[ editar artigo]

Filhinho do papai e filhinho da mamãe

Filhinho do papai e filhinho da mamãe

Portanto, as ordens do amor entre o homem e a mulher envolvem também uma renúncia que já começa na infância. Pois o filho, para tornar-se um homem, precisa renunciar à primeira mulher em sua vida, que é a sua mãe. E a filha, para torna-se uma mulher, precisa também renunciar ao primeiro homem de sua vida, o seu pai. Por essa razão, o filho precisa passar cedo da esfera da mãe para a do pai. E a filha, precisa retornar cedo da esfera do pai a da mãe.

Permanecendo na esfera da mãe, frequentemente o filho só chega a ser um eterno adolescente e queridinho das mulheres, mas não um homem. 

E persistindo na esfera do pai, a filha muitas vezes só se torna uma eterna adolescente e uma namoradinha dos homens, mas não uma mulher. 

Quando um “filhinho da mamãe” se casa com uma “filhinha do papai”, ele frequentemente busca uma substituta para a sua mãe e a encontra na mulher. Por sua vez, a mulher, busca um substituto para o seu pai e o encontra no marido. Quando, porém, um filho ligado ao pai se casa com uma filha ligada à mãe, eles têm mais chances de formarem um casal bem sucedido.

De resto, o filho ligado ao pai costuma dar-se bem com o sogro e a filha ligada à mãe geralmente se dá bem com a sogra. Ao contrário, o filho ligado a mãe frequentemente se relaciona melhor com a sogra do que com o sogro e a filha ligada ao pai, melhor com o sogro do que com a sogra.

Bert Hellinger- Histórias de Amor 


E você como se relaciona com os pais do seu parceiro, da sua parceira?

 

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Ler conteúdo completo
Indicados para você