[ editar artigo]

Crise: um convite à criatividade

Crise: um convite à criatividade

As crises nos desafiam a sermos criativos.
O excesso de recursos, por vezes, bloqueia esse processo.

Minha infância foi repleta de desafios.  Especialmente a falta de recursos financeiros. A vida era realmente difícil, uma luta pela sobrevivência. Não foram poucas as vezes em que a criatividade nos ajudou a atravessar tempos difíceis, deixando marcas positivas, nos tornando mais fortes e confiantes.

Lembro-me de uma vez em que minha mãe anunciou: "- Não temos nada de alimento em casa.  Acabou tudo: arroz, feijão, etc". Ela foi até o armário onde guardava os alimentos e encontrou um pouco de farinha de trigo.  Pegou e disse: "- Vou fazer algo com isso".

Ela fez uma massa, como de macarrão e, para esticá-la, usou uma garrafa de vidro, roliça. A gente não tinha o famoso rolo de macarrão... Cortou aquela massa em tiras, depois em  pequenos cubinhos. Enquanto isso, uma panela grande estava no fogão com água para ferver, onde colocou os cubinhos para cozinhar. Preparou um molho vermelho: alho, óleo e colorau para temperar. Fez algo parecido com o que hoje chamamos de nhoque, mas na época, a gente nem sabia que existia esse prato. Ela diz, até hoje, que era macarrão caseiro.

Numa outra ocasião, em que faltavam alimentos cotidianos, ela ficou muito apreensiva ao falar com a gente - crianças entre 3 e 10 anos aproximadamente. Desta vez foi até o milharal, colheu algumas espigas de milho verde e fez o que chamamos de angu.  Para saborear esse prato, preparou um frango caipira como somente ela sabia fazer. Confesso a você que foram os melhores pratos que já comemos, porém no início da refeição, a gente estranhou um pouco. Lembrando que era uma família de sete pessoas: meus pais e cinco filhos.

Aprendi  também com meus pais, pessoas simples e iletradas, que precisamos sempre dizer a verdade aos nossos filhos. Não de uma forma a gerar medo e insegurança. Mas para que estejam sempre certos de que, mesmo nas maiores dificuldade, é possível acreditar que os recursos virão. Talvez não do jeito ou na quantidade que queremos, mas o suficiente para nos manter juntos e, confiantes, seguir vencendo. A verdade nos enche de coragem e fortalece os laços de amor  pois, como diz o evangelho: " - No amor não há medo, antes o perfeito amor lança fora o medo". 1 João 4:18.

Assim, concluo  que a capacidade criativa é mesmo uma bênção para quem não se prende aos poucos recursos. Tais pessoas aprendem a viver um dia de cada vez e com esperança.

 

 

 

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Vera Lucia Araujo Santos
Vera Lucia Araujo Santos Seguir

Sou Vera Lu, filha de Miguel e Maria, que me presentearam com 1 irmã e 4 irmãos. Pedagoga de formação, atuo na equipe de Olinda Guedes. Tenho muitos amores, aqui cito os que me movem: ser mãe de Sofia e servir pessoas.

Ler conteúdo completo
Indicados para você