[ editar artigo]

AS LEIS DO AMOR AH ESSE MÓDULO FOI LINDO E INSPIRADOR

AS LEIS DO AMOR AH ESSE MÓDULO FOI LINDO E INSPIRADOR

O que eu aprendi sobre as leis do amor? Há esse módulo foi lindo e inspirador!

"O amor apenas existe dentro de uma certa ordem. O amor que dá certo existe apenas dentro de uma ordem. Se o amor se render a essa ordem, alcança o seu objetivo”. Bert Hellinger

A cada aula assistida, sinto-me mais curiosa e fascinada em aprender sobre essa visão sistêmica, que para mim é algo muito novo. Em tão pouco tempo de estudo, já observei as curas que venho recebendo, não somente eu, mas também a minha família, pois a palavra constelar significa completar, ou seja, completar aquilo que está faltando.

Na visão sistêmica não existe o eu, e sim o nós, pois estamos sempre atuando, trabalhando pelo nosso sistema, a prosperidade, saúde e sucesso somente são possíveis, se o nosso sistema estiver alinhado.

Quando nos acontece algo ruim e que não tem razão de ser, precisamos olhar para isso, pois esse fenômeno está querendo nos mostrar algo que precisamos olhar, de acordo com a visão de Sheldrake apud Guedes, 2015

“A informação se encontra presente, sempre no agora, não tem passado, os indivíduos acessam informações com um único propósito, o da sobrevivência, para assegurar a permanência da vida.”

As vezes pode ser que estamos repetindo padrões de nossos antepassados, por amor, por lealdade a esse sistema que para pertencer eu faço igual, mesmo que sejam coisas ruins. Pode ser também que por amor, uma pessoa assuma as dívidas, mágoas, angústias de seus antepassados, as crianças por exemplo, sempre estão à serviço de seus pais, visto que nosso espírito mesmo no inconsciente busca equilibrar, completar ou ordenar nossos sistema familiar, onde todos tem o direito de pertencer, aliás essa é uma das ordens do amor, o pertencimento. De acordo com Hellinger, 2020.

Uma criança está vinculada a sua família através de um amor profundo. Esse amor é tão grande, que a criança faz tudo para poder pertencer. Através desse amor e da necessidade de poder fazer parte, uma criança também se mostra disponível para assumir algo pesado ou até morrer, se achar que assim está servindo à sua família.

Se por exemplo, a mãe estiver muito doente e a criança tiver medo que ela morra, às vezes pensa: “Se eu morrer, a mamãe permanecerá viva”. Então esse amor leva essa criança à doença e também a morte. Este seria um amor que adoece (Hellinguer, 2020, p. 38).

Em nome desse amor e do pertencimento, fazemos inconscientemente até mesmo o que não queremos. Mas o contrário também é possível, pois a medida que tomamos nossos pais, podemos ter prosperidade, sucesso e saúde.

Os nossos pais nos deram a vida, e por isso temos que ser gratos, a essa vida que por meio dos dois chegou até nós. Não importa quem foram esses pais, e o que eles fizeram, eles são os pais certos.

Devemos ser gratos pelo essencial, a vida. Bacardí, em seu livro onde estão as moedas? As chaves de vínculo entre pais e filhos, nos traz uma visão simples em formato de história para entendermos a importância de tomar pai e mãe, como a exemplo no trecho:

“Na noite passada, vocês vieram até mim em sonho e depositaram em minhas mãos algumas moedas. Não me lembro se eram muitas ou poucas. Também não sei de que material eram feitas, se eram de metal precioso ou não. Não importa, porque me sinto pleno e feliz.

E velho lhes disse: obrigado, elas são suficientes. São as moedas de que eu necessito e as que mereço. Assim, eu as tomo com gosto, pois vêm de vocês. Com elas serei capaz de seguir meu próprio caminho.” (Bacardí, 2009 p. 10).

A mãe é o amor o coração, o acolhimento, representa nossas relações, se estamos bem com a nossa mãe, então todos os nossos relacionamentos, seja social ou afetivo darão certo.

