[ editar artigo]

Ser você mesmo: o surreal nesse mundo

Ser você mesmo: o surreal nesse mundo

Eu estou vivendo uma experiência quase surreal. A incrível oportunidade de ser eu mesma. Não que tenha sido falsa até aqui. Posso ser tudo nessa vida, mas falsidade não faz parte do meu perfil. Sempre fui assim: - Se gosto, se sabe e se não gosto, também se sabe. 

O que quero dizer é que após anos de repressão emocional em função de traumas profundos, estou finalmente tendo a chance de me experimentar, lidando com alguns medos, certamente. Muitos dos textos que publico aqui são parte dessa experiência.

Ser você mesmo é o único dever absoluto imposto pela vida, por isso foi criado como um indivíduo, esse é o seu legado. E eu resolvi assumir esse desafio. Eu posso, sim, ser o que quiser, dizer o que quiser, fazer o que quiser, desde que, e isso é fundamental frisar, eu respeite o espaço do outro, tenha consciência e me responsabilize por meus atos. Essa é a verdadeira liberdade.

No princípio, sentia algum medo de ser criticada e abandonada por fazer ou dizer o que penso (medos de lá de trás), mas fui experimentando, pessoas passaram pela minha vida e me despertaram muito para isso (gratidão a cada uma delas). Não me saí tão bem em todas as experiências, mas cresci muito, dizendo o que estava bom e o que não estava, mesmo arriscando perder algo de importante (e perdi também). Mas, dando conta que mais importante que perder algo ou alguém, é não continuar perdida por negar aquilo que simplesmente sou. 

Parece assustador no começo, mas aos poucos a gente pega o jeito. Deve ser como aprender a andar de bicicleta e digo deve, porque não aprendi e isso é outra coisa legal, não ter vergonha de admitir: - Eu não sei andar de bicicleta. Hehe. Bom, isso também não é um incentivo para ninguém desistir de nada.

O fato é que é um exercício de vida ser aquilo que nascemos para ser. Não é fácil e nem simples, mas é a melhor tarefa do mundo. Vai exigir coragem, determinação, boa vontade e amor por si mesmo. Mas, o resultado é surreal.

Tudo bem quando olhamos no espelho (externo ou interno) e estranhamos um pouco aquilo que vemos, isso faz parte. Até porque o direito de olharmo-nos nos olhos vem sendo negado a milênios. O ser humano se abomina por ser imperfeito, sem saber que a beleza da vida é buscar a perfeição real.

E o que é a perfeição real? A aceitação do belo e do feio em nós, porque a escuridão só existe, porque nos esquecemos da nossa luz. Muito prazer em conhecer a mim mesma. Se dê, também, esse prazer.

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Simone Belkis
Simone Belkis Seguir

Simone Belkis se formou em Letras na UFPR. É uma estudiosa do esoterismo e cantante. Seu amor maior são os livros. Escrever é sua forma de criar o famoso mundo melhor, e sua praia é contar suas próprias descobertas para inspirar pessoas.

Ler conteúdo completo
Indicados para você