[ editar artigo]

CARTA AOS ANTEPASSADOS

CARTA AOS ANTEPASSADOS

Queridos antepassados, como é difícil escrever uma carta a todos aqueles que foram responsáveis por eu estar aqui nesta vida.

Tenho uma questão muito forte com a morte e quando penso que todos vocês não estão mais aqui, me dói a alma.

Quando conheci a constelação familiar, muitas situações vividas passaram a fazer sentido, principalmente com a senhora Mamãe. Como eu queria entender tanta dor em seu coração, eu até achava que era por causa do pai ser alcóolatra, mas era muito mais que isso.

Meu amado vô Olympio, que não conheci, sei que seu sonho de realizar projetos na Argentina foi cortado, quando teve que voltar, devido a morte do seu pai Juvenal Freire, meu amado bisavô para cuidar de sua mãe Maria Candida do Nascimento Freire, minha amada bisavó e das três irmãs, minha tia Lygia, Diva e Herminia.

Sei que conheceu a minha amada vó Cida e logo se casou e ela foi morar junto com sua mãe e irmãs, porém logo a bisa faleceu e a vida continuou todos juntos.

Fico pensando vô, como deve ter recebido o nascimento das três filhas, minha amada tia Hida, Tia Bili e mamãe Lybia, todas com dois anos de diferença, quantas alegrias, dificuldades, como era olhar para aquelas lindas meninas?

E a senhora, como deve ter sido difícil vó Cida, não poder escolher nem o nome das próprias filhas, mas aceitou tudo com  amor, pois a vida já havia sido dura, quando perdeu  seu pai Benedito Ferreira dos Santos, meu amado bisavô, pois tinha somente um aninho quando ele deixou essa vida e teve somente o amor da sua mãe, minha amada bisavó Ana Carolina Ferreira.

Então mãezinha, a tia Hida me contou um pouco da vida dos meus avós e bisavós e fiquei pensando, quantas dores, quanto todos eles passaram para a vida continuar e chegar até nós seus filhos, quanto a senhora sofreu, terceira filha, ficando órfã aos 8 anos de idade, com as duas irmãs de 10 e 12 anos, sendo abandonada pelas tias após a vó se casar novamente com o padrinho Eliseu, quantas brigas, desentendimentos, quanta falta o vô fazia, quantos choros e tristezas para todas vocês.

Sabe mamãe, muitas vezes eu quis seu abraço, seu “eu te amo” e pensava que era excluída, mas hoje eu sei como foi difícil.

Como dói ter te perdido com apenas 56 anos de idade e eu com 33, podia ter sido diferente, mas foi assim e quero de dizer que sou muito grata por tudo o que fez por nós, por todos os momentos de cuidado, atenção, pelas palavras de incentivo a estudar para ser alguém na vida, pela luta e vitória pela sobriedade do pai e acima de tudo GRATIDÃO PELA VIDA.

Gratidão papai, pela vida, pela vitória sobre os vícios, por ter tido tempo de dizer o quanto nos amava e ao vô Benedito, bisavô Juca e bisavó Paula que não conheci, a vô Anna e bisavô desconhecido e bisavó Inocência que fizeram a vida chegar a ti minha gratidão pela VIDA.

Meus amados antepassados, todos aqueles que não conheci, honro a todos com amor e peço licença para fazer diferente, seguir a minha vida da melhor forma que puder, carregando todos vocês no meu DNA, no meu CORAÇÃO..

Com muito amor Rosana Maria Bueno e Martins porque me casei e demos a vida a uma linda filha.

Constelações Sistêmicas

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Ler conteúdo completo
Indicados para você