[ editar artigo]

Segunda Imersão

Segunda Imersão

RELAÇÕES ABUSIVAS

- OS SOFRIMENTOS TÊM UM PROPÓSITO: REEQUILIBRAR O SISTEMA

-PROBLEMAS SÃO ENERGIA, ELAS NÃO SE ESTAGNAM, MAS SE TRANSFORMAM

- O AMOR NÃO ESQUECE

- NA RAIZ DOS SINTOMAS TEM UMA EXCLUSÃO (B.HELLINGER)

-Alcoolismo, drogas- violação do princípio da ordem. Ordem pressupõe progresso. Não havendo progresso precisamos observar como esse princípio está sendo vivenciado. Quando ele foi desrespeitado, violado,  ele causa dificuldades financeira, doenças.

-Alcoolismo- um sintoma onde a hierarquia é violada. Onde os pais não sabem comportar como pais, porque de algum modo eles estão feridos, machucados, e a gente só oferece o que recebeu.

-Quantas pessoas espicham mas não crescem, porque só crescemos quando recebemos condições apropriadas.

-Como se tornar pais se você não foi filho? Primeiro você tem que se tornar filho para depois ser pai.

-O maior vazio da vida é o da infância feliz. O alcoolismo é uma forma de procurar a infância feliz. Procurar o pai, procurar a mãe. Ninguém é feliz se não for filho, não tiver o amor dos pais

-A dinâmica do alcoolismo é essa: cadê minha infância feliz? Cadê meus pais? A pessoa alcoolizada fica como inocente, perde a razão, o controle, descontrola emocionalmente.

-Relações abusivas- pessoas que têm memória de orfandade sempre atraem relações abusivas. Porque não tiveram um guardião. Quando a pessoa não tem ninguém por ela, ninguém a respeita.

-Pela ordem, os pais devem prover os filhos. Devem se comportar como adultos. Não podem ser “amiguinho” porque assim eles se tornam “confidentes”, criando uma reciprocidade. Filho não tem condição, maturidade neurológica, condição espiritual de ficar sendo conselheiro dos pais. De carregar as confidências, as intimidades e as privacidades dos pais. Isso destrói a alma de um filho. Isso sobrecarrega. Isso é violação de ordem

- Quando um pai é grosseiro, ou discute com um filho, perde a autoridade porque está violando a ordem/hierarquia. É uma violação de ordem querer mudar o outro. Por que tenho que mudar o outro para ser feliz?, porque esqueci o meu lugar certo. O lugar certo é um lugar de amor, de segurança, é um lugar de autoestima e de autoconfiança. AMOR A GENTE NÃO COBRA, A GENTE EXPERIENCIA. AMOR É MUITO PRECIOSO PARA FICAR COBRANDO

MOVIMENTOS QUE TRAZEM A CURA

1º- CONCORDAR: A VIDA É O QUE É

Todo sofrimento tem uma justa razão. A pessoa não sofre porque ela quer. Ela precisa “Pertencer”. É assim que o sistema funciona. É o amor do Espírito. Toda pessoa precisa contribuir com o sistema. CONCORDAR É NÃO JULGAR. É dar um lugar no nosso coração para tudo aquilo que aconteceu. É NÃO SE VITIMIZAR. Mesmo que isto tenha acontecido dizer: de alguma forma isto veio a contribuir com minha vida. O que isso está me pedindo? É sermos protagonistas da nossa vida. Protagonistas dentro da nossa história.

2º- PEDIR: POR FAVOR: OLHE COM BONS OLHOS. A VIDA CHEGOU ATÉ MIM!

“Por favor nos queira bem, apesar de todo sofrimento:  dou lugar no meu coração, agora sei. Sou grato por todo sacrifício de vocês. Imagino o sofrimento de vocês e sinto compaixão.

3º- AGRADECER: OBRIGADO

Mesmo vendo todo o sofrimento, apesar de tudo, a vida chegou até nós. Nossos antepassados conseguiram dar condição de subsistência para que a vida  fosse passada adiante. Só nos resta ser gratos pelo tanto que recebemos.

PEDIR É A EXPRESSÃO DA HUMILDADE. É UM “EU QUERO””ME OLHEM COM AMOR”. É UMA CONVERSA INTERIOR.

4º- LAMENTAR: SINTO MUITO, REPARAR OS DANOS CAUSADOS.

É o movimento do arrependimento, de perdão, de conversão. É importante abraçar a dor do coração, chorar o pranto, se arrepender, mudar totalmente o coração.

É o movimento de se tornar adulto. Vai além de um pedido de desculpas. É necessário a reparação do dano. Algo precisa ser feito. Um sacrifício pelo dano causado.

- A PAIXÃO É  ESPELHAMENTO. É NA VERDADE UMA FORMA DE SE CURAR, JÁ QUE O OBJETIVO DO ENCONTRO É TRAZER À TONA DOR E SOFRIMENTO DO PRÓPRIO SISTEMA (ENCONTRO COM SEU “CORPO DE DOR”, COM SUAS PATOLOGIAS)

-O problema não é o outro. Nos achamos vítimas quando somos sempre protagonistas. NÓS SOMOS A SOLUÇÃO E ASSIM AJUDAMOS A CO-CRIAR A REALIDADE.

