[ editar artigo]

Quando o apego dói

Quando o apego dói

Você já esteve apaixonado (a)? Quem nunca, não é?

E por que sofremos tanto quando nos apaixonamos? Por que aquele brilho no olhar que você vê no outro e sente em si pode acabar sendo tão doloroso?

"Afinal, amar é sofrer"? Como diria Ângela Ro Ro (para quem não conhece, cantora famosa nas décadas de 80 e 90 do século XX). 

Eu diria que não, não se sofre por amor. Só por desamor mesmo!!! 

É que a gente confunde amor com apego, carência, "... desejo, necessidade, vontade..." (aí já como diriam os Titãs, banda de Rock brasileiro do mesmo período). 

Estou falando de apego. Eu aprendi (a duras penas) que adulto não chora, não sofre, não se apega.  Não porque seja desumano, mas sim porque é maduro. Agora, por favor, não confundir maturidade com idade cronológica, ok????? 

O adulto funcional não vê a vida como algo a ser recebido, mas como algo a ser doado. E claro,  não temos muitos adultos assim por aí. Esses são, em geral, chamados de iluminados. 

O fato é que toda a dor que  você acredita que está sentindo por estar apaixonado ou mesmo amando alguém que não corresponde, é só apego. E pior, esse apego, geralmente, não é pela pessoa por quem nós apaixonamos, mas sim pelo nosso grande (des)amor da primeira infância, nossos pais.

Tema cabeludo, e isso deixo por conta de cada um analisar, mas o fato é que não sofremos por amor, só pela falta dele.

Eu tive uma experiência que não posso contar, porque envolve pessoas que não me deram permissão (e nem bola) para falar disso. Hehe.

Mas, posso falar do que descobri. Podemos estar enlouquecidos de paixão e de ciúme por acreditar que nosso ideal de amor, ou só o "crush" mesmo,  causa uma miríade de sensações (você sabia que miríade quer dizer 10 mil? Acabei de descobrir). E claro, causa mesmo. Tudo o que for maravilhoso aos nossos olhos também é válido, porque atraímos aquilo que somos. Mas, a questão aqui é a dor só.

Então, atraímos a dor, vamos buscar alguém que nos faça sofrer só para estarmos ligados ao nossos amores, pai e mãe. Ou melhor, mãe e pai (pela ordem de chegada em nossas vidas).

Porque apego dói. Porque nossa criança interior, toda machucadinha, chora quando não recebe aquilo que vê no outro e porque não sabe que está dentro dela. E por que não sabe? Porque não reconheceu em seus pais essa fonte que sempre esteve e estará dentro de nós. 

É claro que é mais fácil falar do que fazer. Mas, não é impossível. E por que sei disso? Porque é essa a dor que estou sentindo no momento em que escrevo essas linhas, e olha que sei que não estou nem apaixonada. Mas, dói. Apego dói.

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Simone Belkis
Simone Belkis Seguir

Simone Belkis se formou em Letras na UFPR. É uma estudiosa do esoterismo e cantante. Seu amor maior são os livros. Escrever é sua forma de criar o famoso mundo melhor, e sua praia é contar suas próprias descobertas para inspirar pessoas.

Ler conteúdo completo
Indicados para você