[ editar artigo]

AS ORDENS DA AJUDA

AS ORDENS DA AJUDA

As “ordens”, no sentido típico de Bert Hellinger, são as leis, princípios ou ordenações básicas preestabelecidas que devem presidir nossos comportamentos. Assim, as ordens do amor são as leis que devem presidir nossos relacionamentos para que o amor seja bem sucedido, e cujo desconhecimento ou desrespeito pode ocasionar consequências danosas.

Cinco ordens da ajuda segundo Bert:

  • Dar apenas o que se tem e tomar o que precisa.

A desordem aqui acontece quando uma pessoa quer dar o que não tem, e a outra quer tomar algo de que não precisa. Existem limites no dar e no tomar.

  • Respeitar circunstâncias internas e externas.

A segunda ordem da ajuda é nos submetermos às situações e somente interferir e apoiar à medida que elas permitirem.

A ajuda na relação entre pais e filhos. “Os pais dão e os filhos tomam. Os pais são grandes, superiores e ricos, os filhos pequenos, necessitados e pobres.”

  • Ajudante e ajudado se colocam como adultos na relação de ajuda.

Esta terceira ordem da ajuda seria que o ajudante também se colocasse como adulto perante um adulto que procura ajuda.

  • O ajudado é parte de uma família, o que requer olhar sistêmico, além do individual.

O indivíduo é parte de uma família. Somente quando o ajudante o percebe como parte de sua família é que ele percebe de quem o cliente precisa e a quem ele talvez deva algo.

Isso significa que a empatia do ajudante deve ser menos pessoal, mas, sobretudo, sistêmica. Ele não se envolve num relacionamento pessoal com o cliente.

  • Amar e aceitar cada um como é, além de críticas, desejos e julgamentos.

Sair do julgamento, da diferenciação entre os bons e os maus, da preocupação com as opiniões alheias, ou seja, é o amor a cada um como ele é, por mais que ele seja diferente de mim. Quem realmente ajuda, não julga.

Hellinger nos fala da “arte” da ajuda como uma faculdade que, por um lado, pode ser aprendida e por outro, exige do ajudante uma sensibilidade para compreender aquele que procura ajuda.

As Ordens da Ajuda se dão por meio da percepção durante o processo e não por meio do pensamento, então não devem ser aplicadas de forma rigorosa nem metódica. Elas aparecem como um rio que vai seguindo o seu próprio curso. Para que isso ocorra é indispensável estar centrado, sem pressupostos, intenções, medos ou compaixão.

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Ler conteúdo completo
Indicados para você