[ editar artigo]

A SEXUALIDADE E AFETIVIDADE

A SEXUALIDADE E AFETIVIDADE

A sexualidade é a expressão da manifestação da intimidade conosco, quando permitida, com o nosso corpo, como o nosso “Eu”. Já chegamos ao mundo oriundos, gerados, por esse sistema belíssimo.

Fomos feitos da sexualidade de nosso genitores e deles trazemos muitos do que somos e representamos hoje.

Através da sexualidade de pai x mãe fomos gerados e graças a eles foi nos dado a vida. Devemos ser gratos por tudo que eles nos deram, sobretudo a vida. Devemos agradecer e soltar para seguimos nossa vida, seguir para o futuro. Digo isso por que existem muitos emaranhamentos que diz respeito à vida afetiva e sexual de nossos pais, que só diz respeito a eles.

Enquanto como filhos devemos honrá-los.

Para nossa vida afetiva, amorosa e sexual, devemos buscar nossa conexão com o nosso eu, mergulhando no silêncio interior, buscando revisitar nossa criança ferida, encontrá-la e acolhê-la, ouvi-la. A cura dessa criança de forma amorosa e consciente permitirá que a mulher adulta apareça com toda a sua força, alegria, auto estima e disposição, para se permitir a experiência de viver a vida sem culpa.

A base de tudo isso é a presença, sem a mesma não há verdade, portanto sem ela não poderá haver continuidade, progresso e evolução para a sexualidade. Se vejo o outro como pai, isso não é presente, e sim estou presa ao passado, inconscientemente, eu estou procurando um relacionamento de amor com o meu pai.

É preciso soltar o passado, sentir a dor humana, soltar e seguir.

Para me sentir bem num relacionamento, primeiro eu preciso relacionar comigo mesma, preciso de auto estima, e ninguém pode me dar isso! Preciso de energia vital para respirar e ficar no essencial. O essencial é felicidade, é estado de espirito na presença com simplicidade, é ela quem vai trazer a felicidade, bem como amor e a sexualidade.

A sexualidade é criação de um vínculo muito profundo, no qual duas pessoas vão viver esse vínculo, e passará primeiro pela minha experiência de sentir essa aproximação comigo mesmo, depois com o outro. É importante conhecer o outro, mas sem me excluir.

Buscar a inocência do prazer, muito além do ato sexual.

Posso sentir isso em muitas coisas, por exemplo, através dos impulsos vitais, físicos, musicais, verbais, e observar qual gosto mais, o que me dará mais prazer, e isso acontecera através do movimento do meu corpo e de sua reação.

Penso que para uma sexualidade consciente é necessário instinto e conexão. Recuperar o essencial e depois integrar o caminho para si mesma com um pouco de tudo que sou.

O impulso vital tem a chave com a verdade e nela o melhor e o pior de mim. 

Constelações Sistêmicas

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Edinalva Matos Leal
Edinalva Matos Leal Seguir

eu sou terapeuta complementar, atuo com Reiki, terapia cristais, barra de acces, mesa radiônica, massoterapia, entre outros.

Ler conteúdo completo
Indicados para você