[ editar artigo]

Transição Planetária: o que isso quer dizer?

Transição Planetária: o que isso quer dizer?

Estamos passando por um momento mundial bastante difícil. Para falar de forma simples, o velho mundo parece estar desmoronando, não é mesmo? A Pandemia é apenas uma marca desse tempo, e veio para avisar que não se pode mais viver apenas para sonhar com o futuro e lamentar o passado. É preciso estar presente.

Existe todo um estudo sobre o significado da Transição Planetária, mas eu não tenho profundo conhecimento desse assunto. Portanto, vou apenas ambientar o tema para colocar aqui o que isso tudo representa em termos cotidianos, isso na minha visão, como sempre faço.

A Transição Planetária vem falar sobre uma mudança vibracional, a passagem da consciência de 3º para 5º dimensão. Mas, em termos simplificados, isso quer dizer: mudar a forma de enxergar a vida e agir de acordo.

Na 3º dimensão, dizem, estamos muito voltados e presos ao mundo material, à visão egóica e simplista da criança ferida, que sofre e chora por ser vítima das carências humanas. Vale lembrar que essa criança ferida é uma representação de nossa alma, que por uma série de razões sociais, históricas e sistêmicas foi extremamente abalada, e que claro, também vale para as crianças reais que estão sendo vitimizadas por um sistema velho, fracassado e impotente.

A 5º dimensão, também é o que dizem, representa uma visão empática e amorosa, baseada (creio eu) nas mensagens que o Cristo nos deixou, de amor ao próximo, a si mesmo e, sobretudo, ao Criador. Uma visão que leva em conta a coletividade consciente, onde cada ser humano faz sua parte, sendo apenas o que é. Importante colocar que não somos nós mesmos quando não temos consciência e, portanto, não a usamos com discernimento, responsabilidade e compromisso.

Bom, dizem que a Transição Planetária é, na verdade, uma mudança de consciência. É um estado de espírito, onde estamos tendo a oportunidade de enxergar a vida com outros olhos. E como não fizemos isso por bem, pelo menos nos últimos 2.000 anos, agora estamos tendo que fazer por mal.

Não podemos esquecer que como seres humanos programados por um sistema maior, complexo e superior à nossa capacidade cognitiva, não nos sairíamos tão bem, apenas racionalizando, sem sentir as dores transformadoras que fazem parte do nosso processo evolutivo. É o velho papo do: se não aprende pelo amor, aprende pela dor. E como dói, hein??? Hehe.

E por que tanto sofrimento afinal? Do meu ponto de vista, a dor é a ferramenta mais eficiente quando estamos ligados ao automático, o que por sinal, é uma característica natural do ser humano. Sem esse automatismo estaríamos mortos por asfixia, no mínimo. Porém, quando nos acomodamos nesse automatismo, sem questionar, querendo apenas salvar o nosso e o dos nossos, passamos por cima de nossa própria capacidade racional de perguntar o por quê das nossas mazelas. 

É certo, e não posso ser injusta, que somos (alguns) parte de uma legião de pessoas interessadas em melhorar, mesmo que seja apenas para nos sentir bem conosco mesmo, nesse caso o motivo pode não ser tão nobre, mas ainda assim é válido.

O que quero dizer afinal com tudo isso, é que estamos tendo uma oportunidade única de fazer parte de uma transformação que marca uma nova Era. E tudo que precisamos fazer é nos amar e amar os outros, cuidar de nossa saúde mental, entender a importância de sermos quem somos como indivíduos e deixar de ser massa de manobra nas mãos daqueles que estão, ainda, dominando o sistema.

É preciso e urgente o despertar íntimo de uma consciência sábia e ativa, o que cada um de nós possui, porque somos todos feitos da mesma "matéria", a poeira cósmica ou a Centelha Divina.

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Simone Belkis
Simone Belkis Seguir

Simone Belkis se formou em Letras na UFPR. É uma estudiosa do esoterismo e cantante. Seu amor maior são os livros. Escrever é sua forma de criar o famoso mundo melhor, e sua praia é contar suas próprias descobertas para inspirar pessoas.

Ler conteúdo completo
Indicados para você