[ editar artigo]

AS LEIS DO AMOR E OS MOVIMENTOS QUE CURAM

AS LEIS DO AMOR E OS MOVIMENTOS QUE CURAM

 

A constelação sistêmica é uma ferramenta de terapia breve que visa buscar as raízes do sofrimento humano e das dinâmicas da vida e trazer luz a consciência, uma nova perspectiva e novos caminhos de solução.

Através das intervenções, olhamos para a vida como um todo, olhamos para vida como um sistema, onde fazemos parte junto daqueles que vieram antes de nós. Nem sempre carregamos dores apenas da nossa própria existência, mas também carregamos dores do nosso sistema familiar, essa é a base das constelações, compreender que somos parte de um sistema e que estamos a serviço desse sistema.

As dinâmicas se movimentam em nossa vida respeitando as leis do amor, após muitos anos de estudo Bert Hellinger avistou essas leis em diversas situações, e compreendeu que para a vida fluir de forma harmoniosa essas três leis devem ser respeitadas.

Essas 3 leis são: pertencimento, equilíbrio e ordem.

A lei do pertencimento assegura que todos temos o direito de pertencer ao sistema familiar de origem, esse pertencimento é incondicional e eterno.

E a lei do equilíbrio assegura como o nome já diz “equilíbrio” nas relações, também conhecida como a lei da compensação, onde dou aquilo que tenho e recebo aquilo que necessito, sem exigir além ou ceder na entrega.

A lei da ordem diz respeito a ordem de chegada de cada indivíduo dentro do seu sistema de origem, aquele que chega antes, ou seja, nasce primeiro têm precedência sobre os que virão depois.

O módulo 02, nos faz refletir sobre as leis do amor e os movimentos que curam, conforme vamos estudando podemos perceber que a vida é uma constelação, que as leis se movimentam em todas as circunstâncias e que por amor, por lealdade e pelo desejo distorcido de pertencer às vezes nos privamos da vida e tudo que ela nos oferece.

“Você não vai para a vida porque não quer, você não vai porque ama” – perceba o quão profundo o significado dessa frase. Tudo que nos move no final das contas é o amor.

Porém, muitas vezes esse amor é distorcido, acreditamos que amar é fazer igual, que amar é permanecer na dor, que amar é manter-se preso junto aqueles que amamos, mas não, e eu acredito que essa é a missão das constelações no mundo: mostrar a cada um de nós que podemos amar, que podemos pertencer e que podemos liberar todos aqueles que vieram antes através dos movimentos de cura.

Curar a nós mesmos não significa ir por um caminho diferente dos nossos ancestrais e/ou deixá-los para trás, mas sim significa traze-los em nosso coração e através da nossa cura pessoal curar os emaranhados do sistema.

 

“Que ninguém te faça duvidar, cuida da tua raridade como a flor mais preciosa da tua árvore. Tu és o sonho de todos os teus antepassados”. Bert Hellinger

 

#CONCLUSÃO

Constelações Sistêmicas

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Ler conteúdo completo
Indicados para você