[ editar artigo]

O Sonho e os Sêxtuplos

O Sonho e os Sêxtuplos

Na noite de ontem pra hoje eu sonhei que estava cuidando de 6 crianças. Acredita? Não consegui identificar a fisionomia deles. Eu estava desorientada sem saber como atender a necessidade de todos eles e sem saber, de fato, de quem eram filhos. Só sentia que eram filhos de alguém que eu já cultivava carinho, e eu cuidava deles sem reclamar e com um sorriso no rosto. Sonho mais estranho, mas muito justificável já que meus pensamentos se resumiram em 6 irmãos essas últimas semanas, desde que os conheci e foi designado a mim a busca da chance deles terem uma família, desde o texto que Olinda escreveu apresentando a família para os sêxtuplos, e após escutar o áudio com uma deliciosa voz falando "mamãe". 
Quem está nesse meio da adoção, principalmente de busca ativa, sabe muito bem quais são as possibilidades de uma adoção tardia de grupo grande de irmãos. De maneira geral, as chances deles se resumem apenas na adoção internacional, que nem sempre é possível. Inclusive, muitas comarcas não se dão nem o trabalho de destituir essas crianças, já que pressupõe que as chances de inserção em família substituta são mínimas. 
No começo de janeiro, eu apresentei a busca ativa para uma comarca no Maranhão. O assessor do juíz de lá, cheio de esperança e força de vontade, firmou parceria comigo e juntos iniciamos um lindo trabalho para encontrar família para as crianças de difícil colocação. Em 6 meses, através dessa parceria, 7 crianças já haviam ido pra casa!! Entre elas, adoção especial e adoções tardias. Eu aqui em Minas, ele no Maranhão, mas unidos pela vontade de ajudar e fazer a diferença, compartilhando sentimentos de muita alegria e ansiedade rsrs
Foi assim, que o pedido de busca dos 6 irmãos chegou. Eles de lá confiavam na busca ativa depois dos resultados lindos e surpreendentes. Eu já estava preparando a procura por famílias diferentes na mesma cidade para que adotassem os irmãos separados. Pois mesmo que meu coração dizia que eles deveriam ficar juntos, eu sabia que isso só aconteceria em sonho. Mas sem pensar duas vezes, aceitei lutar por essas 6 crianças! Recebi os nomes, informações do comportamento, idades e fotos. Fiquei admirando cada sorriso, os olhinhos doces e brilhantes, a carinha de timidez, as carinhas de sapecas... e quando eu menos estava esperando, o sonho se realizou. Não dava pra acreditar. Milagre? Irmãos juntos seria o maior desafio, mas o mais gratificante de todos. A mãe apareceu. A mãe apareceu!!!!! Mãe de 7, já que Olinda já é mãe de Nina. 
Eu já a conhecia, pois atuamos em uma busca juntas e sabia que estaria sendo avaliada para uma nova habilitação. Aí que entra uma luz chamada Rosi, uma colega também cegonha. Ela sabia do andamento do processo de Olinda e já a conhecia. Conversamos sobre a possibilidade e nos unimos para ajudar e apoiar Olinda nessa nova adoção! Diferente de qualquer outra que já acompanhei. Milagrosa!
Daqui a pouco Olinda chega no Maranhão para buscar os 6 filhos. Ela, uma mulher experiente, sábia e já mãe amorosa de Nina, nunca pensou em separar os irmãos, já que ela mesma cresceu em uma casa cheia e sabe dessa ligação de irmandade. Até o encontro tão esperado, é um misto de alegria, ansiedade e medo. Medo sim! É normal sentir, já que são 6 pequenas almas com marcas, necessidades e gostos diferentes. Mas, querida Olinda, não deixe que o medo a faça pensar que não daria conta. Você já deu! A partir do momento que aceitou essas crianças como filhas. E elas já te aceitaram como mãe, ou melhor, MAMÃE. E fique tranquila, pois sei que terá um exército de amigos e familiares, presencialmente e virtualmente (eu me incluo) para te ajudar nessa nova fase da sua vida. E que fase linda e gostosa de viver!
Esse natal, que já se aproxima, será o primeiro de muitos com a casa e a mesa cheia, a árvore com presentes e várias cartinhas para o Papai Noel! 
Estou aqui, torcendo muito, ansiosa e grata por fazer parte dessa história. Espero uma foto da família completa!
Beijos e abraços para você, Camila, João Victor, Gabriel, Felipe, Rian, Hugo e Nina. 
Com carinho, 
Karolyne Raftopoulos
 

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Ler conteúdo completo
Indicados para você