[ editar artigo]

Relacionamento afetivo

Relacionamento afetivo

Quantas vezes olhamos para nossos parceiros e parceiras e nos perguntamos: “Onde foi parar “a vida” inicial que se fazia presente no início do nosso relacionamento?"

Se eu te disser que ele se escondeu, seria capaz de acreditar em mim?

Isso mesmo, ela não ACABOU como muitos dizem, apenas se escondeu!

Se escondeu atrás de um cansaço rotineiro, que muitas vezes está preocupado com status, roupas, casa, dinheiro, carro, internet, contas e mais uma infinidade de coisas que são sim necessárias ao dia a dia, no entanto elas não podem ser o objetivo primordial do que rege a vida dos casais.

Estar na vida a dois é ser e estar disponível ao outro sem segredos, dividindo as responsabilidades numa intensidade correspondente a necessidade de cada casal, isso é andar junto lado a lado, tudo com amor, amor este que é capaz de conquistar até os piores dos cozinheiros transformando-os em verdadeiros chefs, no meu caso as louças que antes eram lavadas de qualquer jeito agora estão sendo ariadas... rsrsrs, e de verdade, mas precisou partir de mim, eu tive que admitir e assumir o meu lugar e com AMOR encontrei a "VIDA" escondida e conquistei. O que vem daqui para frente só o destino para mostrar, mas aprendi que devo viver um dia de cada vez me pautando no momento PRESENTE, no aqui e no agora que Eckhart Tolle tanto fala.

Um bom começo é olhar para o parceiro ou parceira e admitir em primeira ordem as qualidades dele ou dela, e elevar internamente nossos próprios defeitos, assumindo isso veremos que as nossas falhas podem pesar mais, e assim como elas ainda não foram o suficiente para levar o outro a desistir de mim eu também não venho a desistir.

Todos temos falhas, o que custa as vezes é admiti-las e equipara-las com relação a do outro, o peso sempre será proporcional e sistemicamente nada na vida acontece por acaso, nem mesmo os relacionamentos para tudo há um motivo maior, seja por boa ou má consciência eu estou aonde estou porque SIM, e para compreender esta dinâmica é necessário ampliar a nossa visão aí então voltamos a questão inicial “ADMITIR”, você admite?

(  ) Sim

(  ) Não

A metamorfose que ocorre em mim toca no outro a ponto de reiniciarmos num novo login na VIDA!

Concluo: Quem deve transmutar é o autor das queixas!

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
LUCIANA COUTINHO
LUCIANA COUTINHO Seguir

Graduada em Pedagogia, especialista em Psicopedagogia, Educação Infantil e Alfabetização. Formada no Curso de Terapeuta em Constelações Sistêmicas Familiares, Practitioner em PNL.

Ler conteúdo completo
Indicados para você