[ editar artigo]

Boas Festas. Santo Natal!

Boas Festas.   Santo Natal!

Ao meu lado, muitos apetrechos: desde papel higiênico, termômetro, água, repelente, toalha, cartão de crédito.

Do outro lado minha bebê.

No meio, o sono desapareceu da mente, do corpo. É como se fosse uma entidade mitológica. Distante. Um conto de fadas da terra dos humanos.

Então, começa a desfilar em minha mente os corajosos, destemidos. Aqueles que tiveram a ousadia de revelar quem somos a quem acredita que deuses são: humanidade.

Está bem, há vida fora desse espaço infinito que chamamos amor. Contudo, sinceramente, é um tipo de vida que não me interessa. Não quero viver desvivendo, ignorando meu próximo. Prefiro a insônia.
A cabeça procurando soluções, as mãos estendidas talvez tão desesperadas quanto aquelas que buscam as minhas e creem que foi uma resposta de seus clamores por socorro e milagres.

Lembro de meus outros  filhos.
Estão em férias, tão felizes na casa dos dindos. Numa experiência de tanto amor e pertença. Sorriem felizes. A vida passada deles parece que nunca existiu. Simplesmente agora eles têm amor, respeito, alimento. Estão felizes e usufruem da alegria de terem passado de ano escolar.
Surpresos foi um coro:
- Mamain, eu já passei?!

Para eles as coisas ainda não são sinônimos... tanta aprendizagem.
Eu não me importo, porque gosto muito de pensar que somos daqui apenas visitantes e a vida é um sopro.

Fato é que meus filhos chegaram para mim porque foram talhados pelo corpo de dor da humanidade.
Fome, desamor, abandono, exclusão, injustiça social, captura, escravidão, competição, miséria.

Centenas, milhares... aguardando o filho idealizado. Centenas, milhares... sem uma família, uma simples família. Poderia ser uma jovem mulher, cujo marido seria carpinteiro, bem mais velho.

Entretanto, não há lugar em sua mesa. Nem à sua porta bateu, porque não a alcançava.

Teve fome, teve sede. Esteve preso, dolorido. Solitário, abusado, violado. Não, não me estendeu a mão. Sequer o coração.

Aha! Mas, sou pessoa de muita sorte. A vida me entregou você, filha preciosa. Você, um pequeno bebê especial, rejeitado pelo mundo adotivo, abriu um mar de bênçãos em minha vida.

Outros sete já chegaram. Outros pedem para me chamar Mamain. Outros esperam uma autorização judicial para se juntarem a nós.

Talvez, espremidos num carro simples, antigo, motor reformado, eu esteja carregando um Milan Kundera, Pablo Neruda, Nina Simone, Yunnus, Einstein, Ana Botafogo. Ou não.
De algo tenho certeza: estou conduzindo o futuro. Cuido e duas lágrimas se inclinam numa profunda reverência. Cinquenta e seis octilhões de átomos confiados a mim pelo Universo.

A manjedoura está de férias. Lençóis e cobertores no varal. Porque eles voltam renovados. O silêncio da nossa Casa Real declara suas saudades. Casa sem meninos é casa sem alegria.

Se você for um insatisfeito, um buscador, uma pessoa que se importa com os que sofrem,  uma pessoa fora da curva e da caixa, talvez não conseguirá ter um feliz Natal, mas terá uma vida significativa e deixará o seu legado, sua obra. 😥⚘💖

Que o Menino-Amor nos guie. Amém.

♥️

Olinda Guedes

#autoria #livronovo #filhos #filhospreciosos #avidaehumsopro #familiareal #olindaguedes #filhossaobencaos #adoption #santonatal

 

 

OLINDA GUEDES é mãe. Sua primogênita é Nina Maria. Apaixonada pela vida, escreve com o coração o que cabe em palavras. Dona do Pedaço é o terceiro livro de sua autoria.

Enfeita a casa para o Natal há muitos anos, mesmo antes dos filhos nascerem. Sua mamãe também era uma mulher muito gentil e cuidadosa com a felicidade. Todos os anos tinha árvore de Natal.

Conduz, no Instituto Anauê-Teiño, a Escola Real, uma Escola de Saberes Úteis. Uma iniciativa cujo objetivo é trocar saberes das diversas ciências com o propósito de uma vida mais feliz, próspera e saudável.

https://sabersistemico.com.br/@olindaguedes

https://www.facebook.com/olindaguedesfanpage/

https://www.youtube.com/c/OlindaGuedes

https://www.instagram.com/olindaguedes/

https://escolaolindaguedes.com

 

Venha fazer parte da “Escola Real Saber Sistêmico – Olinda Guedes”.

Um espaço de encontro e convivência online,* dos seus alunos e/ou participantes dos Grupos Terapêuticos de Constelações Sistêmicas, conduzidos por ela.

🏫 http://bit.ly/EscSaberSistemico-Oli

Ao entrar no grupo, apresente-se. Depois vá até o início e procure ler a mensagem de boas-vindas, com informações importantes sobre nosso modo de caminhar juntos.

 

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
OLINDA GUEDES
OLINDA GUEDES Seguir

Oilá, gente linda! É uma boa história a minha vida... ainda temos muito a viver. A parte mais linda é ser "Mamain" das duas princesas Nina Maria, Camila Maria e dos cinco príncipes cavalheiros...

Ler conteúdo completo
Indicados para você