[ editar artigo]

Comichão Sistêmico, movimentos do caminho.

Comichão Sistêmico, movimentos do caminho.

Estou eu lá, quieta.

Sem movimentos bruscos, sem nenhum tipo de estímulo para tal.
Eis que vem aquela voz  interior, dos escritores, e diz: "É necessário derramar. Ou declamar, como quiser."
A outra voz que fala é a minha: "Derramar o quê?"
Volta um som estrondoso e diz: "De você."
Assinto. É hora de começar.

Toda vez que escrevo também falo sobre as ordens do amor, porque ela reverbera no tempo e espaço. Em contato com diversas realidades, eu passo a crer cada vez mais nesse sistema de vida inteligente que a tudo permite ser como é.

Por falar nisso, entendo que nós como seres humanos somos criadores de muita desigualdade, de dores e violências. Estimo que a troca desse mundo se dê pela mesma fonte do começo disso tudo. Já dizia Bert, que a cura está no mesmo caminho que levou a doença.

Quais doenças colocamos no mundo, como um sujeito individual?

Há de se pensar que cada um que toma seu lugar de força, e de bons movimentos internos e externos, estão voltando pelo mesmo caminho que ficaram doentes, para então se curar.

Nosso mundo está meio desorganizado com sintomas de pressa, angústias, depressão e tantos outros sentimentos negativos.

Será que não é hora de voltar?

Quais hábitos são danosos?

Quais movimentos não te tornam presente, e te tornam doentes, ausentes, descrentes? Ouse mais por sua própria história.

Houveram muitos antes de você que arcaram com o viver, as vezes conscientes, as vezes transigentes, as vezes a vida passou no vão dos dentes. Mas ela chegou, e é sua hora.

HORA da consciência. De liberar padrões, emoções, de buscar onde fica bom para você, se reposicionar como os astros, como sua alma.

Aliás, alma tem movimento. Corpo é que endurece.

Dura realidade essa, onde nem sabemos para onde vamos.
Saber para onde vai é escutar a voz interior que leva você. Parar, ouvir, refletir.
Nesse momento, você sabe trilhar o próprio caminho? Sabe onde ir?

Eu ouvi aqui que tinha que escrever, lembra? (Sábia voz-inha!) É essa cura que volto encontrando pelo mesmo caminho onde havia adoecimento.

Fazendo a ré encontro novas flores, comportamentos, ações, emoções, movimentos, pessoas, traços, padrões, ancestralidade, espiritualidade. Imagina se continuo sem andar pelo passado calmamente, como será que seria o futuro?

Te diga, como será?

Escritoras tem mania de concluir o texto com frases de efeito. Eu também. Porém, hoje não, continuarei escrevendo, e escrevendo...

Cabe a vocês preencherem o final desse texto. Ou seria apenas o começo? Onde é que você vai, hein?


Memória soltas do inconsciente ciente.

Rayanne Jarcem

 

Chic e Fashion: Florinda exibe o nordeste em sua nova campanha

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Rayanne Jarcem
Rayanne Jarcem Seguir

Um cadinho de Cláudio e um tantin de Edilma! Uma mistura que cresceu e foi investir no amor a vida. Também pudera, o que eles me deram é muito grande. É o novo, portanto, é poesia.

Ler conteúdo completo
Indicados para você