[ editar artigo]

Uma vida mais saudável: sem cafeína, sem lactose, sem açúcar e sem glúten

Uma vida mais saudável: sem cafeína, sem lactose, sem açúcar e sem glúten

Olá, me chamo Mari Amatti e há alguns meses atrás participei das Oficinas de Emagrecimento com Olinda Guedes.

A partir desse contato com a conscientização de uma qualidade de vida melhor, através do grupo de estudos que Olinda Guedes criou (https://t.me/joinchat/LltMl1Ml25xQXvPdQL2Nyg ), conheci diversas dicas sobre uma dieta balanceada e saudável.

Eu estava conseguindo emagrecer, mas com muito sacrifício... e sentia-me desnutrida... E apesar de já não tomar mais café e leite puro, ainda não largava das massas, dos pães, dos doces e das sobremesas feitas com leite.

Como eu estava com a saúde muito ruim, me sentindo empachada, com dores musculares, dores de cabeça, enxaqueca, dores no estômago, enjoos, refluxos, inchaço e vivendo o efeito sanfona mensalmente, chegou num ponto em que eu estava pensando em ir me internar num hospital, pois até beber água estava me causando azia.

Não sabendo mais o que fazer, pedi ajuda e Olinda me indicou a dra. Erica Coelho e o nutricionista Fernando (Low carb).

Então, conversei com os dois, mas senti que eu precisava de ajuda de uma figura feminina... E escolhi me consultar com a dra. Erica. 

Erica Coelho é uma pessoa adorável, pois me pegou na mão e me ajudou muito em como lidar melhor e de forma mais consciência diante da minha forma de me alimentar.

Ela simplesmente disse para eu não comer mais o que me fazia mal... Parece simples, mas só de me imaginar sem poder comer mais, principalmente as massas (pães, pizzas, macarronadas, etc), eu senti medo... mas topei! Afinal, eu confiei nela.

E ela foi me orientando, de forma consciente a adotar a dieta sem glúten e sem açúcar... e me pedia para comer aquilo que me fazia mal, só pra eu mesma constatar o que estava me fazendo adoecer... e lá fui eu: comi naquela semana um pedacinho de barra de chocolate, passei mal... depois tomei uma cuia inteira de chimarrão, passei mal (pois também não posso tomar nada com cafeína), comi a sobremesa no almoço de domingo com a família (lactose)... deu até diarreia...

E foi dessa forma, passo a passo, que conscientemente fui me dando conta que não tinha mais volta eu comer novamente tudo o que me fazia mal, pois depois eram no mínimo 2 dias com dores de cabeça e fraquezas.

O jeito foi aprender agora a me adaptar... E através dos alimentos naturais, comecei a criar e preparar minhas próprias refeições... E se agora o pão foi substituído por tapioca, inventei um pão de tapioca com farinha de aveia e um crepe de tapioca com ovos. Além disso, o almoço popular (arroz, feijão, carne e salada) foi substituído apenas por carne e refogados de legumes. Sem feijão, sem flatulências, sem arroz, menos carboidratos... e a carne e saladas preparadas agora só com azeite de oliva...

Que escola! Para algumas pessoas isso pode ser normal, mas para mim, eu que vim de família simples, que dava graças a Deus quando tinha algo diferente pra comer e me acostumei a viver comendo sempre o feijão com arroz nosso de cada dia, realmente foi novidade eu começar essa dieta.

E o objetivo foi alcançado: mais disposição, até dançar comecei a dançar com o maridão.. antes eu vivia pelos os cantos da casa com as mãos nas costas e reclamando de dores... além da caixa com dezenas de sal de frutas, pois era o que eu regularmente tomava por causa das infinitas intoxicações que eu sentia.

Agora, abriu-se um mundo novo... e já até assumi mais compromissos profissionais e pessoais, pois sinto-me mais segura com relação à minha memória e não gasto mais horas e horas cozinhando, pois essa nova dieta ajuda até nisso... Se antes eu não tinha tempo de cozinhar um almoço completo, agora em 20 minutos eu preparo tudo, dou um tempo especial pra mim mesma e ainda me alimento de forma saudável.

Só quero dar um conselho pra vocês, baseado na minha experiência: não tentem iniciar uma nova dieta sem apoio médico ou de um nutricionista, ok? Porque só eles sabem o que você poderá retirar e inserir de alimentos que lhe fará bem. Você tendo de prestar contas, sempre manterá sua rotina e sentindo alguns efeitos, receberá correção ao longo do percurso. Fazer isso sozinho(a), não dá certo mesmo! Falo isso, porque já tentei várias dietas milagrosas antes, mas nunca dei continuidade... E agora que me adaptei à essa nova dieta, sem glúten, sem açúcar, sem lactose e sem cafeína, quero me aprofundar ainda mais no conhecimento da alimentação natural e começar a retirar aqueles que engordam, mesmo não sendo alimentos industrializados... Mas darei continuidade sempre com a ajuda da minha médica.

Pra finalizar, gostaria de dizer, que agora (segunda-feira que vem) vou iniciar uma nova etapa na minha dieta: decidi que quero emagrecer... e vamos ver o que terei de novos desafios pela frente pra poder contar as novidades daqui há um mês pra vocês, ok?

Hoje, estou com 86,200kg e 98 cm (3 cm a menos do que o mês passado). Até minhas vizinhas já comentaram que eu estou com o rosto mais fino. Agora quero que afine mais a minha cintura e o quadril que ainda estão grandes... rsrsrs...

Mas fica aqui registrado o meu peso e quero poder compartilhar com vocês resultados não forçados, mas realistas daqui há um mês, ok? Eu farei minha parte e vamos ver se meu organismo corresponderá conforme o planejamento que seguirei com ajuda da dra. Erica Coelho.

Gratidão! <3 :-D

 

 

 

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Marinez da Silva Amatti Grochewski
Marinez da Silva Amatti Grochewski Seguir

Me chamo Marinez, sou filha da Adel e do Tião. Sou cantora, violonista, compositora, casada e mãe. Tenho formação em Constelação Familiar e PNL, pelo Instituto Anauê-Teiño. Espero compartilhar com vocês várias das minhas reflexões e experiências!

Ler conteúdo completo
Indicados para você