linda jornada outras belas ferramentas me foram apresentadas: PNL, linguagem hipnótica, Análise Transacional, Psicologia Positiva, Pedagogia Sistêmica. E todos esses saberes só podem nos levar a viver de forma sistêmica.
E então me deparei com a lição de que devo me apaixonar por mim mesma, linda e delicadamente ensinada durante os estudos com nossa mestre Olinda.

 Muitas pessoas já escreveram e falaram sobre isso também, mas quero compartilhar uma linda mensagem de Tracy McMillan, que completou esse aprendizado:
“Após apaixonar-me por mim mesma devo fazer os nossos votos de casamento, pois irei me comprometer com o todo não apenas em algumas partes e então não há homem, mulher, trabalho, circunstâncias em minha vida que irão completar-me, por que já sou completa, agora posso transbordar!
Isso muda toda a minha visão sobre a vida. Além disso, eu devo fazer os votos de casamento, como por exemplo:
1. Eu caso comigo mesma para riqueza e a pobreza. Quer dizer que vou me amar exatamente aonde eu estou e nunca vou dizer: se eu perder mais 10 quilos vou me amar mais ou então quando eu estiver por baixo não vou me amar muito, mas quando vencer profissionalmente quem sabe eu me ame mais.
2. Eu caso comigo mesma para o melhor e para pior. O que isso quer dizer? Que nos dias em que acordo com cabelo muito legal e adoro me olhar no espelho está tudo bem, mas e os dias de grande desapontamentos ou falhas ou não ter graduação sonhada ou não ter o trabalho tão esperado ou os relacionamentos que idealizava, talvez discuta muito com a minha mãe ou assisto muito televisão. Nada disso importa mais, porque quando eu caso comigo mesma, concordo estar comigo não importa em qual circunstância.
3. Caso comigo mesma na saúde na doença, ou seja, eu me perdoo nas falhas, pois são aprendizados e posso ter paciência comigo mesma quando não me sinto bem. Entendo que a vida não vai me dar exatamente o que eu peço, mas pessoas, lugares e situações que permitam que eu alcance o que desejo, e se eu não entender da primeira vez, a vida é tão generosa que me oferece pela segunda, terceira vez até que eu consiga.
Após algumas experiências um pouco frustrante nos relacionamentos aprendi a sentar ao meu lado na cama, segurar a minha mão e me oferecer conforto e aconchego... E assim aprendo que sou a pessoa com quem posso contar.
4. Casar comigo mesma significa amar-me como eu gostaria que alguém me amasse. Isso muda muita coisa, pois aprendo a amar dessa nova maneira e assim passo também a amar as pessoas como elas são, por quem elas são, da mesma forma que amo a mim mesma, e buscar formas de servir outras pessoas para que elas possam alcançar os seus objetivos, e os olhos agora podem enxergar as pessoas como elas são e não como eu quero que elas sejam. Isso tudo aconteceu porque me levei o topo da montanha ou ao fundo do mar, ajoelhei-me e disse: eu nunca vou me deixar e me caso comigo mesma porque eu sou a pessoa com quem realmente quero estar ao lado pra sempre.”

 

Fonte: The person you really need to marry - Tracy McMillan.

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Deborah Soares da Vinha
Deborah Soares da Vinha Seguir

Déborah Soares da Vinha, filha de Odair da Vinga e Conceição Aparecida da Vinha - mãe, farmacêutica, educadora há 15 anos, terapeuta holística. Estudante de Constelações Sistêmicas com Olinda Guedes, que me trouxe de volta para o amor e a felicidade.

Ler conteúdo completo
Indicados para você