[ editar artigo]

Belinha e a mamadeira

Belinha e a mamadeira

 

"- Vovô, José... Bença, vovô!"
"- Deus te abençoe neta querida, como está?"
"- Tô bem, vovô!"
"- Hoje tá um dia bonito, né vovô? Os pássaros cantando... Olha, vovô, meu gatinho vem vindo lá...
"- Você gosta dele, né Belinha?"
"- Ah, eu gosto, vovô! E por falar nisso, olha lá agora o meu gato chegando perto do meu cachorrinho, vovô... Olha o Bilú todo feliz... E eles se entendem, né vovô? Dizem que gato não se dá com o cachorro, mas é mentira, vovô..."

Nisso, a mãe de Belinha diz:

"- Belinha!"
"- Ih, vovô... Mamãe tá me chamando..."
"- Senhora!"
"- Faz favor, filha... Venha aqui, preciso que você me ajude a cuidar da bebê..."

"- Ih, vovô... Pode ter certeza que a mamãe tá me chamando pra eu fazer a mamadeira..."

"- Ai, Belinha... Você faz tão gostoso o leitinho dos seus irmãozinhos..."

"- Ah, vovô, mas eu gosto de brincar... E a mamãe, todo dia pede pra eu fazer a mamadeira... E eu não tô mais gostando disso, vovô..."

"- Não, meu amor... Você vai lá."

Daí Belinha sempre obediente com o vovô, vai...

"- Oi, mamãe... Cheguei!"

Os pais de Belinha moravam bem pertinho da casa do vovô José...

"- Belinha, mexe o leitinho ali pra mamãe, que a mamãe já colocou pra fazer o mingauzinho? E enquanto isso, eu vou trocar a bebê."

Belinha ficou mexendo, mexendo... A mamãe chegou, desligou o fogo, colocou o leitinho numa bacia e disse:

"- Belinha, mexe aí, pra esfriar..."

Belinha começou a mexer e disse:
"- E se eu não esfriar pra colocar na mamadeira?"

Belinha faz cara de malvada e diz:

"- Ah, se eu fizer uma arte, a mamãe não me pede mais pra eu dar o leite pra bebê... Ah não, mas não pode... Tadinha da minha irmãzinha... Não! Eu vou esfriar..."

Aí Belinha esfria o leite, coloca na mamadeira que ela já sabia fazer... Tampou a mamadeira... E a mamãe veio e diz:

"- Belinha, do jeitinho que a mamãe colocar a bebê aqui, segura a mamadeira pra ela, meu amor? Aí a hora que você acabar de dar o mamá, você pode voltar lá com o vovô... E você pode brincar."

"- Então tá, mamãe!"

E Belinha ficou ali... Mas quando a mamãe virou as costas, Belinha deu um pouquinho de mamá pra bebê... e a bebê estava com fome, mas Belinha tomou todo o leite. Quando faltava só dois dedinhos de leite na mamadeira pra terminar, Belinha voltou e deu pra irmãzinha. Depois que a bebê acabou de mamar, Belinha sai, passa pela mamãe e diz:

"- Mamãe, vou brincar!"
"- Belinha, e vou lá fazer a bebê arrotar... Mas a bebê hoje bebeu o leite tão rápido assim, Belinha?"

"- Sim, mamãe, hoje ela estava com muita fome..."

E a mamãe pega a bebê, fica com a bebê ali no colo... E dali a pouco, a mãe de Belinha começa a ninar a bebê, mas a bebê fica chorando, chorando, chorando...

"- Belinha!"

"- O que foi mamãe?"

"- Você não deu o leite pra bebê, Belinha! O que é que você aprontou, Belinha?"

"- Dei sim, mamãe!"

"- Não deu não, Belinha! Não deu não, porque a bebê tá chorando... Não tem nem uma hora que a bebê bebeu o leite e está desesperada de fome de novo! Belinha, fale a verdade o que você fez... Você fez de novo, Belinha?"

"- De novo o que, mamãe?"

"- De novo você bebeu todo o leite da sua irmãzinha, Belinha? Ô, Belinha!"

"- Não bebi não, mãe! Eu só tomei a metade! Aí eu dei um pouquinho, tomei a outra metade e ela acabou, mamãe. Eu quero brincar e ela atrapalha a minha brincadeira..."

"- Ô, Belinha, não faça isso, minha filha! A mamãe precisa tanto de você... A mamãe tem muitos afazeres. Belinha, de novo você tomou o leite da mamadeira da sua irmã, Belinha! É por isso que ela está chorando, filha. Agora, eu vou fazer uma coisa pra você: agora você não vai dar só o mamá de vez em quando... Você vai dar o mamá pra ela todo dia. A mamãe vai fazer o leitinho, você vai esfriar, colocar na mamadeira e você vai dar o leitinho pra ela... Todo dia você vai dar o mamá pra bebê. E eu vou ficar do seu lado, Belinha, mas é você que vai segurar a mamadeirinha. Isso será uma lição pra você não fazer coisas erradas com sua irmã. Você tem que entender, Belinha, que você já é grandinha, minha filha. Custava ter segurado a mamadeira?"

"- Não, mamãe... Mas eu dei um pouquinho pra ela... Daí eu bebi um tanto e dei mais um pouquinho pra ela... E tá bom pra ela, mamãe. Não precisa mamar tanto."

"- Belinha, Belinha... Ô, Belinha, minha filha, já te falei e tá falado! Agora você vai segurar a mamadeira todo dia, pra você aprender a não fazer mais isso. Ô, Belinha, a mamãe não coloca leite pra você tomar e o pãozinho pra você comer? Você não bebe o seu leite todinho e come o seu pãozinho e não fica com a sua barriguinha saciada?"