-Quem tem consciência do problema tem a possibilidade de solução. Constelação é uma forma de ajudar a perceber a consciência, é uma prática terapêutica .

DINÂMICAS SISTÊMICAS DOS SINTOMAS

-Na base de todo sintoma tem uma exclusão, tem uma injustiça, tem uma violação de um dos princípios sistêmicos, tem violação da justiça.

-É PRECISO OLHAR PARA A HISTÓRIA DOS ANTEPASSADOS

-Nenhum sintoma está na vida de uma pessoa para trazer dor e sofrimento. Estes são apenas um efeito colateral do sintoma. O sintoma é uma forma de pedir ajuda e mostrar a tarefa que precisa ser feita.

-Dinâmica da fibromialgia- É a pessoa ter sofrido uma injustiça muito grande. Por exemplo: ter crescido sem carinho, sem amor, sem o cuidado que ela precisava, sem o zelo. Ela precisou ter sido grande quando na verdade precisava ser criança para usufruir a vida. Pode ser uma memória pessoal ou transgeracional, citando uma memória de tortura. A pessoa ao invés de ser respeitada, de ter um lugar, de ser enfim honrada, essa pessoa foi privada de seus direitos humanos (memórias epigenéticas).

-A memória transgeracional, como efeito para doenças como a bipolaridade, síndrome de pânico, esquizofrenia. É preciso prestar atenção às psicoses, as situações delicadas, com delírios e alucinação. São memórias de sofrimento de outras gerações. As Constelações ajudam, mas também são indicadas intervenções sensoriais e mecanicistas. A pessoa não pode ficar sozinha ou desamparada.

-Sintomas ligados ao tórax, coração, pulmão são sintomas que lembram sofrimentos da memória afetiva, da memória de família, da memória de relacionamentos afetivos. Quando uma pessoa fica muito triste por conta de sofrimentos, de perdas, de saudades, de nostalgia, os pulmões podem ficar comprometidos. Quando a pessoa fica aborrecida, magoada com alguma perda no âmbito afetivo, seja em relação a filhos, a cônjuge, enfim a relacionamentos mais próximos pode ter dor no peito.

-O sofrimento humano tem sua justa razão de acontecer. Para resolvê-los temos de trazer para dentro de nós um sentimento de GRATIDÃO, um sentimento de CONCORDAR com as coisas e entrar dentro de um sentimento onde, talvez, eu possa fazer alguma coisa para reparar o dano causado. Que possamos lembrar de nossa verdadeira natureza. Que possamos lembrar que somos uma verdadeira unidade. Somos um grande sistema. As coisas que aconteceram, tanto as ruins como as boas, atuam em nós. Todos os acontecimentos estão a nosso dispor, não só as dores, mas os dons, os talentos. Tudo que nossos antepassados desenvolveram ao longo da vida: resiliência, empreendedorismo, tudo está a disposição. Herdamos ônus e bônus. Então podemos ter em nosso coração um sentimento de alegria, alegria por estarmos presentes, por existirmos, por termos um corpo físico. Alegria de estarmos conscientes enquanto vidas humanas, da nossa humanidade. É isto que nos permite curarmos e nos sintonizar com os milagres.

CONFLITOS ENTRE IRMÃOS

-Um dos grandes sofrimentos nas famílias é o conflito entre irmãos, o que gera conflito no grupo.

-Do ponto de vista sistêmico o conflito acontece quando existe violação de ordem/hierarquia, violação da autoridade. Nos sistemas onde existe inclusão, violação do pertencimento, mortes precoces, orfandade, é natural que esses sistemas experienciem conflitos e sofrimentos.

-Como resolver isto, se essas memórias passam de pai para filho, de avós para netos, sendo que as vezes as pessoas nem existem mais? No trabalho sistêmico é fundamental nós  CONCORDARMOS COM AQUILO QUE É EM NOSSO CORAÇÃO. Aquilo que nós experienciamos faz sentido. Aquilo que compreendemos, entendemos, que está além do aparente do conflito daquela situação. Na família onde existe o grande desafio dos conflitos é fundamental perceber onde existe a orfandade. Onde falta essa memória de pai/mãe. Quando se perceber onde falta é preciso fazer um movimento de cura: assumir a autoridade e fazer uma inclusão, fazer aquilo que é. Ter humildade de lidar com aquelas situações.

-Que os pais possam verdadeiramente assumir a autoridade nos lares, porque só assim a paz reinará. A PAZ TEM A FACE DA MÃE. Conflitos no lar tem a ver com a orfandade materna, com a ausência dessa figura feminina dentro do lar. Mãe é liderança pela ternura, pela paz, mas contudo a autoridade é fundamental, autoridade amorosa. Num lar onde os pais são amigos dos filhos, os filhos são órfãos de pais. Os pais têm autoridade, não podem se comportar como confidentes e não podem sobrecarregar os filhos com tarefas que não lhes pertence.

AUTISMO

Por mais difícil que seja nossos filhos especiais, fomos contemplados para suprirmos, transmutando sentimentos. Famílias com filhos especiais são sistemas especiais. São divisores de água dentro de seus grandes sistemas. São pessoas que oferecem para o sistema humano a oportunidade de ir além. A oportunidade de   altruísmo, da compaixão, da verdade.

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Ler conteúdo completo
Indicados para você