[ editar artigo]

Agora eu sei...

Agora eu sei...

Agora eu sei...

Todo final de ano, nos meses de novembro, dezembro e janeiro, aumenta a minha melancolia, tenho crises de ansiedade e depressão. Dezembro é o mês do meu aniversário, do natal, de festas. Eu deveria comemorar, mas sempre não me pareceu justo.

Então me retraio, evito, me isolo.

Agora eu sei que temas existenciais acontecem porque são oportunidades de evolução. Dores e sofrimentos acontecem para sermos melhores. Também sei que as Constelações Sistêmicas são ferramentas excelentes para a cura.

Estudando este módulo muitos insights apareceram. Não poderia ser diferente esta tristeza e melancolia pois faço parte de um sistema. Esse sistema não tinha o que comemorar.

Sintoma, na visão sistêmica, é tudo o que nos faz sofrer.

Ele não acontece por acaso. Acontece como resultado de memórias pessoais ou trans-geracionais que atuam no campo físico, no aqui e agora.

Tomando conhecimento da minha história, da história da minha família e dos meus antepassados, percebi que muitos emaranhamentos estão presentes.

Em novembro, meus pais perderam uma filha com 5 meses. Em janeiro papai se suicidou e recentemente tive conhecimento da vinda de meus antepassados maternos que viajaram da Itália rumo ao Brasil, durante este período.

Provável que meu tataravô, Luidi Slongo, tenha saído da Itália em final de outubro, início de novembro, com alguns filhos. Viajaram por aproximadamente 40 dias, deixando família e sonhos para trás e chegaram ao Brasil em dezembro de 1879, em busca de novos sonhos.  

No início de 1880, logo após a chegada ao Brasil, morreu uma menina, devido as dificuldades de viagem.

Sinto muito, muito mesmo por tudo o que aconteceu. Agora eu sei...

Entendi que:

  •  Melancolia é saudade da pátria mãe;
  • Angustia é falta de mãe. Cadê a minha mamãe?
  • Ansiedade é a falta de pai. Papai, cadê você?
  • Depressão é a falta de alegria, entusiasmo, falta de mãe;
  • Insônia crônica, nosso entorno não está seguro. O que tem de tanto perigo lá fora?
  • Nós podemos mudar o nosso destino. O legado que podemos deixar aos nossos filhos e netos é a busca pela cura.

Tomo a vida e acolho o sofrimento do meu sistema. A vida segue seu curso.

Só que, agora eu sei...

flores mexico mujer

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Edir Salete Dallabarba
Edir Salete Dallabarba Seguir

Sou Edir, moro em Salto do Lontra- Paraná. Sou mestre em Reiki e Terapeuta Sistêmica em Florais de Bach. Cada dia me apaixono mais pela área Sistêmica e tenho sede de conhecimento nesta área.

Ler conteúdo completo
Indicados para você