[ editar artigo]

AS NOITES ESCURAS DA ALMA

AS NOITES ESCURAS DA ALMA

As noites escuras da alma pelas quais nós passamos em algum momento da vida, não dependem da nossa vontade.

Muitas vezes são momentos incompreensíveis para nós e para os outros.

São momentos, fases que mergulhamos em um estado de sofrimento e solidão, em nossas memórias transgeracionais.

As noites escuras da ama podem se apresentar de uma forma mais branda para alguns como a depressão, ansiedade, insônia e de forma mais grave para outros como problemas de psicoses, gagueira, dislexia, formas de esquizofrenias e autismo.

Pessoas que têm alguma dessas doenças ou familiares que têm parentes com alguma delas sabem bem o que são as noites escuras da alma. 

Essas noites são oportunidades de transmutação, é um momento onde entramos em estado de introspecção.

Segundo Olinda Guedes, pessoas especiais ou com alguma dessas doenças relacionadas com noites escuras da alma, vieram ao mundo para fazer muitas curas dentro de seu sistema.

São pessoas com as quais devemos olhar com muito amor, respeito, empatia, humildade, caridade e compaixão: olhar com luz divina. 

Essas pessoas estão trabalhando arduamente para seu sistema.

Porém, muitas vezes não são vistas, são privadas de direitos e respeito e continuam passando pela exclusão que sofreram os seus antepassados. 

A família que olha para essas pessoas com amor, se torna um anjo daquele que é o verdadeiro anjo.

Segundo as constelações sistêmicas, nós não temos filhos errados.

Todo filho é certo para o seu sistema.

Como tratar as pessoas que passam por essas noites escuras da alma?

Na maioria das vezes é necessário recorrer a medicina alopática.

Porém, não deve ser descartado outros tratamentos terapêuticos e sensoriais. 

Fico pensando nas noites escuras pelas quais meus antepassados tiveram e me lembro de algumas que com certeza marcaram suas vidas.

Minha avó materna perdeu todos os filhos homens que nasceram.

Imagina o sofrimento de enterrar um bebezinho e logo em seguida estar grávida de novo e perder de novo, e de novo.

Da parte de minha avó paterna ela perdeu um filho ainda criança que faleceu de sarampo.

Que coisa, antigamente doenças simples matavam.

Depois perdeu um sobrinho que ela registrou como seu filho pois a sua irmã o excluiu.

Dizem até que ela tentou matá-lo afogado.

Esse sobrinho, filho de minha avó convulsionava, memórias de assassinato.

Há 50 anos atrás e pelas circunstâncias não se sabia ao certo o que era. Ele acabou tomando veneno e morreu ainda jovem.

Meu pai conta que ele tentou se matar por várias vezes.

Também tem uma história mal contada sobre um relacionamento mal sucedido de uma de minhas tias, irmã do meu pai que faleceu precocemente devido ao alcoolismo.

Acredito que ela teve várias noites escuras da alma, me lembro de uma situação no Natal, onde ela estava bêbada e vinha nos dar presente. Nesse dia ela me deu um álbum de papel de cartas que tenho até hoje. Ah, minha tia, eu sinto muito pelo sofrimento que você passou e toda frustração que viveu por conta desse relacionamento.

Mas não foi sua culpa, no entanto você sofreu as dores e sofrimentos que talvez não fossem seus.

Quando eu era criança, minha noite escura da alma era sonhar com bruxa, então tinha medo de dormir com a luz apagada, depois passou.

Nunca entendi. Após esse módulo me lembrei desses sonhos e muitos pensamentos se passaram pela minha cabeça e me deu vontade de ler sobre as mulheres da idade média.

Vale destacar que adoro livros e filmes que retratam essa época mas confesso que nunca relacionei essa temática com meus sonhos de infância. 

 

Constelações Sistêmicas

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Ler conteúdo completo
Indicados para você