[ editar artigo]

Conflitos Judiciais à luz da Constelação Sistêmica

Conflitos Judiciais à luz da Constelação Sistêmica

Ao observar um conflito a partir da Constelação Sistêmica é possível compreender a origem deles, além da possibilidade de reparar o dano de modo que ambas as partes processuais saiam aliviadas da disputa.

A partir da compreensão sistêmica o conflito passa a ser olhado através das lentes da real justiça, do real equilíbrio, da real reparação.

Para os operadores do judiciário, não é novidade que muitos casos retornam por não encontrar uma solução adequada durante o processo, são diversas audiências sem uma solução definitiva. Desse modo, aqueles que se sentem violados em seus direitos acabam indo buscar novas respostas do judiciário, para os mesmos problemas, como se aquele fosse o capaz de resolvê-lo, entretanto, isso não acontece, pois aquilo que está por de traz do conflito não é trazido a luz durante um processo judicial que segue o seu curso natural.

O processo judicial não possui condições de apresentar alguns elementos que seriam de suma necessidade para que o conflito fosse solucionado. A lide processual fica restrita aquilo que compõe os autos processuais. Em muitos casos, desconhece-se a origem real dos conflitos inclusive. Desse modo, as partes encontram no Estado/Juiz, alguém que fará a suposta justiça. Porém na prática não é o que acontece, pois o juiz não tem conhecimento das reais questões que levaram aquelas pessoas até lá. Quando ele julga, o faz por meio do que está contido nos autos, então as pessoas se sentem injustiçadas com algumas decisões. Além disso, muitas vezes a lei não consegue abranger a infinidade de possibilidades que ocorre na vida dos sujeitos.

Por isso que um conflito levado ao poder judiciário tem possibilidade de solução efetiva, quando é submetido a uma análise mais profunda e isso pode ser feito através de uma Constelação Sistêmica.  

Porque a Constelação ajuda a enxergar o conflito por outra ótica sendo capaz de deixar clara a origem dos conflitos possibilitando que a aquelas pessoas identifiquem os emaranhamentos familiares a que elas possam estar identificadas. Esse fenômeno da identificação leva muitas pessoas a agirem de maneira que não são tão autônomas quanto elas imaginam, por se tratar de memória transgeracional, ou seja, uma repetição de um padrão que acontece ao longo de gerações que ocorre até que uma solução efetiva surja.

Ao imaginar que um casal ajuíza uma ação de separação podemos saber que muitas questões aconteceram para que aquele relacionamento chegasse ao fim. Um processo que seguiria seu curso natural não exigira que informações além das básicas (se tem filhos ou não, se constituíram bens na constância do casamento, se é litigioso ou consensual...) Porém, ao conduzir uma audiência de conciliação observa-se que a mulher tem um olhar triste, um choro engasgado, uma tristeza não vista nem reconhecida. Por outro lado, o marido sente que tem obrigações para com o filho e sabe que precisa contribuir nas despesas da criança, mas nem olha nos olhos daquela mulher que talvez precisasse tanto dizer o que não foi dito, chorar o que não foi chorado. Nesse caso, a constelação poderia ajudar a essa mulher a superar o choque da separação e compreender suas razões.

 As frases que talvez ajudariam a mulher poderia ser ditas pelo homem a mulher seriam: Eu sinto muito. Um dia a gente se amou, mas nosso relacionamento terminou. Nós temos um filho que é fruto desse relacionamento, fruto desse amor que um dia existiu, porém acabou. Eu sinto muito. Mas em nosso filho nós permaneceremos juntos para sempre.

Talvez ela pudesse dizer a ele, um dia nós sonhamos juntos, criamos expectativas juntos, fizemos planos, achávamos que era para sempre, porém você me traiu. Eu sofri com tudo isso, eu senti ódio e raiva de você. Mas agora entendo que nosso relacionamento acabou e sinto muito. Eu também contribuí de alguma forma para nossa separação. Ninguém causa uma sepação sozinho a responsabilidade sempre é dividida. É 50% para cada um. Metade minha metade sua.

Talvez essa seja a primeira vez na vida que essa mulher tenha oportunidade de dizer essas coisas a esse homem. E embora haja um término ambos não precisam ficar com ódio um do outro. Essas frases poderiam curar essa relação e possibilitar um alívio para ambos. De modo que se encerre um ciclo com respeito ao destino do outro.

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
MILENA PATRICIA DA SILVA
MILENA PATRICIA DA SILVA Seguir

Sou mãe do pequeno Henrique, escritora professora de Direito Sistêmico, Advogada, pesquisadora, terapeuta, master e coach em PNL, doula, apaixonada pelo cuidar do ser, pelo conhecimento, pelos livros e pela vida e por chá de manjericão.

Ler conteúdo completo
Indicados para você