[ editar artigo]

CARTA AOS MEUS ANTEPASSADOS

CARTA AOS MEUS ANTEPASSADOS

Queridos Antepassados,

Agora eu vejo vocês!!!

Aos meus avós paternos e padrinhos, Candida e Afonso, quanto carinho, saudade e aprendizado de vida. Moramos juntos até o dia de vocês partirem para o outro lado. Vejo agora quanta luta desde que deixaram a vossa terra natal, Portugal, em busca de uma vida melhor no Brasil.

Quanto sofrimento do vovô, vindo menino junto com um tio e deixando a mãe e irmãos. Lembro de você vovô, todo mês sentado na mesa da sala, escrevendo suas cartas, com sua caligrafia eximia, em caneta tinteiro, para seus familiares.

Sei também que um dos motivos que o fez vir para cá, foi que não se dava bem com seu padrasto, depois que seu pai faleceu. Por isso era uma pessoa triste, fechada, calada no seu mundo, mas com tanto amor para nos dar. Enquanto a vovó era alegre, extrovertida, falante e de personalidade forte. Também pudera, deixou sua terra natal junto com toda família.

Vocês trabalharam muito, tiveram avícola, mercearia e por último, vovô e papai construíram algumas casas para nosso uso e outras para renda. Hoje eu vejo a luta de vocês para deixarem para nós uma vida digna e de prosperidade, por isso agradeço e libero vocês de todo esse sofrimento, para seguirem felizes compreendendo assim que valeu a pena. E que vocês nos deram tudo o que podiam, assim como vossos antepassados.

Queridos avós maternos, Pura e João Borges, vejo também quanto sofrimento de vocês, atravessando o oceano de Portugal para o Brasil, sabe se lá em que condições, ainda meninos, sozinhos, deixando toda a família lá. Casaram-se aqui e formaram uma família de sete filhos, quanta luta para sobreviver.

O vovô não conheci, morreu cedo de nefrite, por volta de cinquenta e poucos anos. Trabalhava todas as noites como garçom em um Clube famoso. Pelas fotos que tenho,  vejo uma expressão triste em seu olhar.

A vovó era séria, forte e soube que tinha muita mágoa da mãe por ter mandado ela para o Brasil. Também trabalhou demais cozinhando e servindo almoços em sua pensão, para proporcionar aos seus filhos uma vida digna.

Conforme mamãe conta, os filhos também a ajudavam tanto nos trabalhos de casa, como da pensão. Mais tarde veio a ter uma mercearia também. Toda a luta de vocês, proporcionou estudo aos filhos e deram a eles tudo o que podiam, tinham e receberam.

Eu vejo vocês e mais ainda, e os libero de todo sofrimento para que sigam felizes e entendam que vossos antepassados também deram a vocês o que podiam.

Gratidão a todos meus antepassados, avós paternos, avós maternos e aos meus pais, agora eu vejo quanto sofrimento, luta, abandono, guerra, escassez, fome, etc...  

Mas agradeço por todo amor que recebi e porque sei agora que em mim tem um pouco de cada um de voces e é por isso que hoje estou aqui.

Sigam em paz e sejam felizes!

Sonia Maria dos Reis Menna

 Turma 5 Formação Real

 

Constelações Sistêmicas

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Sonia Maria dos Reis Menna
Sonia Maria dos Reis Menna Seguir

Mãe, filha, viúva, bacharel em Direito, atualmente sou secretária voluntária de uma entidade beneficiente, da qual faço parte. E disposta a aprender sempre.Adoro viver, adoro viajar, adoro natureza, adoro escrever, me expresso melhor do que falando.

Ler conteúdo completo
Indicados para você