[ editar artigo]

Relacionamentos, por que tê-los?

Relacionamentos, por que tê-los?

Se o seu casamento ou relacionamento te impede de crescer e evoluir e te faz perder oportunidades importantes da vida talvez você não deveria se relacionar.

Não estou levantando uma bandeira dizendo que é para as pessoas se separarem ou arrumarem confusão dentro de casa.

Penso que todo relacionamento é uma troca de saberes onde tem parceria e cumplicidade. 

Se não posso fazer algo que desejo por que alguém não quer que eu faça, mais parece uma relação infantilizada entre pais e filhos do que uma relação conjugal. 

Penso que nós devemos ressignificar nosso pensamento sobre o que é se relacionar, para então determinar o que quer para si ou não.

Se você já vive uma relação assim, existem formas de superar várias limitações dentro dos relacionamentos já constituídos. Quem quer faz, quem não quer arruma desculpas. 

Quantas vezes culpamos aos outros por nossa infelicidade ou insucesso?? Isso não tem a ver com o outro é exclusivamente seu.

Pessoas brigam dentro de suas relações porque um pensa que deve tolher o outro. Que deve determinar o que o outro fará ou como fará. Respeito é o pilar para que qualquer relação seja bem sucedida. 

Se o que você fizer não ferir outra pessoa e for te beneficiar porque alguém haveria de proibir. 

Escuto por diversas vezes: meu namorado/marido gosta de muito de futebol, de sair com os amigos, de dormir muito, de trabalhar muito, de transar muito, de beber muito, de jogar muito.

Por que as pessoas casam ou namoram com pessoas que gostam de coisas que você não gosta ou admite? Por que pessoas que gostam de transar muito não se casam com pessoas que também gostam disso? Por que pessoas que gostam de futebol não casam com pessoas que apreciam o esporte?

Seria mais simples será?

Porque a gente sempre escuta: eu não consigo! 

Eu não consigo porque não tenho tempo, eu não consigo porque tenho filhos e eles tomam meu tempo, eu não consigo porque sou gordo, eu não consigo porque sou magro, eu não consigo porque não tenho dinheiro eu não posso porque meu marido não deixa, porque meu filho depende de mim, porque eu tenho medo, não posso porque não falo outra língua, porque não consigo aprender mais nada...

A gente precisa olhar nossos medos e limitações e parar de arrumar desculpas!

Quando eu engravidei do Henrique eu estava no 6º período da faculdade de direito. Era solteira, estudante estagiária e grávida! Um prato cheio para encontrar muitas desculpas!!  Ahh mas....porque...não dá! 

O que eu decidi fazer com tudo isso? 

Me fortalecer ainda mais para terminar aquele curso, e aceitar as condições que me limitavam. Procurei terapia e fui me conhecer!  Ali aprendi a me enxergar e a enxergar aos outros. 

O que era um desafio, cuidar de um bebê, passou a ser uma escola! Eu enfrentei meus medos, pegava o menino com 2 meses colocava num sling e lá ia eu para a faculdade. 

Não parei um semestre se quer para ter tempo de pensar em desistir. Quando ele permitia eu assistia as aulas, quando não, eu saia e dava umas chacoalhadas. No meio das aulas tirava o peito para fora e dava de mamá!

 Saia das aulas e ficava da janelinha da porta assistindo as aulas do lado de fora quando não era possível assistir de dentro.

Assim, fiz meu TCC, passei na OAB, terminei a faculdade e passei no mestrado. 
Estudando com um bebê nos braços, literalmente. 

Sim, o pai sempre dava muito apoio, mas na hora do mamá que era quase 24 h por dia era a mamãe que ele queria.

 Não posso negar que tive ajudas no meio do caminho... cunhados, vizinhos, amigos, e todo tipo de gente. Mas uma coisa que só dependia de mim era a minha força de vontade. Eu tive algo que foi o combustível, o foco! Eu sabia o que queria, e estava determinada a chegar até o lugar que eu queria!

 Eu não estou dizendo que sou melhor do que ninguém. Mas, que um dia eu me vi muito perdida sem apoio ou instruções de como lidar com alguns problemas. Então, busquei ajuda!! 

Hoje ainda não cheguei aonde eu queria chegar, mas tenho certeza absoluta que estou no lugar certo, construindo uma jornada linda com propósito claro e definido que agora, daqui para frente é uma questão de tempo e perseverança. Eu não costumo desistir tão fácil das coisas.

Domingo estava na igreja e vi essa imagem (Da Foto), me chamou atenção porque ela poderia inventar mil desculpas para não estar ali cantando na igreja, e teria com certeza nossa compreensão, mas não, ela canta com o filho nos braços as vezes no carrinho, mas não arrumou desculpas. Vendo ela e escutando uma fala essa semana que me chamou atenção (uma pessoa disse: quantas oportunidades que perdemos porque casamos), fizeram com que eu me inspirasse a escrever. 

E você, o que está esperando para fazer aquilo que sempre sonhou??

Por Milena Silva 

#prontofalei 
#publiqueiesaicorrendo

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
MILENA PATRICIA DA SILVA
MILENA PATRICIA DA SILVA Seguir

Sou mãe do pequeno Henrique, escritora professora de Direito Sistêmico, Advogada, pesquisadora, terapeuta, master e coach em PNL, doula, apaixonada pelo cuidar do ser, pelo conhecimento, pelos livros e pela vida e por chá de manjericão.

Ler conteúdo completo
Indicados para você