[ editar artigo]

O amor exige de nós! Por isso, transforma

O amor exige de nós! Por isso, transforma

Ah, o amor! "É paciente e bom. Tudo crê, suporta e espera."(I Co., 13)

Sou formada em letras, amante das poesias, amiga das palavras. Romântica ao ver até mesmo uma formiguinha carregando uma folha para o sustento dos seus. Sempre fui muito sonhadora, e não me lamento por isso. Me lembro que minha mãe dizia: "Você sonha demais, e a vida é dura!". Hoje percebo que a vida foi realmente dura com minha mamãe, e sinto muito por isso. Tenho aprendido a sentir orgulho, e a agradecer à ela por tudo o que carreguei por longos anos, afinal, era a minha própria história, tudo faz parte de mim. Não posso abandonar quem eu sou, seria um grande egoísmo de minha parte, renegar tudo o que veio antes de mim.

Então você se torna um adulto, e percebe o quanto ainda é criança, até que se depara com a pessoa que vai dividir uma vida com você. Sonhadora que sempre fui, pedia a Deus alguém que fosse bom, de boa família, e cuidasse de mim, me desse filhos, enfim, a pessoa perfeita que todos esperamos. As mulheres lá de casa diziam que homem era tudo igual, que casamento só servia para atrapalhar... ah se eu pudesse ter escolhido melhor.

Oh meu Deus! Quanto sofrimento. Mas os sonhos me afastaram um tanto da lealdade, e algum tempo depois, ainda sofri com isso. Mas o processo é assim, cura é jornada.

Estudar literatura me fez convencer de que realmente o amor não é romântico, é exigente sim. O movimento do romantismo foi sempre muito sofredor. Era belo e nobre sofrer e morrer por amor. E ainda hoje imagino que amar é lindo demais. A maturidade o e meu trabalho como terapeuta tem me trazido novas visões sobre relacionamentos, e eu falo com um certo conhecimento de causa, porque vivi "Um amor à segunda vista."

Se você estiver vivendo dias de trevas em seu relacionamento conjugal, não se desespere, afinal de contas, os fins podem se transformar em lindos recomeços. Assim aconteceu comigo. Ao me deparar com o fim de um casamento na época de 10 anos, procurei terapia, eram 7 remédios para depressão, ansiedade e insônia. O mundo desabava sobre nossas cabeças, e então eu vivia a fase do tanto faz. Quando resolvi procurar ajuda, fiz uma constelação e ouvi coisas que me deixara muito assustadas, fiquei até chateada com o constelador, achei um absurdo o fim do que já tinha acabado. Mas como eu não tinha uma outra saída, deixei o movimento agir. Parti para a ação concreta. No mesmo dia, encontrei uma chamada da Olinda no Facebook, sobre o curso online de constelações, a primeira turma. Ali, tudo fez sentido pra mim. Nem pensei se poderia pagar ou não, me inscrevi e parcelei tudo no cartão de crédito.

A melhor ação da minha vida! Ali compreendi todos os processos pelos quais estávamos passando. Mais uma vez, salva por Olinda Guedes. Mais uma vez? Como assim? A Olinda foi a grande responsável pela decisão que mudaria a vida do meu marido há exatos 20 anos atrás. Ele era religioso, e não estava feliz com o caminho escolhido. Ele também estudou com ela, e então nos encontramos. Quando consegui olhar o que que aconteceu lá atrás, me lembrei do propósito que me uniu a ele e finalmente fomos descobrindo os emaranhamentos que estavam entre nós e os nossos propósitos. Ah, quanta exigência não é mesmo? Tem que ter muita disposição para amar!

Ao longo do percurso, fomos descobrindo que amar é zelar um do outro, e que o amor, sempre nos traz de volta. Preocupação, cuidado, dedicação. Amar não é para os preguiçosos! E não somente aos amantes, falo do amor de uma forma geral. Pais, filhos, amigos, trabalho, é compreensão total. Mas ser compreensivo não quer dizer que os relacionamentos devem ser abusivos. Para tudo existe um justo meio, e isso vamos descobrindo durante a convivência. O amor é a grande terapia!

A você que está lendo este texto, desejo que o amor seja a linda inspiração de sua vida, e que acredite que todo o sofrimento pode ser vencido através dele. Muitas vezes, trocar de relacionamento é trocar de problema. Nem sempre algo se curará num primeiro momento na relação do casal, mas pequenos sustos podem fazer o outro crescer. Se não der certo com você, o universo vai se encarregar de te trazer a pessoa certa. Às vezes, você está ao lado da pessoa certa e nem percebe, então o fim, pode fazer o amor surgir uma segunda vez, mais forte, mais intenso e totalmente novo.

Precisamos confiar no fluxo da vida, mas também agir, para que os movimentos atuem na nossa história. Constelar é completar, e devemos fazer sempre o possível "Para que o amor dê certo". Abraços carinhosos!

 

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Anna Soligo
Anna Soligo Seguir

15 anos de magistério, e 20 dedicados ao estudo de Reiki, Shantala, Florais de Bach e massoterapia. Utilizando as Constelações Sistêmicas Familiares há 2 anos, com a graça de estudar a PNL de uma forma sistêmica na metodologia de Olinda Guedes.

Ler conteúdo completo
Indicados para você