[ editar artigo]

Texto - Segundo módulo: AS LEIS DO AMOR E OS MOVIMENTOS QUE CURAM

Texto - Segundo módulo:  AS LEIS DO AMOR E OS MOVIMENTOS QUE CURAM

Meu olhar sobre esse módulo está voltado ao romantismo do nosso existir, o nosso ser romântico, e nisso me identifico muito com minha querida professora Olinda porque eu também sou muito romântica. Também sou valente. Escreverei em primeira pessoa, coisa que não costumo fazer.

Que delícia são as aulas, assisti todas, uma atrás da outra, acompanhada de meu caderno e das minhas canetas coloridas, é claro! Preciso destacar tudo o que considero importante, e na verdade toda a aula é importante, todas as abordagem são de extrema relevância. Meu caderno fica todo colorido.

Também bebo um delicioso chimarrão na companhia de minha querida mamãe, que aliás, ama as aulas e já constelou inúmeras vezes. Então o cenário é: aulas, mamãe, chimarrão e bolinhos ou biscoitos..

A presença de minha mãe me fortalece e me encoraja para eu seguir adiante neste caminho que demorei tanto a trilhar. Acredito que tudo acontece no momento certo e esse é meu momento, agora eu posso aprender e estudar.

Mas nem sempre foi assim. Por muito tempo e muitas vezes tomei atitudes precipitadas, sem meditar, sem refletir... não deu muito certo, na verdade nada certo.

Agora eu sou diferente, medito, analiso, reflito, olho com olhar de mulher sistêmica, e isso faz toda diferença.

Amo essas conversas e estou aprendendo a escrever neste modo de prosa mineira, que encantador!

Para seguir minha conversa, quero falar sobre o que aprendi nesta aula. São tantas coisas!

Começo com o significado de emaranhamentos e da lealdade. Entendi que emaranhamentos são experiências, sensações e sentimentos vivenciadas por alguém que não correspondem à realidade que vive, ou seja, não existe aparentemente uma justa razão para tais fatos, atitudes e ou sentimentos.

No entanto ao olhar com olhos mais atenciosos, ou como bem afirmou minha querida mestre em seu livro “Além do aparente”, olhar além do aparente, além da simples compreensão de fatos, entendemos que se trata de um emaranhamento. Ainda no mesmo livro a Olinda descreve que “[...] Quando uma injustiça acontece e não ocorre uma reparação, isso também permanece. Quando alguém não tem um bom lugar, quando a ordem é violada, isso também gera emaranhamentos. O que gera emaranhamentos é sempre a violação desses princípios sistêmicos: exclusão, injustiça, desrespeito, desonra. Portanto, emaranhamentos são consequência da violação dos princípios do pertencimento, compensação e ordem”. (Além do Aparente, Guedes, Olinda. Pg. 43)

Enquanto assistia as aulas atentamente recordei de uma amiga que sente um vazio e que precisa curar algo de nível espiritual. Nunca compreendi de fato a sua carência e nem o que buscava. Não entendia até chegar a esse modulo... agora consigo ter alguma ideia do que possa ser. Talvez com uma boa conversa eu possa identificar o ponto a ser curado para ajudá-la a libertar-se do seu emaranhamento.

Quanto a lealdade devo dizer que tomei como princípio ou ponto de identificação a seguinte frase: “Antes da felicidade os pais”, ou seja a quem estamos sendo leais. Somos leais por amor, sofremos por amor... Falarei de mim e a quem fui leal. Como sei que fui leal, e como identifiquei isso.

Começo reconhecendo algo doloroso para mim, algo que me causava muita dor: meu pai e seu alcoolismo, sua fraqueza de humano que o levou a morte. Hoje sei que meu pai foi leal a seus antepassados, viveu e morreu por lealdade. Ainda não sei a quem mas tenho convicção de que logo descobrirei.

Bom, o que então aconteceu a meu pai? Ele era alcoólatra, viveu toda a sua curta vida embriagado devido a cachaça e isso fazia desde a manhã até o final do dia. Eu nasci, me desenvolvi e cheguei a minha fase adolescente vendo o meu pai seguir está enfadonha rotina de vida. Nada de diálogo, nada de carinho, nada de brincadeiras, nada de nada, só embriagues.

Na minha infância vi meu grande herói cair muitas vezes e não entendia porque, na minha pré adolescência vi meu grande herói se transformar em decepção, vergonha e tristeza. Que fase dolorosa e triste foi a morte de meu herói!

Igual a meu pai, eu também fui leal a ele por amor. Foi partir do ano 2000, ano em que meu pai tirou a sua própria vida. Inconscientemente comecei a me embriagar e a viver e agir como o meu pai. Sentia que para a minha vida bastava qualquer coisa, como se eu não tivesse direito e merecimento a tudo de melhor que a vida podia me oferecer. O pior estava reservado para mim e eu o recebia com gratidão pela lealdade ao amor de filha.

Muitos anos se passaram para eu chegar ao momento de reconhecer tudo isso e de dizer:

"- Chega, eu não preciso tomar as mesmas atitudes que você tomou papai."

Para demonstrar o quanto eu o amo, não preciso tirar minha vida. Aceito-o como ele é. Deixei de agir como o meu pai e segui a minha vida. Mesmo consciente de tudo, a fase mais difícil veio justo este ano, completei 42 anos, a idade que o meu pai morreu. Desde o início do ano meu coração e a minha mente foram tomados por um forte sentimento de desejo de morrer. Não sentia vontade de viver, não sentia prazer em nenhuma atividade que desenvolvia, seja profissional ou pessoal.

Ainda estamos no referido ano, mas tudo isso é passado para mim. Em meio a tanta turbulência de sentimentos, conheci a constelação familiar através de um curso oferecido em uma instituição de ensino que trabalhava. Realizei a formação em 2019 e me apaixonei pela constelação sistêmica familiar. Tive plena convicção de que era o caminho que eu queria trilhar.

Isso foi um divisor de aguas para mim. Agora existe um eu antes e um eu depois das constelações sistêmicas. O que aconteceu com os meus sentimentos de lealdade? Estou trabalhando nisso. Agora consigo dizer a meu papai que eu o amo mesmo assim, eu aceito-o e reconheço o seu destino. Mas a ele também digo que eu posso fazer diferente. Desejo viver por muito tempo para desenvolver o meu trabalho como terapeuta.

Vivo em paz com o meu querido papai, seu lugar hoje é em meu coração, lugar ao qual atribuímos o sentimento de amor.

Ao ouvir a professora falar da adoção da Nina e relatar o momento em que ambas nasceram uma para a outra fui tomada de uma emoção muito forte. Chorei de emoção. Não consigo explicar.

Finalizo com as principais afirmações da professora neste modulo:

“Quer prosperar? Dedique-se por inteiro/a em seus objetivos, estude, leia muito, pesquise muito, este é o caminho.”

“Pessoas boazinhas vão para o céu, as outras vão à luta.”  

“Antes da felicidade os pais.” 

“Constelar é completar.”

“A Constelação Sistêmica liberta as pessoas do sofrimento e fortalece pelo amor o pertencimento para que a felicidade, o sucesso e a prosperidade tornam-se possíveis.”

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Ler conteúdo completo
Indicados para você