[ editar artigo]

CARTA AOS MEUS ANTEPASSADOS

CARTA AOS MEUS ANTEPASSADOS

Meu coração está transbordando de alegria em escrever esta para vocês! Agora estou estudando sobre Constelação Familiar e tenho aprendido tantas coisas sobre nós.

Sei que eu sou um pouco Italiana, Argentina, caipira do interior deste Brasilzão, Mineiros, Paranaenses, Espanhol, Portugueses. Minha mãe diz que tenho Bisavô Negro Baiano, um misto de muitas raças.

Papai Amadeu! Sei que você nasceu em Rechâ, cidadezinha do Interior de SP. O Senhor, como sempre brincalhão, dizia que era tão grande, que se corrêssemos muito, capaz de sair da cidade sem nem perceber. Mamãe Linira nasceu em Itapeva/SP e tivemos a oportunidade de conhecer e até hoje temos tios e primos que ainda moram lá.

Papai e mamãe cresceram em Itapetininga. Ahhh, quantas lembranças tenho de lá. Quanta gratidão eu tenho por tudo o que vocês nos ofereceram, tudo o que nos ensinaram, todas as minhas 4 irmãs, e hoje nossa família só aumenta.

Meu Bisavó Stefano Alapone (Estevam) veio da Itália, região da Ligúria/Genova, foi para a Argentina sozinho e conheceu a Bisa Colomba Molinari. Se casaram e tiveram seus filhos na Argentina, sendo vovó Estevam Rodolpho um deles, e quando eles eram pequenos vieram para o Brasil de navio, desembarcaram no Porto de Santos, cidade a qual eu moro hoje.

Vovô Estevam, sei que você assumiu cedo as responsabilidades da família, pois seu pai faleceu precocemente de acidente, na fazenda onde trabalhava, e o Senhor teve que cuidar da sua mãe e seus irmãos. Vovó Mariana, sei pouca coisa sobre a Senhora. Tenho poucas lembranças, mas sei que era uma mulher forte, que cuidava muito da família.

Desta união tiveram muitos filhos, inclusive gêmeos, e também que nasceram, mas logo faleceram. Também sei que meus tios e tias, e minha avó, faleceram devido a doenças de câncer. Vovô Estevam tinha uma cadernetinha para anotar o nome de todos os netos e bisnetos, e morreu velhinho, aos 93 anos. Eu adorava conversar com você vovô.

Vovô Valdemar casou-se com a vovó Isaura e tiveram 4 filhos, mas ficou viúvo. Vovó Isaura tinha saúde frágil, problemas no coração, e faleceu durante o parto junto a irmãzinha da minha mãe. Era muito inteligente, professora. Logo vovô casou-se novamente com a vó Maria e tiveram mais 3 filhos. 

Nossa!

Quantas lembranças de infância tenho das férias que passávamos na casa do vô e ele sempre nos agradando. Lembro que assoviava pelo vitrô da cozinha para nos chamar e jogava para nós Nêsperas. Lembro também das amoras, milharal, cana, o senhor fazendo garapa, pé de abacaxi (achava incrível), as festas de Natal sempre com a mesa farta, que delicia.

Vovó Maria cozinhava muito bem. 

Hoje eu Vejo, Honro, Reconheço e aprendi a não Julgar tudo o que passou. Porque sim! Teve momentos que eu julguei até a Deus buscando resposta, tentando entender como eu tendo um papai e uma mamãe, sendo eles tão bons e generosos, foi acontecer a tragédia de um assassinato na nossa família, que nos deixou sem chão. Como chorei, como julguei, como sofri: um misto de sensações. Hoje entendo o porquê de tantas crianças que vieram depois com dislexia e Tdah.

Mas mesmo com tudo o que aconteceu o nosso amor permaneceu. Sim! Todos ficamos com cicatrizes e marcas profundas na alma, mas como sempre digo: 

"O AMOR SEMPRE VENCE E DEUS SEMPRE ESTEVE CONOSCO NOS AMPARANDO E NOS MOSTRANDO A DIREÇÃO, E MANTENDO A NOSSA FAMÍLIA UNIDA."

Gratidão.         

 

Constelações Sistêmicas

Saber Sistêmico - Comunidade da Constelação Familiar Sistêmica
Ana Lucia Alapone Teixeira
Ana Lucia Alapone Teixeira Seguir

Ana Lucia Alapone Teixeira, sou a terceira filha do Amadeu e da Linira, irmã da Isaura, Angélica, Patricia e Luciana, casada com Edson Teixeira, mãe da Rafaella e da Marcella, sou formada em Adm RH, Practitioner e Master PNL, Hipnose Ericksoriana.

Ler conteúdo completo
Indicados para você