[ editar artigo]

Carta aos meus antepassados

Carta aos meus antepassados

Queridos antepassados,

Hoje venho agradecer por todas as suas lutas e sofrimentos, pelos medos que vocês enfrentaram, pela coragem que tiveram, de sair da sua pátria fugindo da fome, da miséria, buscando uma nova oportunidade de vida feliz. Agradeço por tudo o que viveram na travessia, da Europa para o Brasil. Alguns de vocês vieram do norte da Itália, por volta dos anos 1880, outros vieram da Alemanha, na mesma época. Soube, ainda, que há alguém no meu Sistema Familiar, de origem ucraniana e de origem espanhola.

Como vocês trabalharam por todos nós! Quanta privação, quantas doenças vocês enfrentaram nos navios... hoje eu sei que não foi nada fácil mas vocês venceram, e chegaram aqui, na esperança de uma estrutura de vida que certamente não encontraram. Contaram, os avós que conheci, que não havia nem mesmo um teto para dormir e se proteger do frio, no começo. Mas vocês foram fortes e sobreviveram, e venceram. Tanto é verdade, que hoje eu estou aqui, a vida chegou até mim porque vocês permitiram que os filhos viessem. Vocês priorizaram a vida! Grata, muito grata por tudo!

Vocês trouxeram de lá, não apenas o medo da fome ou de não sobreviver. Vocês trouxeram tantas coisas boas também, como a cantoria, a dança, as habilidades culinárias, a força e a vontade de trabalhar, a criatividade. Muitos de vocês, viram-se explorados como força de trabalho mas não sucumbiram, e usaram da fé em Deus e do seu canto para reavivar a alma! Grata por essa fé viva, que fez a vida continuar! Grata pelo gosto por cantar e dançar que hoje eu trago!

Queridos trisavós, queridos bisavós, queridos avós, eu ainda tenho a mesma dificuldade de prosperar financeiramente e em propriedades, que meu pai tinha; o mesmo medo de doenças e do futuro, que a minha mãe tinha. Eu ainda não tenho total clareza sobre isso e, talvez por isto, não estou totalmente curada, mas agora estou no caminho da cura, por todos nós porque agora eu vejo o que vocês passaram. Sinto que agora é possível..

Sinto muito, querido bisavô paterno, por você ter morrido tão cedo, e meu avô ter ficado órfão e sem herança, por ter sido adotado ainda criança para trabalhar. Que pena, querida bisavó, por você também ter ido logo depois, e deixado seus amados filhos. Sinto tanto, querido avô, por sua orfandade, por ter passado fome e frio, e precisar trabalhar tanto, tão pequeno! Gratidão por ter seguido em frente e dito sim à vida do meu pai, e tê-lo amado tanto! Gratidão, querida avó por ter criado, junto com meu avô, um pai tão amoroso para mim.

 Sinto muito, querida bisavó materna, por você ter adoecido na gestação da minha avó, perdido a visão e ter ficado sozinha, e depois ser obrigada a doar seu bebê, por ser considerada muito pobre e cega! Sinto mais ainda por você ter sido esquecida e excluída da memória da nossa família depois disso, e sou muito grata por ter permitido que agora soubéssemos da sua história. E eu respeito o seu destino, e agradeço por ter permitido que a vida da minha avó seguisse, e fosse adiante, cuidada e amada por outros pais. Sinto muito, querido bisavô, por você não ter conseguido, e ido embora... hoje eu vejo também a sua dor. Se você permitir mostrar-se, poderemos encontrar algo da sua história.

Querida avó materna, você foi forte e sobreviveu, e cresceu, mesmo sem ter o leite da sua mamãe. De você, eu lembro que vi o seu amargor pela vida, a sua depressão, mas também vi o seu amor por mim. Gratidão pela vida da minha mãe, que chegou até mim e que continua nos meus filhos e netos! Minha mãe também partilhou desse amargor e medo pela vida. Hoje, que há tão pouco tempo descobri a sua história, compreendo muitas coisas, e sei que estou no caminho da cura e da superação. Gratidão por deixar ver! Querido avô materno, sua vida foi tão difícil que tornou você tão rude com suas filhas e filhos, mas eu agradeço pela vida da minha mãe, igualmente, e me reverencio diante da sua grandeza.

Queridos antepassados! Muita gratidão pela vida que chegou até mim! Procurarei honrá-los, fazendo o melhor que eu puder com tudo o que recebi. Peço que me abençoem e me permitam fazer diferente no que for preciso!  

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Angela Helena Bona Josefi
Angela Helena Bona Josefi Seguir

Ângela é casada e tem 5 filhos. Tem formação em Constelações Sistêmicas e Organizacionais by Olinda Guedes. É professora, com experiência na Educação Básica e no Ensino Superior. Palestrante e ministrante de cursos na área da Alfabetização.

Ler conteúdo completo
Indicados para você