[ editar artigo]

CARTA AOS ANTEPASSADOS

CARTA AOS ANTEPASSADOS

Queridos Antepassados

Há mais de 100 anos, vocês se despediam de seus países de origem, em meio ao caos, a pobreza, a fome, a dor e a guerra. Deixando para trás todos os sonhos, objetivos de vida, entes queridos, para assim começar a escrever uma nova história de vida, em um país tão distante chamado Brasil. 

Alguns vieram por própria decisão, outros por imposição, outros aqui já estavam. 

Não sei como foi a longa travessia do oceano, os dias passados a bordo daquele navio, as dores, as perdas, as doenças, as incertezas. O que hoje sei, é que vocês foram fortes o suficiente para conseguirem chegar até aqui, e graças esta força, puderam passar a vida adiante e chegar até mim.

Das histórias contadas por meus pais, a que mais me chama à atenção são as coincidências vividas pelas duas famílias, e as interrogações deixadas.

Meu querido bisavô paterno: como quero saber quem era aquele Senhor conhecido pelo apelido de Turco, que te trouxe de Portugal com apenas 13 anos? Seria ele de origem Turca? Seria ele seu pai biológico e meu tataravô? E minha tataravó, onde ficou? Como ficou? 

Quanto a meu bisavô materno conhecido por nós apenas como Coronel Sá Fortes.

Seria o Senhor pai biológico ou adotivo de meu avô Candido Sá Fortes? Qual seria o nome de minha bisavó? Segundo as histórias contadas, ela era uma negra muito linda, que trabalhava como escrava em uma de suas Fazendas na Serra da Mantiqueira.

E o Senhor adotou o filho dela ainda criança.

O que levaria um homem branco daquela época, adotar uma criança negra e lhe dar seu sobrenome? Vovô Candinho como era chamado carinhosamente, foi morar em sua casa, com seus filhos biológicos. Será que  se sentia pertencente a sua família, ou se sentia excluído? Seria ele mais uma história de amor interrompido em direção a mãe?

Minha bisavó como terminou seus dias?

Hoje sei, que tudo foi como foi, e me curvo diante do destino de cada um, e entre tantos encontros e desencontros a vida chegou até mim. E hoje tomo cada um de vocês em meu coração  e fico apenas com o amor saudável, que cada de vocês puderam me entregar.

Peço a bênção de todos, para me colocar no fluxo da vida e pode entregar a meus descendentes uma vida mais leve, livre de julgamentos, mágoas, ressentimentos e dor.

Hoje sei que um dia todos nós nos encontraremos, mas hoje, escolho ficar mais um pouco na vida, e fazer algo grandioso em honra e reverência a todos vocês.

Hoje, escolho ser feliz!

Constelações Sistêmicas

TAGS

modulo2

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Ler conteúdo completo
Indicados para você