[ editar artigo]

Aquela pessoa que um dia te magoou... talvez nem exista mais...

Aquela pessoa que um dia te magoou... talvez nem exista mais...

Carla tinha 32 anos... não falava com o pai desde os 15. Parou de falar com o pai após ele ter traído sua mãe e o casamento ter chegado ao fim...

Durante nossa sessão, ela descreveu seu pai como "Uma pessoa egoísta que só pensa nele mesmo, e o pior, pensa nele mesmo com a cabeça de baixo... Ele destruiu a minha família e a minha vida... Que tipo de gente faz uma coisa dessas? Que tipo de pessoa troca tudo o que tem por um rabo de saia qualquer?"

Ao longo da sessão ela foi percebendo o quanto o ressentimento que ela tinha em relação ao pai estava afetando sua vida de maneira desastrosa. Ela não conseguia ter nenhum relacionamento amoroso duradouro, pois não conseguia confiar em nenhum parceiro, bastava apenas desconfiar que o parceiro estava conversando com outra, que ela já transformava a vida dele num inferno até ele decidir ir embora... Além disso, tinha grande dificuldade em tomar decisões importantes por conta de uma forte insegurança que sentia... sua vida financeira era extremamente instável... possuía várias dívidas e tinha muita dificuldade para gerenciar o dinheiro que ganhava.

Ao final da sessão ela já estava com uma percepção um pouco diferente em relação ao pai, e uma de suas tarefas era encontrá-lo pessoalmente... Ela relutou no começo, mas insisti dizendo que "Abra espaço para a possibilidade de que a pessoa que te magoou naquele dia, talvez nem exista mais... Acredite... ele pode estar muito diferente hoje... já se passaram 17 anos. Se você não fizer isso enquanto há tempo, poderá se arrepender pelo resto da vida... Eu já atendi gente o suficiente para saber disso..."

Após alguns dias ela me ligou para contar que havia encontrado onde o pai morava e foi visitá-lo. Chegando lá, o pai não estava, que a recebeu foi a atual esposa do pai, e uma filha de 8 anos. A esposa descreveu o pai como "Uma pessoa amorosa e generosa... às vezes ele deixa de fazer coisas por ele, para fazer pelos outros... Ele estava passando por um período difícil quando nos conhecemos, mas buscou ajuda... olhou para seus próprios demônios, e semana que vem faremos 12 anos de casados, e tenho certeza que foi a melhor escolha que fiz até hoje... Ele é um homem muito bom... sempre fala bem de você... eu sempre tive vontade de te conhecer... Tenho certeza que ele ficará muito feliz por você estar aqui..."

Ao falar disso ela começou a chorar no telefone... disse que sua vida estava muito diferente... As coisas estavam finalmente dando certo... Me agradeceu e seguiu sua vida...

 

Foto: Lee Jeffries

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Fernando Eing Gonçalves
Fernando Eing Gonçalves Seguir

É só indo que se vai!

Ler conteúdo completo
Indicados para você