[ editar artigo]

Direitos humanos x hipocrisia

Direitos humanos x hipocrisia

Estava eu no HC para retirada do meu medicamento (hormonioterapia). A fila, estava imensa! E nesses lugares as pessoas costumam conversar sobre tudo! Duas pessoas conversando sobre amenidades. Então surgiu o comentário de que um taxista havia sido morto por bandidos.

Então a mulher comentou: também, decidiram soltar os bandidos! 

O homem replicou: deveriam fuzilar eles! 

Eu imagino que meus olhos por cima da máscara devem ter saltado!😳🤯

A mulher devolveu: Tem que deixar morrer lá dentro, aprontou! 🤷‍♀️

Eu, fiquei apenas ouvindo e pensando... Fui embora de coração apertado! 💔

Não espero que ninguém seja como eu, muito menos que estejam dispostos a defender uma parcela menos favorecida da sociedade. Mas, para mim a palavra compaixão sempre está acima de tudo! 

Eu jamais, conseguiria matar, torturar ou fazer mau a outro ser humano.

Confesso, que não mato nem baratas, quanto mais imaginar alguém sendo fuzilado.

Sempre que penso no mau que alguém fez, procuro pensar também nos motivos que levaram aquele ser humano a fazer aquilo. Inclusive quando o mau é contra mim. Eu, sou instruída, tive boa educação, orientação e sei discernir. A maioria da população carcerária não teve.

Essas informações a seguir são de minha pesquisa de mestrado, então não vamos falar de hipóteses e sim de pesquisa científica! Ok?

Hoje, contamos já, com cerca 800 mil pessoas presas. Essa população carcerária é comprovadamente em sua maioria, desinstruída, com baixa escolaridade e baixa renda, contexto familiar de abandono, abuso e violência.

Será que prender é a solução, visto que os números aumentam cada vez mais?
Ah, mas então tá bom! Leve para sua casa, defensora dos direitos humanos!! 
Eu não levo para minha casa, porque eu não sou inocente! Eu sei, qual é a realidade dessas pessoas. A questão não é para onde vamos levar, mas sim o que estamos fazendo com eles?

Será que o ser humano merece pagar por um crime de roubo ou tráfico de drogas com a própria vida, essa pessoa não tem uma segunda chance?

Você nunca fez nada errado? Nunca comprou CD pirata? 
Ah, mas olha a comparação, CD pirata com tráfico de drogas. Ei! Ambos são ilicitudes! 

O peso de ambas, obviamente são diferentes, assim como o impacto de cada uma.
Mas sempre ouço na igreja, não existe pecadinho e pecadão, pecado é pecado! 
Falando em pecado, 86% da população brasileira se declara cristã. 
Até aonde eu sei, não foi isso que Jesus ensinou! Ame ao outro como a ti mesmo!

Estive preso e me visitaste.... Inclusive esses mesmos cristãos que estão na igreja no domingo estão levantando suas bandeiras para matar os bandidos e estupradores! 

Eu percebo que a gente relativiza tudo em prol das nossas defesas! Relativiza o direito fundamental à vida, em prol da defesa do encarceramento em massa, da tortura, da morte.

Eu aposto que se eu perguntar, quantos gostariam de darem uma torturadinha em alguém que cometeu algum mau contra você ou sua família, muitos gostariam. 
Aí vem os discursos inflamados, vamos reduzir a menoridade penal! Vamos aumentar a pena! Pena de morte, uhu! 

Em que mundo que a gente vive?? Onde a gente não é capaz de amar nosso irmão. 

E o perdão, onde está?

É tão difícil imaginar que um ser humano, assim como eu esteja sendo torturado! Seja por qual for o motivo! Sabe, o Direito Penal tem algumas respostas para isso, mas que também não são as mais ideais.

 Eu não sei o que é melhor, não sou detentora da verdade, mas sei que o modelo que estamos seguindo certame não é o melhor!

Se encarcerar e aumentar a punibilidade ajudasse na redução criminal, com certeza seríamos o segundo país com menos crimes no mundo! Porque, por outro lado ocupamos esse lugar no hanking de país que mais encarcera no mundo!!😳

Eu estudo há no mínimo 7 anos sobre esse tema e consigo concluir que muitos fatores levam uma pessoa a cometer um crime. 

Conheço uma história real de um jovem... Quando ele era criança o pai sempre
chegava bêbado, batia nele, na mãe, e os acordava com baldes de água gelada! Por volta dos seus 7 anos seu pai enrolou um um cigarro de maconha e ofereceu ao garoto e assim, ele conheceu as drogas. Dali para frente sua vida começava a traçar novo rumo. Esse jovem, quer mudar, quer fazer diferente, mas está muito vinculado à sua história de origem, ao seu sistema familiar. É muito desafiante sair daquela condição. Infelizmente ele seguiu um caminho triste e cometeu alguns ilícitos. E está preso pela segunda vez. Mas eu me pergunto: Qual seria a chance desse menino fazer diferente? Dentro do conhecimento sistêmico chamamos isso de lealdade.

Eu precisaria de muito mais linhas para explicar o que isso quer dizer. Resumidamente significa que a nossa história de origem tem muito mais força do que imaginamos. Mas eu fico muito triste quando escuto discursos inflamados em prol da tortura e morte a sangue frio! 

Acima de tudo são seres humanos e filhos de Deus, assim como eu e você! 

É fácil amar o meu amigo, difícil é amar alguém que eu julgo como mau! 

Eu não sou a favor da tortura, também não sou a favor do ato criminoso. Sou defensora da vida. E acredito que se a gente torturar e fazer o mau, ele vai precisar ser reparado, é a lei do equilíbrio! Isso serve tanto para os detentos quanto para nós! Por isso que Bert Hellinger diz que são os bons é que excluem. Os que se acham bons, excluem aqueles a quem julgam serem maus. 

 

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
MILENA PATRICIA DA SILVA
MILENA PATRICIA DA SILVA Seguir

Sou mãe do pequeno Henrique, escritora professora de Direito Sistêmico, Advogada, pesquisadora, terapeuta, master e coach em PNL, doula, apaixonada pelo cuidar do ser, pelo conhecimento, pelos livros e pela vida e por chá de manjericão.

Ler conteúdo completo
Indicados para você