Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Você procura por
  • em Publicações
  • em Grupos
  • em Usuários
loading
Constelações SistêmicasVOLTAR

AS LEIS DO AMOR E OS MOVIMENTOS QUE CURAM

AS LEIS DO AMOR E OS MOVIMENTOS QUE CURAM
Ana Carolina Eleutério
abr. 22 - 7 min de leitura
000

Pensa num módulo que tocou fundo o meu coração! Foi esse módulo 2. Já de cara na aula 1, fichas caíram e o coração foi tocado! 

Por isso começo contando que crenças profundas vieram à tona, sentimentos de abandono e rejeição também surgiram e que após entender sobre lealdade, vínculos, ordem e amor do espírito, também veio o alívio.

Antes da felicidade, vem os pais. Uauuu! O que?! Como assim? Pois é, temos a incrível tendência de excluir a nossa felicidade para pertencer a nossa família, custe o que custar, doa o que doer. Acabamos por nos emaranhar apenas para nos sentir amados, pertencentes e importantes; mas não é que ser amado, pertencer e ser importante é bom? Só que precisar ser do jeito certo e no lugar certo, né?

Pois é, para me sentir amada e pertencente, eu deixe de fazer muitas coisas por mim e fiz pelos meus pais.

Pelos meus pais, deixei de ser eu ,e com essas aulas do módulo 2, pude me curar da falta de mim mesma. Através da falas da Mestra Olinda, percebi o quanto eu estava deixando de ser, de fazer e de ter, pelos outros, a tal ponto que exageradamente busquei fora o que faltava dentro de mim, eu mesma. E pude, a princípio ver a minha essência.

Pelos meus pais, também deixei de falar o que penso, deixei de me posicionar diante do que é importante pra mim, com isso faltei com respeito com a minha própria alma deixando de me escutar. Após as aulas aprendi que não só devo falar, mas, antes de tudo, ouvir. 

Aprendi que para pertencer, já basta ser eu, que posso através da autenticidade pertencer a minha família e que não preciso de aprovação para isso, porque ser do jeito que sou, já basta para pertencer, tomar meu lugar e ser feliz. Agora eu sei também que não preciso trabalhar até me esgotar para pertencer, que posso, através de um trabalho leve e bonito, alegre e divertido, pertencer e ser feliz.

Sabe, quando eu era criança, meus pais falavam que eu era muito dada e que isso seria um problema. Eu ouvia aquilo e entendia que ser dada seria um problema, agora o que eu não entendia é porque a minha forma de ser dada seria um problema, já que para mim ser dada era me dar bem com as pessoas, ser simpática, generosa. E olha de novo eu deixando de ser eu pelos meus pais, ou pela sociedade que julga mulheres e meninas simpáticas como dadas (no sentido pejorativo).

Ah, mas agora eu escolho ser DADA sim! Agora já sei que posso ser simpática, conversar com as pessoas, falar com elas, isso é bom; agora escolho me comunicar com amor e por mim, escolho ser levada a sério e ser dada, ser respeitada e ser dada, sorrir e ser dada. E sim, eu posso ser fácil, dada, acessível e com um sorriso largo no rosto e mesmo assim ser comprometida, responsável. 

E com tudo isso, percebi que estava no lugar errado, olhando para o lugar errado, eu estava olhando para minha mãe; não que isso esteja errado, mas sim do jeito errado, eu estava dando a ela o poder de dirigir a minha vida. Sem saber, eu fui leal à sua orfandade, alimentando um vínculo de amor interrompido. Só que agora, sigo olhando para isso com amor, no meu novo lugar de filha, de descendente.

O módulo dois também me ensinou que sou plenamente capaz de programar a minha mente para uma nova realidade, para uma nova Ana Carolina, agora nasce um novo espírito.

Prazer!! Muito prazer meus queridos pais, eu vejo vocês e sinto muito se por causa de momentos difíceis vocês aprenderam que para se proteger tinham que ser duros, rígidos, tensos, que por causa de abandonos vocês aprenderam a se esconder e calar e através da agressividade se expressar, eu sinto muito.

Quero lhes contar que hoje, podemos fazer diferente, podemos aprender a nos comunicar porque temos recursos  próprios para isso. Também quero contar que para termos resultados diferentes é necessário tomar consciência e escolher seguir um novo caminho, caminhos novos também podem ser bons e que, apesar de cada um de nós termos mapas diferentes, é o amor que cura e que deve ser o território a habitar. 

Com amor sigo com leveza e assim deixo agora de ser leal a vocês. 

Deixo de ser leal acreditando que ganhar o suficiente para pagar contas já está bom, que ter só o necessário já está bom, que devo guardar dinheiro para uma necessidade. Chega disso tudo!

Agora escolho ser feliz e com dinheiro, escolho proporcionar a minha família alegrias que o dinheiro traz, mais saúde, mais educação, mais oportunidades, mais momentos de descontração.

Hoje já sei que posso pertencer e declarar o meu amor com dinheiro, sendo feliz no meu trabalho, tendo leveza e alegria, agora já me permito fazer diferente. Já sei que posso fazer por vocês, doando a outros pais, avós, filhos, servindo a grande humanidade a que pertencemos. Afinal somos parte de um sistema.

Graças as constelações sistêmicas que nos liberta de vínculos de sofrimentos, podemos agora fortalecer pelo amor verdadeiro o pertencimento e, do nosso lugar, sermos prósperos e abundantes. 

Graças ao segundo módulo eu agora declaro: Eu me amo e me aceito! 

Já posso viver sem precisar sofrer para pertencer, já sei que posso ser amada por quem eu sou. Eu mereço.

Agora, minha querida mãe, eu sei que doeu muito se sentir abandonada quando a orfandade chegou na sua vida, sinto muito por isso, sinto muito mesmo.

Pude por muito tempo sentir a sua dor cada vez que eu chorava por medo de te perder (mais fichas caindo), também sinto muito por todas as vezes que te julguei, quando eu me sentia rejeitada, mas mamãe eu não posso lhe dar o que não tenho para dar, sou sua filha; posso apenas do meu lugar de filha, te amar seguindo a vida sendo feliz.

Agora não vou mais ser leal a você, agora vou fazer diferente porque já sei que para pertencer, eu posso ser eu mesma, sigo sendo leal apenas ao amor que cura e horando a vida que você me deu. Gratidão por tudo o que você fez e que me fez chegar até aqui. Hoje eu sei, eu vejo você. Sigo te honrando com a felicidade.

Ah, neste módulo também aprendi que justamente por ser espírito, centelha divina e princípio inteligente do Universo, é que devemos nos olhar como espíritos que somos, com olhos de amor.

E para terminar eu digo: sou espírito, ser absoluto e inteligente, tenho vida, sou vida, tenho vontade e pensamento.

Sigo vivendo!

#mod02

Participe do grupo Constelações Sistêmicas e receba novidades todas as semanas.


Denunciar publicação
    000

    Indicados para você


    Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica

    Verifique as políticas de Privacidade e Termos de uso

    A Squid é uma empresa LWSA.
    Todos os direitos reservados.