[ editar artigo]

OBESIDADE, FAMÍLIA E TRANSGERACIONALIDADE

OBESIDADE, FAMÍLIA E TRANSGERACIONALIDADE

 

 

Ao pesquisar um tantinho sobre o assunto, me deparei com um artigo, produzido por estudantes de pós graduação. Fiquei embevecida e compartilho com vocês uma parte muito interessante, que abordei na live #14 - Comer para quem? 

É um artigo que  apresenta uma revisão integrativa das produções científicas nacionais e internacionais sobre as relações entre obesidade, família e transgeracionalidade, no intuito de compreender os fatores familiares que influenciam no processo de desenvolvimento da obesidade. 

Cito aqui uma parte:

"ENFOQUE NOS HÁBITOS ALIMENTARES"

Os estudos abarcados nesta categoria abordam a temática da transmissão transgeracional por meio dos hábitos alimentares e do estilo de vida compartilhados dentro da família. É o caso da pesquisa desenvolvida por Jingxiong et al. (2007) na China, a qual teve como objetivo investigar como os avós influenciam comportamentos alimentares dos netos em três gerações de famílias chinesas. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas em profundidade e os resultados obtidos mostraram que os avós desempenham um papel crucial na formação do ambiente dietético da família. Os avós relataram a experiência de pobreza e de fome vivida por eles e relacionaram-na com a crença de que cuidar e amar as crianças significa alimentá-las bem. Dentre os hábitos alimentares, os avós tendiam a fornecer às crianças comida em excesso, além de permitirem a seus netos o livre acesso a alimentos ricos em calorias e de baixa qualidade nutritiva, imediatamente após as refeições.

Outro dado interessante da pesquisa demonstrou que, enquanto para os pais o excesso de peso dos filhos era visto como um motivo de preocupação, para os avós, era significado de uma criança forte, feliz e saudável. Esses achados são convergentes, na medida em que a explicação para as diferentes percepções entre pais e avós, pode estar no significado atribuído à alimentação em cada uma das gerações. O significado de alimentar-se, ou alimentar-se em excesso, pode estar relacionado às experiências adquiridas durante a infância e ao contexto de vida de cada um deles. Tais experiências, como a pobreza e a fome, foram vivenciadas de formas distintas, com maior e menor acesso aos diferentes tipos de alimentos, o que irá repercutir em como cada uma das gerações significa o ato de se alimentar. Portanto, o excesso de peso das crianças também poderá ser percebido de maneiras diferentes, sendo em uma geração significado de saúde, enquanto, para a outra, é sinônimo de preocupação e cuidado.

 

RESUMO

A obesidade como doença crônica é considerada atualmente uma epidemia mundial. Este artigo apresenta uma revisão integrativa das produções científicas nacionais e internacionais sobre as relações entre obesidade, família e transgeracionalidade, com o intuito de compreender os fatores familiares que influenciam no processo de desenvolvimento da obesidade. Foi realizada busca nas bases de dados LILACS, Scopus, Web of Science e Medline, no período de 2006 a 2016. Foram utilizados os seguintes descritores: “Obesity”, “Family”, “Intergenerational relations”, “Generations”, “Genogram” e “Family Dynamic”. Após seleção de acordo com critérios estabelecidos, de um total de 384, foram incluídos 15 artigos que constituem o corpus do presente trabalho. Os resultados apontaram que ocorre a repetição da obesidade entre as gerações e que o ambiente familiar e hábitos alimentares são fatores que influenciam o desenvolvimento da obesidade desde a infância. Destaca-se a escassez de estudos que abordem especificamente a relação entre a história dos vínculos afetivos familiares e o desenvolvimento da obesidade. Conclui-se que há necessidade de uma maior produção científica em torno da compreensão dos padrões relacionais estabelecidos pela família ao longo do tempo, pois estes se constituem em recursos importantes de prevenção e intervenção no contexto da obesidade.

Palavras-chave: obesidade, família, transgeracionalidade, genograma, relações familiares.

 

Leia o artigo na íntegra:

http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-78412017000200003

 

#outros autores #familia #emagrecimento #obesidade

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
OLINDA GUEDES
OLINDA GUEDES Seguir

Oilá, gente linda! É uma boa história a minha vida... ainda temos muito a viver. A parte mais linda é ser "Mamain" das duas princesas Nina Maria, Camila Maria e dos cinco príncipes cavalheiros...

Ler conteúdo completo
Indicados para você