[ editar artigo]

REFLEXÕES SOBRE A PAZ QUE QUE ESTÁ AO NOSSO ALCANCE

REFLEXÕES SOBRE A PAZ QUE QUE ESTÁ AO NOSSO ALCANCE

 

Bert Hellinger nos ensina que todo conflito parte do pressuposto de que existiriam pessoas melhores que outras e que, por esse razão, aquelas teriam mais direito de pertencer do que estas. Essa é a primeira e mais grave divisão. Dela surgem as guerras. E fazemos essa divisão no nosso cotidiano, nas nossas relações mais próximas. Basta observarmos como sempre estamos julgando e querendo que as pessoas sejam diferentes do que são. "O meu jeito de fazer é o certo" - repetimos de consciência leve, querendo mudar o que nos desagrada nelas. Mas que parâmetro usamos? Sempre o nosso!

É assim que contribuímos para as guerras, muitas vezes achando, com nossas boas intenções e uma ignorância profunda dos efeitos das nossas lealdades, que estamos promovendo um mundo melhor. Por isso, olhar para a forma como nós mesmos - nos nossos pequenos grupos - distinguimos entre os bons e os maus tem um valor inestimável para a cultura da paz no mundo.

Os senhores da guerra estão distantes e, de fato, pouco podemos fazer com relação às decisões deles. Na verdade, precisamos aprender - exercitando - a orientar o nosso olhar em direção àqueles que excluimos e que estão próximos de nós, e amá-los como iguais, por mais que isso nos assuste ou nos deixe aparentemente vulneráveis. O desafio, também, é deixar com eles a consequência de seus atos e escolhas.

Talvez seja mais difícil fazer isso do que preocupar-se ou indignar-se com todas as mazelas do mundo. Por isso mesmo talvez seja mais eficaz e transformador. O mundo muda a partir de ações que nos implicam pessoalmente e exigem de nós uma mudança interna. A mudança não está no outro. Esse é o pai de todos os desafios.

Antes de olharmos para fora e simplesmente lamentarmos a violência no mundo, o convite é: vamos deixar as pessoas serem como são. Esse respeito gera mudanças profundas em nós e na nossa sociedade.

Leo Costa 

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Leo Costa
Leo Costa Seguir

Educador há 25 anos! Cria de professora, olha no que deu. Terapeuta e Educador Sistêmico, sendo o que faz, fazendo o que é.

Ler conteúdo completo
Indicados para você