[ editar artigo]

Conhecimento e Sabedoria: é a mesma coisa?

Conhecimento e Sabedoria: é a mesma coisa?

Uma coisa muito legal que aprendi na minha vida é a diferença entre conhecimento e sabedoria. Isso tem feito muito pelo meu crescimento pessoal. Você já pensou sobre essa diferença? Para muitos ela não existe, mas ela é fundamental para tudo ao nosso entorno. Pelo menos, eu acho.

Vamos ver a diferença?

Conhecimento é o ato ou efeito de conhecer, é ter ideia ou a noção de alguma coisa. É o saber, a instrução e a informação.

Sabedoria é a característica de uma pessoa sábia e que significa um conhecimento extenso e profundo de várias coisas ou de um tópico em particular.

A sabedoria muitas vezes é indicativo de uma pessoa instruída, que tem muito juízo, bom senso e se comporta com retidão. (Site: Significados)".

Opa!!! Quase parece que nem tem diferença, não é mesmo? Como se um fosse o sinônimo da outra. Mas, não é. Não é mesmo!!!

No meu entendimento, a diferença básica entre eles é o lugar que ocupam. O conhecimento vem de fora, é tudo aquilo que se pode saber sobre algo externo a você. Como fazer as coisas, matemática, culinária, ciências  e etc.

Já a sabedoria é algo que vem de dentro de você. É uma coisa que você sabe mesmo sem ter conhecimento externo. Algo que lhe vem por intuição ou por experiência de vida. Temos uma vastidão de pessoas velhinhas que demonstram ter aprendido muito com a vida, isso é sabedoria e também temos muitos exemplos de grandes conhecedores de temas quaisquer e que não são ao menos capazes de transmiti-los de forma coerente.

A sabedoria vem da Alma, da compreensão que desenvolvemos a partir de um conhecimento. Vou dar um exemplo que pode parecer um pouco polêmico, mas na minha opinião é excelente para compreendermos o significado e a diferença entre essas duas pérolas. Porque sim, ambos são fundamentais e não existem um sem o outro, embora tenha muito gente teimando por aí que sim.

Vamos ao exemplo. As grandes religiões foram baseadas na sabedoria de alguém, correto? Porque veio da experiência religiosa individual e particular. Vamos usar a ideia do Cristianismo, apenas como um exemplo, poderia ser outro qualquer. Jesus Cristo não escreveu nenhuma linha e não criou nada como Instituição em seu nome, assim como outros sábios também não o fizeram. Jesus viveu a experiência íntima de contato com a Consciência que ele chamava de Pai. Com experiência religiosa quero dizer que religião vem da palavra religare que significa retornar à origem, ou seja, a Deus. Então, é importante ter claro que, nesse contexto, a experiência religiosa significa um contato individual com a presença do Divino e não a experiência grupal de uma dada Igreja. Levando-se em consideração a Igreja como Instituição (não como uma construção ou prédio).

É aí que começa a confusão. Quanto participamos de um grupo religioso que segue dogmas e preceitos  pré-escritos estamos desenvolvendo nosso conhecimento. Seja lendo qualquer doutrina de qualquer cultura é isso que estamos fazendo, adquirindo conhecimento. E muitas pessoas buscam esse tipo de recurso como resposta para suas questões. Todas as instituições religiosas também oferecem práticas, tais como: orações, meditações, confissão e outras como forma de praticar esse conhecimento, mas o interessante é que essas práticas, em geral, são relegadas a segundo plano pelos devotos e até mesmo pelas próprias Instituições. E é nesse contexto que se perde a oportunidade de, vivendo o seu próprio "religare", adquirir sabedoria e saber intuitivamente o que buscar e o que fazer nos momentos difíceis da vida e sobre os quais não dão instruções nas Igrejas, como por exemplo: lidar no dia-a-dia com relações pessoais, uso de drogas, abortos e etc. Esses temas podem apesar ser transmitidos como conhecimento, porque a Instituição não pode resolver isso por você. Porque ela não está dentro de você, não tem contato com suas emoções, com seu eu interior. Só a sabedoria pode fazer isso, só você conhece e sabe de você mesmo, ou pode vir a saber (se não fugir do autoconhecimento, que nada mais é que outro nome para sabedoria).

Muitas pessoas acreditam que basta ouvir a palavra ou repetir o Santo Nome para que as suas dores sejam curadas, isso significa trocar a sabedoria que vem de dentro pelo conhecimento que vem de fora. E isso não é possível. E porque não? Porque somos seres únicos e minha sabedoria ou experiência íntima só serve para mim mesma e a sua só serve para você mesmo. Mesmo que adquirir conhecimento seja algo importante e até difícil, ele nunca servirá de nada na hora em que, em desespero, você se der conta que estudou tudo sobre tudo e nada sabe sobre você mesmo.

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Simone Belkis
Simone Belkis Seguir

Simone Belkis se formou em Letras na UFPR. É uma estudiosa do esoterismo e cantante. Seu amor maior são os livros. Escrever é sua forma de criar o famoso mundo melhor, e sua praia é contar suas próprias descobertas para inspirar pessoas.

Ler conteúdo completo
Indicados para você