O pai representa a força, o sucesso, é o pai que envia o filho ao mundo, então para seguirmos na vida, é necessário tomarmos nossos pais. Nesse sentido uma pessoa que apresenta ansiedade, insegurança, procura pelo pai, pode ser que essa pessoa teve ou tenha um pai, no entanto muitas vezes esse pai ainda não nasceu para essa pessoa, aquele pai que se faz indiferente diante dos filhos, então essa pessoa não consegue tomar essa força do pai.

A culpa não é desse pai, não sabemos como os pais dele eram com ele, e talvez também não teve o amor de seus pais, dessa forma ninguém consegue dar o que não tem. Por esse motivo, quando observamos esses fatos com a visão sistêmica, sabemos que mesmo assim, temos que honrar pai e mãe pelo essencial que recebemos, a vida e quando conseguimos encher nosso coração dessa gratidão, é possível ir para a vida.

Nas palavras da mestra Olinda Guedes: os filhos só conseguem agradecer aos pais quando fazem algo extraordinário com suas vidas, sem desejar nenhuma recompensa: a maneira mais grandiosa de fazer isso, é passar a vida adiante. Quem tem filhos honra seus pais e pode finalmente tomar a vida em toda sua plenitude. Quando essa oportunidade não é concedida, eles também podem ser honrados quando os filhos escolhem fazer algo extraordinário para o mundo, sem esperar recompensa. Algo que se aproxime do amor gratuito dos pais, dessa condição infinita, imensurável de passar a vida adiante, é a prática do amor incondicional. (Guedes, 2015 p. 33).

Nós somos o masculino e o feminino, pois carregamos o pai e a mãe em nós, e dessa forma precisamos tomar a força dos dois. Pai e mãe são grandes eu sou pequena, todos aqueles que tem precedência de nós são grandes.

Esse módulo me proporcionou ampliar a visão sobre as leis do amor e suas diversas proporções boas ou ruins, aprendi que antes da felicidade, a lealdade, onde muitas vezes seguimos os mandatos ou epigenética, repetindo padrões.

Como é incrível a mudança de postura e a forma de olharmos as pessoas e sentirmos o mundo, esse curso nos possibilita olhar além do aparente, do que está posto, por de trás do que se apresenta, percebi que minha forma de olhar as pessoas mudou, e isso está me ajudando muito, principalmente em meu trabalho, estou julgando menos as pessoas e tendo mais empatia, pois toda vez que preciso lidar com uma pessoa ou situação difícil, aprendi a me perguntar de onde isso vem, ou o que isso está querendo me mostrar.

Estou me sentindo mais feliz e mais leve, mais criativa e ultimamente com muita vontade de estudar e aprender, pois como diz nossa amada mestra Olinda, o conhecimento nos liberta e nos engrandece. Parafraseando as palavras de Mario Quintana, quero ser assim, como os pássaros.

Os poemas são pássaros que chegam não se sabe de onde e pousam no livro que lês. Quando fechas o livro, eles alçam voo como de um alçapão. Eles não têm pouso nem porto alimentam-se um instante em cada par de mãos e partem. E olhas, então, essas tuas mãos vazias, no maravilhado espanto de saberes que o alimento deles já estava em ti.(Mario Quintana - Os Poemas).

Inspirada nesse poema de Mario Quintana, desejo nunca saciar minha fome de conhecimento, pois quanto mais aprendemos, mais temos o que aprender. Que minha alma transborde desse conhecimento para que ele chegue a mais pessoas e que estas também possam estar se curando e como uma corrente do bem, assim vamos curando o mundo de tantas coisas ruins que vemos e vivenciamos.

Sou grata a amada professora, mestra Olinda Guedes por abrir as portas e nos mostrar que é possível ser feliz.

É maravilhoso fazer parte da escola real essa equipe nos inspira a buscar sempre mais, e hoje já posso dizer que sou uma pessoa melhor.

 

 

Constelações Sistêmicas

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Ler conteúdo completo
Indicados para você