[ editar artigo]

Pode-se constelar um processo judicial?

Pode-se constelar um processo judicial?

Sim, um processo Judicial pode ser constelado. E qual seria a finalidade de constelar um processo?

Constelar um processo significa colocar luz em algo que ainda não havia sido visto, observado. Ou seja, é compreender as raízes do conflito, de modo que haja uma compreensão no nível da alma, ou seja, no nível profundo dos envolvidos, pois um processo judicial realmente se encerra definitivamente quando há paz entre os envolvidos.

Já passou o tempo em que enxergávamos o processo judicial com o olhar de um ganha outro perde. Há que se pensar em ceder em alguns pontos para que haja um consenso e as partes possam chegar por elas mesmas à composição do seu próprio conflito. Com o Direito sistêmico é ganha ganha. Todos saem satisfeitos.

Estamos na era da terceirização, terceiriza-se as atividades de casa, os filhos, a saúde, o processo judicial, queremos que sempre um terceiro resolvas tudo por nós. A empregada, a escola, o médico e no caso da justiça o juiz. Entretanto, sem protagonismo não existe como chegar ao estado de paz. Sem autonomia não é possível ser dono do próprio destino, nesse caso ser autônomo no processo muitas vezes é ceder um pouco para ganhar de outro lado. E isso nem sempre acontece quando uma decisão é proferida por um juiz. Muitas vezes, na maioria delas, ambas as partes saem insatisfeitas. Mas, com a realização de uma constelação a chance de as partes saírem satisfeitas é, na maioria das vezes, é certa.

A satisfação processual é relatada por Sami Storch, nos casos em que ele constelou. Ele relata, que no olhar dos participante e posteriormente na fala deles, ficou evidente que ambos saiam satisfeitos. Desse modo, ele passou a perceber que constelar as partes e em alguns casos o processo, era bastante efetivo e definitivo. As pessoas após compreenderem o que as levou ao processo judicial, nos casos relatados por ele, não sentiam mais necessidade de reclamar qualquer outra coisa juridicamente posteriormente. 

Um processo pode ser constelado, é possível colocar representantes para o processo, ou para o bem preterido, ou ainda para o conflito (especificamente), é possível colocar elementos ao invés de pessoas, objetos, como por exemplo, o carro, a moto, a casa, o terreno, instituições também, como o MP, Estado, as pessoas como, o juiz, promotor, advogado e até elementos ainda mais subjetivos, como dinheiro, a herança. Tudo vai de acordo com cada caso. No caso, de um processo que se trata de separação guarda e pedido de alimentos: pode ser colocados o advogado, um representante para o homem, para a mulher, para o (s) filho(s), para a nova família do homem ou da mulher. Esses são apenas exemplos, na prática, o facilitador que conduz a constelação que deve perceber quais elementos podem ser trazidos no campo. 

É possível colocar uma pessoa para representar o processo, em si. E as informações que são apresentadas no campo, são se suma importância muitas vezes para que o processo se desenrole. 

A finalidade, portanto de se constelar um processo, seria para que o litígio cesse, e as partes se sintam em paz em tomar as atitudes necessárias dentro daquele contexto. Para que uma partilha deixe de ser uma guerra e passe a ser olhada com mais amor, para que uma herança seja dividida sem conflitos. Para que os advogados se sintam mais leves ao conduzir determinados processos, ou consigam entender o porque estão atuando naquele determinado caso.

Segundo os relatos de Sami, a quantidade de processos diminuiu após as constelações, além da queda do número de reincidências no que se refere às crianças e adolescente, (embora o conceito de reincidência só se aplique à população adulta, aqui refiro-me ao conceito popular de reincidência).  Esses dados relacionados à reincidência, foram coletados por mim em uma pesquisa de campo realizada em 2015 na comarca de Amargosa/BA, a população da cidade agradecia muito o trabalho realizado pelo Juiz Sami e por seu comprometimento com o trabalho que desenvolveu por lá. (em breve a pesquisa estará disponível para acesso).

Quantos advogados gostariam que seus processos caminhassem mais rapidamente? Quanto nós já ouvimos que não tem mais aonde colocar processos?

Quantos já ouviram que o número de processos distribuídos por juiz é humanamente impossível de resolver?

Com isso, podemos concluir que a justiça tem a ganhar ao se apropriar dessa ferramenta como auxílio, eu voto  na possibilidade de que resolveria e muito a questão do abarrotamento processual. Se não resolvesse amenizaria bastante.

 

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
MILENA PATRICIA DA SILVA
MILENA PATRICIA DA SILVA Seguir

Sou mãe do pequeno Henrique, escritora professora de Direito Sistêmico, Advogada, pesquisadora, terapeuta, master e coach em PNL, doula, apaixonada pelo cuidar do ser, pelo conhecimento, pelos livros e pela vida e por chá de manjericão.

Ler conteúdo completo
Indicados para você