[ editar artigo]

Carta à minha querida filha! Aula 2 Imersão com Olinda Guedes

Carta à minha querida filha! Aula 2 Imersão com Olinda Guedes

Agora eu vejo você. Vejo a sua dor quando eu a rejeitei, por não estar casada e ter ficado grávida. Tive que esconder a gravidez, minha mãe estava gravida também e com gravidez de risco. Sofri muito, pois tinha que fazer serviços pesados pra minha mãe, (gravidez de risco) e eu morrendo de vomitar, fraca, tinha que fazer tudo passando mal, não podia contar. Mas, logo casei e aceitei você, com amor. Mas,  quando você nasceu, não sei porque razão, não voltei logo da anestesia da cesariana, ficando em coma por 2 dias.

Depois, quando você estava com 3 meses de vida engravidei. Gravidez de risco, passei por muitas coisas e você foi uma guerreira ficando com sua avó, amada madrinha. Sua irmã não veio para este mundo, aos nove meses morreu na minha barriga enforcada no cordão umbilical, virando um anjo. A minha dor foi tão grande que não conseguia reagir,  fiquei com depressão por 2 anos, não querendo viver e você novamente só. Sinto muito minha linda e amada filha.

Vieram mais 2 anjos para se juntar à sua irmã. Depois veio o seu irmão, eu novamente deixei você para ir ter seu irmão. Aos seus 5 anos fomos viajar, sofremos acidente de carro e eu fiquei em coma com traumatismo craniano e você novamente só.

É, assim foi sua vida, eu não entendia porque de sua preferência pela sua avó e seu avô paterno, seus padrinhos os quais hoje sou muito grata por todo o amor que dedicaram à você. Como eu sempre trabalhei muito fora, deixava você e seu irmão com os outros, e achando que estava fazendo o melhor os deixava aos cuidados de minha mãe. Vocês não gostavam e pediam para ficar nos avós paternos, mas eu não entendia que lá nem você nem seu irmão eram respeitados, na minha cabeça vocês só recebiam amor de verdade e não um amor doente. 

Me perdoe, eu não tinha como saber, eu sequer imaginava que meu pai mexia com você e que meu irmão abusava de seu irmão. Depois não entendia porque vocês não queriam frequentar a casa deles. Como eu poderia imaginar?

Aí você cresceu e quando foi visitar sua sobrinha novinha e ficava brava quando seu avô pegava sua sobrinha, minha netinha, eu não entendia. Agora eu sei o sofrimento de vocês. O quanto você teve que lutar para sobreviver com tamanho desrespeito, tamanha dor. Eu sinto muito. Me perdoe minha filha. Eu tentei fazer o meu melhor.

Sei que errei muito, mas o tempo não volta mais. Agora sei que ainda dá tempo para consertarmos. Hoje, estou aqui e sei a sua dor, o seu sofrimento. Hoje entendo porque nosso relacionamento nunca foi bom, você sempre agressiva comigo. Eu não estive presente na sua infância. Quero o seu melhor. O que posso fazer para superarmos isso tudo minha filha? Como podemos superar juntas e você curar sua depressão? Suas angústias? A falta de vontade de viver e querer tirar a vida? Sua compulsão por comida? Estou aqui e quero seu melhor!

O que posso fazer por você minha linda e amada filha? Deus nos ajude! 

Gratidão por estar aprendendo nesse grupo maravilho da mestra Olinda. 

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Ler conteúdo completo
Indicados para você