[ editar artigo]

Fichamento: A fonte não precisa perguntar pelo caminho

Fichamento: A fonte não precisa perguntar pelo caminho

DADOS DO LEITOR

Nome completo: Sandy Duwe dos Santos

Curso: Formação real em constelações sistêmicas

Data: 15/10/2020

DADOS DO EXEMPLAR LIDO

Título: A fonte não precisa perguntar pelo caminho

Autor: Bert Hellinger

Editora: ATMAN

Ano: 2005


Orientação Para Fichamento

1. Qual a mensagem global que o autor deixou para você? Resuma em, no máximo, 4 linhas.

Devo renunciar o conceito do que é bom ou do que é mal em minha vida, pois somente quem renuncia este conceito está livre para aceitar a vida como ela é, os sofrimentos como são, a felicidade como vem, a família do jeito que é. A pessoa se torna um ser mais permeável à força vida e os movimentos da alma.

2. A partir do que você leu, enumere 10 dicas para você criar excelência para sua vida.

-O campo morfogenético tem uma memória e contém informações da nossa origem

- A moral /imoral é algo que varia de família para família, dependerá do seu sistema e das informações contidas neste campo morfogenético.

- Não se deve buscar o sentido da vida, mas sim se questionar o que fazer com a vida que nos foi concebida. Cada um encontra o seu sentido de vida.

- O equilíbrio entre o dar e receber é tanto para as situações boas quanto as ruins, há necessidade de haver um equilíbrio e uma harmonia sempre.

- Às vezes corremos atrás da felicidade sem nos dar conta que a felicidade está correndo atrás de nós. Pare. Espere. Vá até o centro e esvazie a mente e as coisas chegarão como devem ser.

- Há alguns segredos que devem ser mantidos (ex: associado à intimidade de um casal) e outros que precisam ser revelados para trabalhar a cura (ex: exclusão de alguém, um aborto ou morte de algum filho...).

- Trabalhar com humildade e com o coração cheio de amor por todos os envolvidos, não fazer perguntas invasivas ao cliente, apenas aquelas que são necessárias para a solução do tema apresentado, sem agir pela curiosidade.

- Devemos respeitar o destino das pessoas

- Frases de solução não devem ser algo planejado, deve deixar fluir através do sistema, devem ser curativas.

 - Não se deve ver a morte como algo ruim, mas transitório ao ser, a alma. E enquanto eu lia o capitulo em que Bert Helliger falava sobre a morte e a importância de aceitarmos este acontecimento, lembrou-me com clareza de uma frase que li no livro apologia a Sócrates onde o filosofo dizia “o temer da morte não é outra coisa que parecer ter sabedoria, não tendo. É de fato parecer saber o que não se sabe. Ninguém sabe, na verdade, se por acaso a morte não é o maior de todos os bens para o homem, e, entretanto todos a temem, como se soubessem, com certeza, que é o maior dos males” – pg. 16

- Na época eu que eu li algumas obras do filosofo Friedrich Nietzsche sempre achei confusa a frase "Aquilo que se faz por amor está sempre além do bem e do mal.", mas após concluir esta obra maravilhosa de Bert Helliger eu consegui compreender o significado dessa frase. O amor está muito além da nossa consciência e da moral é uma força tão grande que chega ultrapassar força da vida, fazemos tudo por amor, o amor sempre trás de volta.

3. Considerando a realidade onde vive o que você aplicou, imediatamente, assim que leu? (Qual tópico, qual ideia? - cite o capítulo, página e a ideia).

