[ editar artigo]

Relacionamento a Distância

Relacionamento a Distância

 

BERT HELLINGER a um casal que toma lugar ao seu lado, parecendo muito unidos:

Quando olho para vocês pergunto-me se vocês têm, por acaso, algum problema.

HEIDI: Acho que deixamos nosso problema em casa. Quero dizer, viemos para cá e tudo está bom e diferente. Em casa temos os problema.

BERT HELLINGER-Não é esta uma boa possibilidade para a sua solução?

Heidi e Klaus riem.

Quando voltarem para casa, podem reservar, no porão, uma sala para os problemas e então depositá-los lá. Essa seria também uma possibilidade.

Heidi e Klaus assentem com a cabeça.

-HEIDI: Não vivemos juntos.

BERT HELLINGER: É esse o problema? Por que não vivem juntos?

HEIDI: Suponho que o nosso relacionamento seja ainda muito recente.

BERT HELLINGER: Como é que o relacionamento deve crescer e se desenvolver?

HEIDI: reflete talvez à distância por algum tempo e então pode ser que nos juntemos.

BERT HELLINGER: Você quer assim?

HEIDI: Eu tenho medo disso.

BERT HELLINGER: Exato. Você já foi casada antes?

HEIDI: Não, mas tive um relacionamento firme e dele tenho uma filha de treze anos.

BERT HELLINGER: Como foi que terminou?

HEIDI: Ele vivia muito longe. Era também uma relação de fim de semana.

BERT HELLINGER: Ah! Você já está acostumada com o distante.

Heide e Klaus riem.

BERT HELLINGER: Vou contar uma história a vocês: Em um de meus grupos havia um casal que já estava casado há seis anos, mas ainda não viviam juntos.

O marido disse que só podia encontrar o trabalho adequado em outra parte.

Ademais, lá também tinha uma namorada.

Os outros participantes do grupo tentaram tornar claro para ele que, no lugar em que sua mulher vivia, ele poderia conseguir o mesmo trabalho. Mas disso ele não queria saber.

Mais tarde descobrimos que seu pai tinha tido tuberculose.

Durante muitos anos, havia vivido em um sanatório longínquo e voltava só de vez em quando para casa.

Durante as suas visitas, tinha medo de contaminar a mulher e o filho.

Por isso, ficava sempre por pouco tempo e voltava logo ao sanatório. O
homem havia assumido esse medo de seu pai, sem que tivesse consciência disso.

Depois do curso, mudou-se para a casa de sua mulher. Têm filhos e são felizes.

HEIDI (comovida): Poderia ser algo assim!

 

Bert Hellinger

Para Que o Amor De Certo página . 198

Débora Carvalho 

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Débora Carvalho
Débora Carvalho Seguir

Abrace a sua vulnerabilidade e faça dela a sua maior força. É bonito demais sentir.

Ler conteúdo completo
Indicados para você