[ editar artigo]

Você sente um vazio constante? Talvez sofra da síndrome do gêmeo desvanecido

Você sente um vazio constante? 
Talvez sofra da síndrome do gêmeo 
desvanecido

A constelação familiar é uma prática terapêutica que observa as chamadas leis do amor. Bert Hellenger, no processo de criação desta técnica, observou que todas as famílias seguem três grandes diretrizes. Ele chamou-as de Leis do Amor. Essas são:

Hierarquia – Aquele que vem antes é maior do que o que vem depois e todos tem um lugar específico na família.

Pertencimento – Todos fazem parte de um sistema familiar, não há como se excluir alguém.

Equilíbrio – As relações humanas primam pelo equilíbrio, e quando geralmente isso não acontece, essa relação tende ao fracasso.

Com o pertencimento, as constelações familiares dão um outro olhar aos filhos que não nasceram. Mesmo que essas crianças não tenham tido a oportunidade de vir ao mundo ou nasceram sem vida, elas pertencem ao sistema familiar.

Quando essas crianças não são consideradas, é muito provável que os irmãos manifestem vários tipos de sintomas, tentando procurar no mundo por essa parte que nem sabem que falta.

A Síndrome do Gêmeo Desvanecido 

Hoje, especificamente, quero comentar sobre a síndrome do gêmeo desvanecido. Segundo a psicologia pré e perinatal, 20% das pessoas no mundo iniciaram sua vida intrauterina/concepção em uma gestação gemelar. Porém, na maioria dessas, apenas um dos bebês sobreviveu. Esse processo se dá no início da gravidez e é muito provável que nem mesmo a mãe tenha percebido que isso tenha acontecido.

O bebê, ao experimentar tamanha perda em idade tão precoce, vê sua vida impactada. E não é para menos, pois, esse vínculo é mais forte do que o formado com a mãe, já que esses indivíduos estão ligados desde sua concepção.

E quais são as características das pessoas que passaram por essa experiência?

A pessoa que passou por esse processo sente um vazio constante. É como se, desde que ela se conheça por gente, há algo que lhe falte. Por mais que consiga coisas, esteja rodeada de pessoas e totalmente bem, parece que nunca está satisfeita com o que tem e sente que ainda não tem o que precisa para estar em paz.

Essa pessoa também pode expressar um grande sentimento de abandono e ter a sensação de estar sozinha no mundo. Geralmente essa pessoa pode sofrer em silêncio, pois ela acredita que esse sentimento é inerente a sua personalidade. Além disso, há um medo gigante de que as pessoas próximas a abandonem. Como ela tem esse medo, quanticamente vai atraindo situações que constantemente lhe coloquem nessa posição.

Por tudo isso, em uma relação amorosa, a pessoa com a síndrome do gêmeo desvanecido, pode ter muitos problemas, pois o parceiro/a nunca será bom o suficiente para preencher o vazio que ela sente. Além disso, o medo que tem do abandono pode provocar ciúmes, desconfiança exagerada, apego desmedido, carência desenfreada, dependência doentia e etc. Tudo isso faz com que a relação se transforme em algo terrível, fazendo com que o parceiro/a queira partir.

Outra característica muito comum é que essas pessoas façam atividades em dobro, ou de forma exagerada, por exemplo: Compram, trabalham, comem em dobro, etc. No caso das compras, a pessoa com essa síndrome vai adquirir coisas em pares, mesmo que não entenda o porquê.

Somado a todos os sentimentos de luto, pode haver também uma sensação de culpa, pois muitas vezes, o outro embrião é absorvido no processo de crescimento. A criança sobrevivente sente-se devedora do sacrifício do irmão/ã. Sendo assim, pode adquirir um roteiro de fracasso visto que não sente que pode ser feliz em cima do sofrimento do gêmeo que morreu. Essas pessoas insatisfeitas acabam se sabotando na vida.

Alguma das pessoas podem até tomar o caminho inverso devido ao grande sofrimento que experenciaram. Mesmo sentindo um grande vazio, a sensação do abandono e até mesmo a culpa, essas pessoas entram em um mecanismo de defesa no qual as emoções ficam em segundo plano. Elas tentam bloquear o que se está sentindo. O grande problema com isso, que eles bloqueiam as emoções de forma geral, tornando-se frios e distantes.

Esses são alguns dos sintomas que a pessoa que vivencia essa síndrome pode manifestar, porém, é importante ressaltar que nem sempre se apresentam todos os sintomas e que ter um dos itens abaixo não significa que se passou por isso. Porém, caso suspeite, faça uma constelação para comprovar se foi isso que realmente aconteceu. Viver com essa sensação de vazio e com esses sintomas é algo muito complexo, comece hoje essa jornada de cura.

 

 

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Rodrigo Oliveira
Rodrigo Oliveira Seguir

Terapeuta sistêmico

Ler conteúdo completo
Indicados para você