R: Durante toda leitura me senti muito tocada pelas palavras do autor, seu jeito poético de ensinar-nos cativa desde a primeira linha, porém, houve uma das citações que me tocou muito, deixa-me explicar o motivo: nos últimos dias uma amiga passou por um sofrimento muito grande, ela teve aborto espontâneo e perdeu sua primeira filha. Quando ela descobriu a gravidez todos ficaram muitos felizes e extasiados e logo nas primeiras semanas descobriu-se que a criança era portadora da síndrome de Turner e vários problemas cardíacos, após esta notícias as pessoas olhavam para ela como se isso fosse um grande azar que a vida lhe pregou, sentiram pena da situação e por ela ser tão nova e ter sua primeira filha deficiente. Como a gravidez era de risco os familiares pediram que fosse feito um aborto, pois haveria muitas complicações, mas ela foi fiel à vida e levou a gravidez adiante, amando e zelando pela vida daquele pequeno ser com muita fervorosidade. Em setembro (próximo ao 5° mês de gestação) houve um aborto espontâneo onde foi feito o parto as presas para preservar a vida da mãe. Quando chegou em casa, as pessoas que lhe visitavam diziam frases como: "assim foi melhor", " você  iria se dedicar a vida toda para ela", “ você é nova, assim as coisas serão mais fáceis”, “você ia perder toda sua vida e sua juventude” então ela me disse: foi difícil sentir a dor de um parto e não poder trazer minha filha para casa, e foi mais difícil ainda ouvir essas palavras das pessoas que eu amo. E logo me veio a mente a frase de Bert Helliger “Frequentemente a sociedade, o meio em que vivemos, compadece-se dos pais que têm um filho deficiente, como se tivessem tido uma má sorte. Mas quando se olha uma família que lida com uma criança deficiente e vê as forças que são liberadas nessa família, amor, brandura e também disciplina, então se vê que essa criança deficiente significa algo especial para essa família.” Pg 153

E logo que soube dessa noticia eu entendi algo muito profundo que aconteceu na vida desta amiga: Quando ela tinha seus primeiros anos de vida, seu avô foi assassinado por engano e ambos tinham um vinculo de amor muito forte. Um pouco antes de chegar à adolescência ela começou a apresentar quadros graves de ansiedade, crises de pânico, desmaios repentinos, inclusive tentou tirar sua vida. Com isso compreendi que ela olhava para o avô morto como se quisesse dizer “eu sigo você”, porém a sua filha por amor deu a sua vida pela vida da sua mãe dizendo: “Melhor eu do que você, eu o faço por você”.  E depois que esses pensamentos vieram eu compreendi a força que o amor tem perante a vida, como os filhos são leais aos pais, fazemos tudo por amor.

4. O que você transformou em si mesmo com a leitura deste livro?

- Entendi que a força do amor é algo muito mais divino do que eu imaginava.

- Compreendi que a morte é um processo e quem está morto também faz parte da nossa vida.

- A doença é uma forma de o amor dizer que algo precisa ser “olhado”.

-A vida não é terceirizada, precisamos tomar e aceitar nosso destino e o destino de cada pessoa assim como ele é.

- Os terapeutas não devem ser curiosos e invasivos nas perguntas, deve perguntar somente o essencial para compreender a dinâmica do tema apresentado e seguir os movimentos da alma.

- A cura é uma dádiva.

-Fazemos de tudo para pertencer.

- Devemos tomar cuidado e não tentar manipular, intensificar ou amenizar a realidade.

- A raiva é somente o outro lado do amor.

- Enquanto o passado não for resolvido a paz não poderá chegar.

-Reverenciar significar compreender que o outro pertence, mas a reverencia deve vir do coração, da alma para fora e não apenas em palavras.

5. Quais as mudanças que você se compromete em tornar real a partir desta leitura?

 - Em primeiro lugar, gostaria de ler mais livros de Bert Helliger, seus métodos e ensinamentos é algo muito lindo de se aprender.

- Buscar julgar menos as pessoas e aceitá-las do jeito que são.

- Compreender meus limites ao ajudar alguém.

- Trabalhar com minimalismo.

- Buscar métodos que me auxiliem não temer a morte.

- Amar as pessoas de coração, o mundo precisa tanto de amor.

- Existe um limite onde a minha alma pode alcançar e não devo ultrapassa-lo e com isso preciso aceitar que não posso mudar tudo e todas as coisas e aceitar com amor as coisas que eu posso mudar. 

6. Se você encontrasse o autor do livro, o que você diria à ele?

R: Bert Helliger é simplesmente belo, livre e verdadeiramente humano, creio que não há muitas palavras para expressar como é a experiência de ter vivido em um plano terreno com alguém tão iluminado como ele. Mas gostaria de agradecer por ter dedicado tantos anos da sua vida pela vida de outras pessoas, pelos métodos criados, pelas descobertas realizadas, pelos caminhos de cura alcançados. A palavra maior seria gratidão.

7. Enumere 3 pessoas para as quais você sugeriria este livro e justifique.

- Sugeriria este livro à todos os terapeutas para que possam expandir seus conhecimentos.

- Para os filhos e pais que possuem algum desentendimento ou desamor.

- E sugeria para mim mesma, penso que em breve irei reler estes ensinamentos novamente. Certos livros são tão tocantes que somos chamados à releitura.  

 

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Ler conteúdo completo
Indicados para você