[ editar artigo]

CARTA AOS MEUS QUERIDOS E AMADOS ANTEPASSADOS

CARTA AOS MEUS QUERIDOS E AMADOS ANTEPASSADOS

Hoje resgato, pela primeira vez, através dessa carta, tudo que vocês viveram antes da minha vida e a isso sou grata.

Abençoo a união dos meus pais através do matrimônio da qual sou a primeira filha e a primeira neta dos avós paternos.

Meu avós paternos, agradeço ao pertencimento com eles até os meus 42 anos, que deixaram um legado de amor e união, onde a saudades é muito grande até hoje.

Vovó Lola (bisavô paterno veio de Portugal), pessoa presente, sensível e muito amorosa, onde lutou com seu casamento com o vício do meu avô Giacomo              (bisavô paterno vindo da Itália) de jogar cartas e no "bicho", deixando muitas vezes ela em solidão. Perdas financeiras. Foi a fuga dele, após a filha mais velha morrer com apenas 13 anos (cardíaca) e meu pai, o segundo filho. Minha avó ficou deprimida. O casal passou muita fome na infância e adolescência do meu pai; onde o mesmo recuperou o financeiro da família. 

Mesmo com tudo isso, amorosos, generosos e com bastante amor e alegria.

Gratidão por eles!

Meus avós maternos. Meu avô Germano veio da Áustria quando pequeno com meus bisavós e não teve muito amor da família. Ele era nervoso, bravo com os filhos mas sempre amoroso com os netos. Ficou viúvo muito novo.

Minha avó materna Francisca (bisavós índios) faleceu quando eu tinha 1 ano. O casal teve 12 filhos, uma morreu com 3 anos, adotou mais 3 filhas no total de 14 mulheres e 1 homem.

Em meu nascimento, pela devoção dela a Nossa Senhora Aparecida foi dado esse nome para mim, onde no parto da minha mãe ambas correram risco de vida. Grata pela intenção dela de vida por mim.

Acredito que tenha reverberado dela, o meu querer e do meu marido em termos a filha do coração que se chama Maria Vitória, com 11 anos que pertence desde 1 dia de vida a nossa família.

Minha mãe, sou grata pela mulher que sou, onde me ensinou o respeito e a grande esposa que foi para meu pai. Havia uma submissão à ele e sempre repetia que o amava muito. Grande dedicação à ele.

Meu pai, homem nervoso e agressivo. Batia em nós filhos quando pequenos. Materialista. Muito medo de faltar o que dar aos filhos. Sou grata à tudo que ele me proveu, pois em minha infância, adolescência e início da fase adulta me deu tudo de bom e do melhor. Fartura, viagens, compras e meu ensino acadêmico em psicologia, mantido financeiramente por ele.

Gratidão pela vida e pelo profissional.

Honro cada um dos meus antepassados pelos sentimentos de amor dados a mim. Somente existo através de cada um de vocês.

Gratidão! Gratidão! Gratidão! 

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Ler conteúdo completo
Indicados para você