[ editar artigo]

REFLEXÕES DE ANO NOVO

REFLEXÕES DE ANO NOVO

Mais um ano se aproxima do seu fim, e embora 2020 tenha sido um ano bastante atípico, não será o suficiente para impedir que tendamos a fazer a lista de resoluções para o novo ano, mesmo porque nesse caso, alguns tipos de resoluções serão obrigatórias. Não será possível iniciar um outro ano, depois de 2020, sem planejamentos, pelo menos para a maioria das pessoas.

Eu, pessoalmente, já deixei de fazer resoluções de novo ano a algum tempo. Meu caos interior nunca me deu muita chance de ir além das elucubrações mentais (os ansiosos de plantão vão entender). Acabei por viver mais o que vinha e menos o que me convinha.

Mas, com isso e por isso, passei a fazer reflexões, e não necessariamente de ano novo, mas do ano todo e de todo o tempo. Por um longo período foi tudo o que logrei fazer. Mas, fui aprendendo a me compreender e a lidar com as consequências do modelo de pessoa que me tornei. Nesse ano, onde vivi uma das maiores perdas da minha existência com a morte do meu pai, pude compreender que não posso (ninguém deveria) seguir vivendo como se fosse tudo apenas matéria. Como se nós humanos também não fôssemos onda e partícula ao mesmo tempo.

Não vou fazer uma explanação sobre Física Quântica aqui, uma vez que não sou especialista no assunto, mas apenas vou "traduzir" em palavras simples a que me refiro. Sou partícula enquanto ser físico e limitado a essa dimensão e sou onda enquanto ser espiritual que nada mais é que a emoção e o pensamento que me habitam. Se levarmos em consideração que chamamos de 5º dimensão os padrões vibracionais que se manifestam em forma de coisas nesse planeta, ficará mais fácil compreender.

Bom, mas antes que eu me embole e não explique nada, vamos ao que realmente quero dizer. O que aprendi é que, existindo em dimensões diferentes, é preciso encontrar o equilíbrio entre elas, que é preciso coordenar consciente e subconsciente, ou o que seja, pensamentos e emoções.

A morte do meu pai foi como um divisor de águas, a dor é imensa, mas não me fez cair. Ao contrário, fez com que entendesse que aquilo que realmente vale a pena, segue vivo. Ele não está mais aqui, mas tudo o que ele significa está.

E o que afinal nós significamos? Porque estamos aqui em uma forma extremamente limitada, em um corpo que se deteriora, que adoece, que cria vícios? Mas, que é capaz de produzir maravilhas como disse o Mestre: "Em verdade, em verdade vos asseguro que aquele que crê em mim fará também as obras que Eu faço e outras maiores fará...". (João 14:12)

O que isso quer dizer? Afinal, o que somos? Esses seres capazes de produzir tanta desgraça? Sim, somos os cocriadores da realidade. Dessa realidade que vivemos hoje!

O que significa um crescimento espiritual que não cria empatia, compaixão, respeito pela dor do outro, que traz consigo o rastro da pobreza e da exploração político-religiosa-empresarial? Que crescimento espiritual é esse que prega paz e amor pelos seus e abomina o seu próximo em guerras infindáveis. Que ser humano é esse? 

Por isso, escolhi fazer reflexões, antes de planejar um novo ano. Antes, de fazer a contagem regressiva para celebrar a passagem de mais um ano, que tal refletir sobre que somos realmente e quem seremos daqui para frente?

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Simone Belkis
Simone Belkis Seguir

Simone Belkis se formou em Letras na UFPR. É uma estudiosa do esoterismo e cantante. Seu amor maior são os livros. Escrever é sua forma de criar o famoso mundo melhor, e sua praia é contar suas próprias descobertas para inspirar pessoas.

Ler conteúdo completo
Indicados para você