[ editar artigo]

BELINHA E O PÃO

BELINHA E O PÃO

 

O vovô de Belinha diz:

"- Belinha! Belinhaaa... Húúúú... Oi..."
"- O que é vovô? O que o senhor quer?"
"- Vem cá minha neta, preciso falar com você, meu amor... Vem cá!"
"- Não, vovô... Eu não posso ir agora."
"- Por favor, Belinha... Venha até aqui."

Lá vai Belinha,... Correndo...

"- O que o senhor quer, vovô?... Bença, vovô! O que o senhor quer?"

"- Ah, Belinha... Eu queria que você fosse ali comigo, colocar o milho pras galinhas..."

"- Não, vovô, não, vovô... Me perdoa. Dessa vez não, vovô! Não posso! Eu vou ter que se mal criada com o senhor, vovô."

"- Mas por que, Belinha?"

"- Vovô, a minha mãe está fazendo pão."

"- É, Belinha? O que é que ela está fazendo?"

"- Pão, vovô! E nós vamos fazer pãezinhos... E os pãezinhos vão virar uns coelhinhos."

"- Coelhinho, Belinha?"

"- Sim!"

"- Como assim, Belinha?"

"- Sabe, vô, aquela sementinha de Maravilha que tem lá no jardim da mamãe?"

"- Sim, Belinha!"

"- Então... Eu estou indo colher a sementinha, pra mamãe... Por isso eu não posso ir com o senhor até as galinhas."

"- Ah! Então vai, netinha... Tudo bem! Sendo assim, então tá!"

"- Tchau, vovô!"

"- Tchau, Belinha!"

Aí Belinha segue, correndo catar as sementes da Maravilha. Toda feliz, volta com aquelas sementinhas e chega:

"- Mamãe!"

"- Oi, Belinha!"

"- Já estão aqui as sementinhas que eu colhi pra senhora."

"- Ah... então tá! Eu vou cilindrar os outros pães e já vamos fazer."

Belinha ansiosa, ali do lado... E Belinha ia pra lá, ia pra cá... E via a massa do pão terminando... E aquela massa ia ficando um pouquinho... E Belinha já começava a se angustiar. A mãe de Belinha olhava pra ela e sabia que Belinha ia reclamar, mas Belinha ficou quietinha.

Belinha colocou a mão no queixinho, bracinho na mesa... Lá na pontinha... Sabia que se ela se aproximasse, pertinho do pão, a mamãe ficava brava.

Belinha quietinha, guardando as sementinhas no potinho... De repente, a mamãe veio com aquela massinha e começa a rolar aqueles coelhinhos. Aí Belinha olha pros coelhinhos:

"- Ah, mamãe... Não tá parecido, mamãe!"

"- Tá sim, Belinha... Quer ver?"

Aí a mamãe enrolou, já colocou as sementinhas no lugar dos olhos, já pôs as orelhinhas e Belinha ficava naquela ansiedade... E Belinha não sabia que os pães cresciam.

Quando Belinha vai olhar os pães pra ver como que estavam seus coelhinhos, Belinha toma um susto e, de repente, começa a gritar desesperada:

"- Mãe, mãe, mãe..."

"- O que é que foi, Belinha?!"

"- Mãe, meu coelho cresceu! Cresceu, mãe! Vai comer todos os pães, mamãe! Eles estão encostando as boquinhas nos pães..."

"- Não, Belinha! É o processo de fermentação, minha filha."

"- Não é verdade, mamãe! Olha aqui... Eles estão tão grandes, que eles vão comer os pães grandes..."

Aí a mamãe acalma Belinha:

"- Calma, Belinha!"

E Belinha dava trabalho, hein? Pensa numa menina que ao mesmo tempo que era engraçada, a mãe dela falava assim:

"- O que é que eu faço?!"

Aí Belinha, novamente, coloca as mãozinhas, puxa a coberta que cobria os pãezinhos... e Belinha de desespera novamente, pois os pãezinhos estavam maiores ainda. Belinha ficou decepcionada, porque os coelhinhos eram bem pequenininhos e agora viraram aqueles coelhões grandões.

Belinha pergunta pra mamãe:

"- Mamãe, eles não vão comer mesmo os pães grandes?

"- Não, Belinha... Não vão! Eles são só pãezinhos de brinquedo. A mamãe fez o bichinho pra você brincar com seu irmãozinho... Tá tudo bem! Agora vamos enformar."

E pra colocar o pão no forno, a mãe colhe as folhas de banana, coloca na assadeira e coloca os pãezinhos em cima. Quando a mamãe pega a forma e vai colocar no forno, a Belinha se desespera:

"- Não! Vai queimar os meus coelhinhos!"

Belinha tem uma imaginação muito, muito fértil... Ela não imaginava que aquilo era apenas uma massinha de pão. Ela já imaginava os coelhinhos correndo pra baixo e pra cima... E quando a mamãe coloca aqueles coelhinhos no forno, Belinha começa a chorar novamente e desesperada diz:

"- Tira, tira..."

"- Não, Belinha! Presta atenção, Belinha. É só uma massinha."

