[ editar artigo]

CARTA AOS MEUS ANTEPASSADOS

CARTA AOS MEUS ANTEPASSADOS

Uma história muito linda para ser contada em poucas linhas, mas que agora entendo que tem muitos segredos a serem revelados. Meus pais são primos-irmãos, e na linguagem sistêmica, isso quer dizer que segredos devem ser guardados. Mas posso dizer que eles foram muitos felizes durante os dezoito anos de casados.

Minha mãe conta que passaram por dificuldades, mas eram muito amigos e companheiros. Ele morreu aos trinta e nove anos. Deixou ela com 8 filhos vivos e uma falecida e esta seria a segunda mais velha.

Quando estava fazendo esse módulo, lendo os livros e fichando, fui entendendo porquê minha mãe nunca mais se casou e entregou sua vida a cuidar dos outros e da natureza: ela viveu muito bem o tempo que esteve com ele, mesmo passando por dificuldades.

Ela fala que foi tão feliz que nunca conseguiu esquecer.

Eles deram certo porque se respeitavam, se entendiam. Eles nunca dormiram separados ou longe um do outro e quando precisou, nunca mais se viram.

Mesmo tendo gostos diferentes, não se anularam por causa do outro: se complementaram. Minha mãe sentia falta do trabalho na igreja, mas com tantos filhos e na fazenda, acabou fazendo pouco. Depois que ficou viúva, ela procurou preencher sua vida dedicando-se aos outros. E os filhos foram seguindo seu exemplo. E ela sem saber, também ajudou e continua ajudando a curar as injustiças cometidas em nosso sistema com muitos dos antepassados.

Papai José Pedro, o senhor partiu muito cedo e a mamãe teve que se desdobrar com meus irmãos para nos criar. Lembro que muitas vezes fiquei muito zangada e chorava porque achava injusto ter ido tão cedo, se era tão bom. Hoje eu te perdoo mais uma vez e entendo.

Eu te vejo e sinto muito pela sua dor em também partir e nos deixar. Mas agora nosso sistema está sendo curado e ninguém mais precisará seguir na morte.

Ao olhar para meus pais, mais pelas histórias que a mamãe conta, percebo que este módulo é a chave de ouro pra quem quer ter um relacionamento sério e duradouro. O respeito e a reciprocidade tem de estar lado a lado.

É preciso correr alguns riscos juntos. Não dá pra pessoa se anular e deixar que só o outro tome as decisões. É preciso equilibrar, ponderar e sempre dialogar. Não pode deixar pra depois, é preciso falar e viver o presente, não esperar pra depois, porque talvez não tenha mais a pessoa ao seu lado.

Sou muito grata aos meus pais, pela vida e pelo amor que sempre nos dedicaram. Obrigada papai e mamãe, porque por vocês, hoje sou uma mulher feliz, realizada e apaixonada pela vida. Através de vocês a vida chegou até mim e vou continuar espalhando amor por onde passar

Gratidão pela vida e pelo amor!   

 

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Alzenir Maria Severino Barbosa
Alzenir Maria Severino Barbosa Seguir

Sou Alzenir Barbosa, tenho 48 anos, sou a oitava filha de José Pedro Barbosa (já falecido) e Odete Severino Barbosa. Moro atualmente em Belo Horizonte para estudar.

Ler conteúdo completo
Indicados para você