[ editar artigo]

Você tem dificuldade com seu aniversário?

Você tem dificuldade com seu aniversário?

Não sou muito de fazer textos que tragam depoimentos, porém acho necessário compartilhar com vocês um pouco da minha relação com o meu aniversário.

Durante muitos anos, toda a vez que chegava meu aniversário, eu me sentia triste e queria sumir do mundo. Não queria que os holofotes chegassem até mim e queria fugir do planeta, dos meus amigos e da minha família. Não sei bem qual era o mecanismo despertado em mim, mas o fato de ficar cada vez mais velho fazia com que eu me sentisse mal. Além disso, várias memórias me rondavam e me jogavam em uma espiral de tristeza, angústia e depressão.

Por muitas vezes dava um jeito de fugir. Às vezes caía no mundo em uma viagem solitária ou ficava trancado em casa sentindo toda a tristeza emergir. A questão era não ver ninguém conhecido, passar despercebido, me enfiar na terra e sumir.

Desde que embarquei nesse mundo das terapias integrativas, comecei a trabalhar aspectos que me atrapalhavam, alguns conscientes, outros nem tanto. Foi como se começasse a limpar um terreno, e aos poucos fui tirando o lixo que estava aparente. Além disso, muito mato que tinha raízes profundas começou a ser retirado. Aos poucos esse terreno abandonado foi ganhando um tom mais familiar e permitindo que a alegria voltasse a surgir. Agora é possível ver que nesse terreno corre um rio de água cristalina. Claro que ainda há muito por fazer.

Com a prática das constelações familiares, comecei a entender que viver é um grande privilégio e ter um corpo físico que me permite interagir com o mundo é algo incrivelmente forte. Entendi que a vida veio de um lugar lindo, de meus ancestrais e chegou a mim como um grande presente. Comecei a tomar os meus pais. Para quem não está habituado com a ideia de tomar os pais, isso significa entender que eles fizeram o melhor que podiam dentro de todas as possibilidades e que me entregaram o mais importante: a vida. Passei a valorizar mais minha origem!

Havia muitos pontos que estavam desconexos e desconectados, como se vivesse uma vida sem sentido. Nesse processo, comecei a reconstrução de minha autoestima e do prazer de desfrutar dessa vida. Entendi a expressão estar no presente! Deixei de ficar preso no passado me arrependendo por escolhas tomadas; analisando cada "SE" que poderia ter sido diferente. Ou viver no futuro, pensando em como poderia fazer as coisas diferentes, sem nenhum tipo de plano real, tudo na imaginação. Só me esquecia de viver o presente. (passado: medo/ arrependimento – futuro: ansiedade e preocupação).

Com o fortalecimento da minha autoestima, minha alimentação mudou, os exercícios tornaram-se parte integrante de minha vida e fui em direção a uma maior conexão comigo. Passei a me amar mais e profundamente e também a me aceitar do jeito que eu sou.

Publiquei esse texto ano passado no meu face. Esse ano ao rever a lembrança de minha publicação, me vejo ainda mais feliz. Ontem, ao fazer um pouco de exercício e dançar, comecei a pular sozinho e me animar pela vida.

Pode ser que muitas pessoas considerem as terapias integrativas uma forma barata de autoajuda, e está tudo bem. No meu caso, pude ver que essas técnicas trabalharam e trabalham profundamente e estão me permitindo evoluir. É óbvio que tudo é um processo! Muitas vezes não entendemos isso e queremos que uma aplicação de uma terapia qualquer faça um milagre e nos livre de um problema que carregamos por anos, porém entenda, a cura interna é um processo.

E você que anda se sentindo meio desanimado pela Vida, é possível mudar e retomar sua paixão sobre a vida.

 

Rodrigo Oliveira

Terapeuta Sistêmico
https://linktr.ee/reconectandocomavida

 

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Rodrigo Oliveira
Rodrigo Oliveira Seguir

Terapeuta sistêmico

Ler conteúdo completo
Indicados para você