[ editar artigo]

SINTOMAS COTIDIANOS E SEUS SIGNIFICADOS

SINTOMAS COTIDIANOS E SEUS SIGNIFICADOS

Não escrevi principais sintomas porque dos que foram descritos na aula, todos fazem parte do meu sistema, e talvez, alguns outros mais. Uns com maior intensidade, outros menos, mas no conjunto da obra, todos se fazem presentes.

Desde minha infância, sempre me senti melancólica, principalmente nos fins de tarde, nos fins de semana. Muitas vezes chorava muito, sem nem saber a razão. Vinha um sentimento, uma sensação sei lá do quê, uma tristeza, uma solidão, que chegava a doer.

Depois dessa aula, que não sei se posso dizer que constelei, compreendi que isso se chama melancolia. Saudade da pátria- mãe, de um lugar que ficou longe, distante, memória de imigração, vínculo de amor interrompido entre meus ascendentes e sua pátria. Hoje eu compreendo.

Angústia e ansiedade, como sofremos com essa dupla. A sensação de que está faltando algo, uma urgência de alma, um desespero, uma inquietação e insatisfação generalizada. Quando eu nasci minha mãe teve hemorragia grave e complicações.

Ela contava que via-se indo embora, por um túnel bem grande, e que de fato, sentiu que por alguns instantes, havia partido,  como se tivesse deixado seu corpo em uma maca. Hoje, com o conhecimento que estou adquirindo, consigo compreender também qual dinâmica  se faz presente aí.

A ansiedade, esse é aquele sintoma que nos dias de hoje, sempre achamos normal, faz parte, etc. Lembro de um episódio, já na época da faculdade, estava fazendo uma prova bem difícil, e vi que alguns colegas já estavam se levantando, entregando a prova e saindo.

Entrei num desespero tamanho, pensando que não iria conseguir terminar, que fiquei com vontade de ir ao banheiro, quase fazendo xixi nas calças. Era incontrolável e desesperador a sensação de que eu iria ficar sozinha na sala. Acabei entregando a prova, de qualquer jeito, sem pensar muito, para não ficar por último.

Mesmo sabendo que teria tempo ainda. Fazendo a leitura, não tive um pai amoroso, afetuoso, funcional. Não, não tive, não tivemos.  A depressão, presente em todos da família. A insônia, também. Pais disfuncionais, família disfuncional, infância disfuncional. Hoje eu compreendo, hoje consigo enxergar, hoje eu vejo.

O conhecimento que estou adquirindo me permite enxergar nas entrelinhas, fazer a leitura sistêmica disso tudo. Faço minhas as suas palavras, querida professora Olinda, a verdade vos libertará. A verdade liberta, quebra as correntes da prisão, da cegueira, da ignorância.

Que possamos todos caminhar rumo à liberdade, para sermos pessoas funcionais e felizes.

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Ler conteúdo completo
Indicados para você