[ editar artigo]

MINHA IGREJA - Alice Mesquita

MINHA IGREJA - Alice Mesquita

Lendo o Sítio de Adélia Prado, também lembrei da minha Igreja...

 

Quando entrava no silêncio luminoso das manhãs,

onde as vozes mal despertas nas orações,

pediam pelo dia, a grande esperança que nascia,

ecoando mansamente no dourado daquelas paredes.

Ali me enamorei perdidamente pela música.

 

Cantei para Deus

que, agradecido, me devolveu voz forte.

Ali ouvi o Dominus profundo de um contralto

vibrando pela primeira vez em minhas entranhas,

abrindo caminhos desde a alma.

Inebriei-me com o perfume incensado das missas festivas.

Ah! As festas da igreja tinham o verdadeiro sabor de festa,

jamais reencontrado.

 

Ali, onde a inocência me fazia poderosa,

encontrei meu doce Jesus, na casa de minha alma,

em secretas comunhões.

Ao fechar os olhos, cerrava o mundo

e abria um universo pessoal, santo e forte,

que se expandia por galáxias.

Repetia a comunhão diariamente,

para me conduzir além de meus limites físicos,

em estados alterados de consciência, sem drogas, com Deus.

Ali, adormecia ao som morno e dolente do terço das seis horas.

 

Com a luz do dia que se apagava,

desapareciam também as vozes, recolhiam-se os pensamentos.

Assim era o rosário das seis.

Ali, fui filha de Maria, devota de sua fita azul,

“ Fiel serei por toda a vida à minha mãe querida. Eu prometi”

 

Jamais esqueci

Sempre serei, indelevelmente marcada pelo amor de Maria.

Ah! Mas nada se compara aos momentos em que pilhava vazia aquela capela,

quando  meus passos ecoavam sozinhos sem outros ecos.

quando meus murmúrios de oração subiam desacompanhados.

 

Minha alma ocupava, então, todo o espaço,

experimentando livremente toda a força de um estranho amor que brotava,

irrompendo do âmago de algum lugar desconhecido,

explodindo em lágrimas de banhar rosto e peito,

enquanto o coração se transformava em delirante queima de fogos de artifícios.

 

Igreja era o melhor lugar.

 

https://www.facebook.com/alice.meesquita

Foto: Capela do Colégio Santa Marcelina - RJ, onde nasceu essa poesia.

https://www.santamarcelina.org.br/educacao/unidade_colegio.asp?id=36

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Ler conteúdo completo
Indicados para você