[ editar artigo]

Felicidade começa em casa

Felicidade começa em casa

Existe algo e tem um estudioso maravilhoso, seu nome é Andrew Solomon, ele fala muito sobre os nossos filhos, sobre nossa infância, também sobre a vida dos nossos filhos. Aqui quero falar um pouco sobre filhos pequenos.

O grande desafio que existe num relacionamento de pais e filhos pequenos é porque esquecemos de que fomos crianças um dia. Na maioria das vezes, queremos que nossos filhos se tornem adultos muito rápido.

Eles se tornarão adultos. Eles amadurecerão. No tempo deles.

Esquecemos que a infância precisa ser vivida de maneira tão plena, de maneira criativa, contente, com movimento, com perguntas, com poesia.

Esquecemos que os nossos filhos precisam de nós na infância.

Não é que eles precisam da gente por que são tão frágeis. Eles sabem das coisas, eles são muito inteligentes, são pessoas incríveis, em processo de crescimento. Se nós, adultos, lembrarmos disto, certamente teremos mais harmonia e facilidade de relacionarmos com eles, porque tudo que nossos filhos precisam é de pais felizes, de pais reconciliados com sua própria infância, porque os nossos filhos nos ajudam a lembrar como está a criança em nós.

Se a criança em nós está deprimida, está chateada, irritada, não está com o espaço para ser feliz, nós também não vamos conseguir nos relacionar com nossos filhos com alegria e com felicidade, porque os nossos filhos demandam de nós a nossa a alegria, a nossa criatividade.

Deste modo, nós conseguiremos ter uma infância muito feliz com os nossos filhos. E os nossos filhos crescerão pessoas amorosas, pessoas felizes, pessoas felizes com a vida.

O mais importante da infância não é crescer e amadurecer. O mais importante da infância é viver a infância de modo pleno. Porque cada fase vivida de modo pleno, faz com que tenhamos uma vida funcional, maravilhosa, plena.

Tantas pessoas têm sofrimento na velhice, porque passaram a vida toda sem se alegrar, sem experimentar a criatividade, sem celebrar, sem experimentar a confiança, a fé na vida. Isso é tão importante! Perceber a vida, se o dia está frio, se o dia está calor... a gente celebrar, fazer uma pipoca. Confiar na vida, falar com os amigos, cuidar dos relacionamentos. Isso as crianças sabem fazer muito bem.

Os adultos perguntam: - Olinda! Como eu faço pra ter êxito na minha profissão? Estou com dificuldades!

Então… Isso tem muito a ver com a infância. Na nossa infância cuidamos dos relacionamentos, queremos estar com nossos amigos, com nossa família, queremos estar com as pessoas que nos querem bem. Queremos presentear, queremos zelar.

Como isso é importante: ter a sua infância respeitada!

Quando cresce, a pessoa continua zelando pelos seus relacionamentos, pelos seus vínculos, cuidando da natureza, respeitando as pessoas. Tem um pedagogo, um educador, que também foi médico, um judeu, Janusz Korczak, maravilhoso uma referência para mim. Ele tem um livro intitulado: “Quando eu voltar a ser criança...” https://pt.wikipedia.org/wiki/Janusz_Korczak

Só que nós, adultos, esquecemos o jardim de 3 anos, de 4 anos… Por exemplo: se o filho bota o pé na água e molha o pé… Ops! Ele estava com meias! Mas ele esqueceu, ele estava tão feliz, saiu correndo com meia e tudo para fora e, quando volta pra casa, o pai sacode o filho e diz:

- Onde já se viu, menino?! Eu já não falei pra você não molhar os pés? Eu disse pra você! E ainda de meias!!! Você é muito desobediente!

O que nós estamos fazendo? Ensinando os nossos filhos a serem infelizes, estamos desrespeitando nossos filhos, que a gente não deve ser feliz. Nós, pais, somos responsáveis por termos adultos bem-sucedidos na vida. Porque é na infância que começa todo o sucesso na nossa vida, por aquelas coisas que ouvimos, por aquelas coisas que nós, pais, falamos para nossos filhos, os nossos comportamentos com eles.

Tudo que os filhos querem com os pais, é tempo com qualidade, tempo de primeira, que o silêncio seja de ouro e as palavras sejam de prata, que tudo seja falado com respeito, com muito esmero, porque tudo o que os nossos filhos ouvem, eles interpretam como verdade e eles vão obedecer.

Se você fala: "Você é desobediente! De novo, que bagunceiro! Esse quarto todo desarrumado, eu nunca vi desse jeito, que horror!" O que o filho está aprendendo? Ele ama os pais, ele vai corresponder a estas coisas que os pais estão falando deles. Pra gente ter relacionamentos felizes, precisamos respeitar os nossos filhos, respeitar e ter a alegria e curar a nossa infância.

Quando curamos a nossa própria infância, naturalmente vamos saber criar filhos felizes, porque nós estaremos sendo pessoas felizes.

Live  - 06/09/2016 – Olinda Guedes

https://www.facebook.com/OlindaGuedes/videos/10205038509481876/

OLINDA GUEDES é mãe da Nina e Camila Maria, apaixonada pela vida, escreve com o coração o que cabe em palavras.  É mãe de mais outros cinco príncipes na terra, e quatro anjos no céu.

Continua curando sua infância. Todos os dias.


Publicou recentemente o livro "A Verdade Sobre o Sofrimento Humano"   
Você pode adquirir por este link - válido até 31/12/2019.
https://pag.ae/7VdcDYbG3 - frete grátis nacional.

 

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
OLINDA GUEDES
OLINDA GUEDES Seguir

Oilá, gente linda! É uma boa história a minha vida... ainda temos muito a viver. A parte mais linda é ser "Mamain" das duas princesas Nina Maria, Camila Maria e dos cinco príncipes cavalheiros...

Ler conteúdo completo
Indicados para você