Aí enxugando as lágrimas, Belinha olhou e disse:

"- Mamãe, mas não vai machucar meu coelhinho?"

"- Não... Não vai, Belinha! É massa, filha.... Não vai. É igual quando a mamãe frita e faz os pãezinhos fritos."

"- Então tá bom, mamãe..."

Mas Belinha sai, fica encostadinha... Novamente, lá vem... A mãe desinformou o pão assado, lindo... Os coelhinhos perfeitos! Belinha toda feliz vai de encontro... A mamãe pega um pãozinho... Quando mamãe pega a faca pra cortar o pão, lá de novo, Belinha se desespera dizendo:

"- Não, mamãe! Vai matar os coelhinhos!"

Aí mamãe teve de desistir e deixar Belinha agir.

Belinha pegou um paninho e enrolou os coelhinhos, (eram dois pãezinhos pra cada um... E eles eram em quatro... Então ao todo eram 8 pãezinhos...), pega todos os pãezinhos e os escondem.

E quem fazia Belinha falar aonde estavam os pãezinhos? Mas Belinha não contou mesmo, porque ela achava que a mãe ia cortar e ia machucar os bichinhos...

E assim que Belinha pega aquela assadeira de pãezinhos, sai escondidinha e leva pro vovô:

"- Vovô... Vovô!"

"- Que foi Belinha?"

"- Guarda vovô... guarda vovô. A mamãe quer matar os meus coelhinhos!"

"- Não, Belinha! Isso são só pãezinhos! Olha aí, minha filha... É igual esse daqui que o vovô vai cortar pra você ver..."

Aí o vovô convence Belinha e ela ficou feliz! Daí veio a vovó, traz uma chaleirinha de chá e coloca na mesa... E põe Belinha sentada, e ela começa a comer... Mas as lágrimas caíam... E o vovô pergunta:

"- Por que você está chorando, Belinha?"

"- Vovô... Eu não tô machucando o bichinho, vovô?"

"- Não, Belinha! Tua mãe tá certa! Vai lá, Belinha... Leva os pãezinhos do seu irmão. Agora você viu..."

"- Tá bom, vovô!"

E vai lá a Belinha contente... A mãe de Belinha chegou lá e disse:

"- O que você está fazendo com esses pães, menina?"

"- Eu fui levar pro vovô, pra você não matar meus coelhinhos, mas o vovô disse que não... É só a massinha... Sabe o que é, mamãe? É que eu vejo eles tão bonitinho, que pareciam aqueles coelhinhos de verdade, mamãe. Olhando pra mim, com aqueles olhinhos vermelhos..."

"- Não, Belinha! Mas isso daqui é só uma imitação, minha filha."

"- Ah sim, mamãe... Me desculpa!"

Belinha se levanta e sai toda sorridente. Ela faz toda aquela peraltice, toda aquela maluquice... Fica ali envergonhadinha um pouquinho, mas logo esquece... E Belinha sai, pega novamente os pãezinhos, chama seus irmãozinhos e começa a brincar.

Belinha esquece que é um pão e começa a fazer aquele bichinho caminhar na mesa... Pra lá e pra cá... E foi só aquela alegria... Risadas pra lá, risadas pra cá... E enquanto isso, chega o vovô e mamãe de Belinha diz:

"- Você viu só a situação que Belinha estava?"

"- Pois é... Ela nunca teve essa reação!"

"- Mas não... Ela imaginou que fosse um coelho de verdade."

"- Pois deu trabalho, pois?!"

"- Pois... A Belinha tem sua imaginação... e quando ela imagina, ela cria uma fantasia que é real. Olha ali pro senhor ver... Não é que ela está brincando com os coelhos, pensando que são de verdade? Ela já esqueceu tudo o que o senhor ensinou... Tudo!"

"- Ahhh,... Vamos fazer o que né? Mas ela é linda, né? Ô criança linda! Olha como brinca feliz! De tudo Belinha tira proveito. Belinha é uma criança feliz!"

E Belinha disse:

"- Olha, vovô meus coelhinhos!"

Aí ele começa a fazer coceguinhas no nariz do coelhinho... Claro que comer já era impossível, né? Que naquelas alturas, o coelho já estava todo sujo da mãozinha deles... Aí aquele pãozinho que era um alimento, acabou virando brinquedinho.

Aí deixaram o pão lá... o tempo passou e o pãozinho ficou duro. Belinha passa a fazer daquele pãozinho o seu brinquedinho... E assim Belinha segue seus dias feliz e contente! E já cobrando da mamãe a próxima fornada de pão. A mamãe fala:

"- Belinha, Belinha... Como você é feliz, minha filha!"

"- Ah, mamãe... Eu sou feliz! O vovô sempre fala que eu sou feliz."

"- Eu amo você, minha filha!"

"- Eu amo você, mamãe... E amo o vovô!"

Belinha não deixava esse vovô por nada na vida.

Ah! Belinha muito feliz e contente, sempre fazendo suas peraltices...

Essa é mais uma aventura de Belinha.

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Ler conteúdo completo
Indicados para você