"- Sim, mamãe!"

"- Daí agora a sua irmãzinha, a coitadinha, ficou chorando, chorando..."

"- E eu, né mamãe... de barriguinha cheia!"

"- Olha, menina! E você ainda fica... Ô meu Deus!"

Nisso, vovô José chama Belinha:

"- Belinha!"
"- Olha lá seu vô chamando, olha lá!"
"- Que é, vovô?"
"- Faz favor..."

A mãe de Belinha fala:

"- Você não vai não! Você vai ficar aqui sentadinha..."

Belinha senta quietinha...

"- Ô, seu José, hoje a Belinha não vai não!"

"- O que aconteceu?"

"- A Belinha não pode ir aí não, porque agora ela vai ficar aqui sentada no sofázinho, ao lado da bebê, olhando pra bebê, pra ela aprender que ela não podia ter bebido o leite da bebê... Porque não pode fazer isso..."

"- Ah, Belinha... Hoje você não vai mesmo brincar mais, Belinha. Não pode fazer isso, minha filha! O vovô já não falou pra você?"

"- Falou vovô, mas eu estava com pressa pra voltar brincar..."

"- Belinha, você é a maiorzinha, filha. Não custa nada, de vez em quando, segurar a mamadeira."

"- E agora a mamãe vai me fazer dar a mamadeira todo dia, vovô."

"- Mas é bom, Belinha! Você não tinha que ter feito isso, filha. Você acha que tá certo?"

Belinha abaixa a cabeça, olha pra irmãzinha, olha o vovô e diz:

"- Mas eu não vou fazer mais."

A mamãe de Belinha faz Belinha preparar novamente o leite pra bebê, ela tampa a mamadeira e a mamãe fica só olhando. Quando a mãe de Belinha dá as costas, Belinha dá um pouquinho do leite pra bebê, mas quando a mamãe volta de novo, Belinha tomou novamente todo o leite. Agora a mãe de Belinha fica zangada:

"- Belinha, você vai ficar é três semanas sem brincar, Belinha... E três semanas sem ver o vovô José."

Belinha começa a chorar e a mamãe dela diz:

"- Você não vai, Belinha. E agora é pra você ficar no cantinho do pensamento... porque é muito feio o que você fez, minha filha. De novo você traiu a minha confiança. Você tem 7 anos... A sua irmãzinha tem 1 aninho só, Belinha. Por que é que não pôde ficar e dar a mamadeira pra ela?"

"- Eu me arrependo, mamãe... Me arrependo muito..."

"- Se arrepende não, Belinha! Você acaba de se arrepender, mas dali a pouco faz de novo..."

Belinha falou bem baixinho:

"- Quantas vezes a mamãe der o leite pra eu dar pra bebê, eu vou beber tudo, porque eu quero brincar..."

E lá seguia Belinha fazendo suas artes, porque Belinha não tinha jeito... Belinha não tinha limite. O negócio dela era ter paz pra brincar... E Belinha saía, mas a mamãe dela a colocava no cantinho pra pensar quantas vezes fossem necessárias... E Belinha diz:

"- Mamãe, eu preciso ir ali fora."
"- Precisa pra que, Belinha?"
"- Eu preciso olhar os pássaros."

Na frente da casa de Belinha tinha uma árvore... E aquela árvore ficava repleta de pássaros e Belinha ficava ali olhando encantada!

Belinha vai até a porta e diz:

"- Tá bom, mamãe... Eu faço uma coisa: eu seguro a mamadeira pra bebê tomar, mas só se a senhora colocar a bebê aqui fora pra eu poder dar pra ela o mamá..."

"- Mas Belinha, você ainda está me dando condições? Não, Belinha! A bebê não pode ficar lá fora... Está frio... A bebê vai ficar aqui dentro... Ô, Belinha!"

"- Mas eu obedeço, mamãe... mas só que eu quero brincar, mamãe."

Aí a mãe de Belinha pensa, pensa, decide e diz baixinho:

"- Ah, eu não posso ensinar a Belinha, pra ela ir devagarinho aprendendo que a bebê precisa de ajuda pra mamar... e pra ela ser amiga da bebê. Não sei porque que eu coloco a Belinha pra dar leite pra bebê, sendo que ela não quer brincar com a bebê!? Eu já fiz de tudo, ensinei ela a dar o mamá, pra ver se ela consegue ficar um pouquinho com a bebê ali, mas Belinha não quer... Belinha quer liberdade... quer andar... E pra ficar com a bebê, ela precisa ficar sentadinha, quietinha do lado... E Belinha não consegue... Belinha tem que brincar..."

Belinha fica ali quietinha, no cantinho do pensamento... E adormece e começa a sonhar. Sempre Belinha sonha com as suas artes... E mesmo dormindo fala:

"- Tá bom... Tá bom... Eu vou dar o leite direitinho pra minha irmã..."

A mamãe de Belinha e diz:

"- Ô meu Deus, Belinha está dormindo... E até dormindo, ela apronta... Tá bom, minha filha... Dorme, dorme, filha... Mas dessa vez você vai ficar uns bons dias dentro de casa. Não vou dar mais um castigo tão prolongado, mas você vai ficar dentro de casa uns bons dias, do jeito que eu determinei... Que é pra você entender a diferença do que é brincar com a diferença que é fazer as coisas..."

E Belinha dormia a tarde toda. Dessa vez Belinha não conseguiu escapar do castigo, mas dormindo, ela podia brincar sonhando.

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Ler conteúdo completo
Indicados para você